Carlos Eduardo perde coordenador de campanha para a cadeia

Carlos Eduardo com Batata e o vereador Lobão, presos hoje

Há um mês o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) estava em festa pela conquista do apoio do prefeito de Caicó Robson Batata (PSDB) após uma disputa com o governador Robinson Faria (PSD).

O passe de Batata foi tão valorizado que logo ele foi definido como coordenador da campanha pedetista.

Hoje o mundo caiu em cima de Carlos Eduardo Alves que viu um de seus principais aliados ser preso na Operação Tubérculo, desdobramento da Operação Cidade Luz que muitos problemas causam ao pedetista.

Junto com Batata caíram o lobista Edvaldo Pessoa de Farias e o vereador Raimundo Lobão (MDB), que também tinha declarado apoio a Carlos Eduardo.

Carlos ganhou de Robinson o apoio de Batata, agora perde o apoio do tucano para a cadeia.

Para saber mais sobre a Operação Tubérculo veja abaixo

Vereador também é preso em operação. MP divulga conversa usada como prova de envolvimento de prefeito em esquema

Prefeito é preso em operação do MP 

Lobista preso é funcionário de gabinete de deputada 

Compartilhe:

MP faz busca e apreensão em casa de parentes de vereador

mprn

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) cumpriu um mandado de busca e apreensão na casa de parentes de um vereador de Natal no início da manhã desta terça-feira (10). O nome do parlamentar está mantido sob sigilo porque o processo está sob segredo de justiça.

A ação é um desdobramento da operação Cidade Luz e contou com a participação de três promotores de Justiça com atuação na área de Defesa do Patrimônio Público.

A Operação Cidade Luz investiga o desvio de R$ 22.030.046,06. O presidente da Câmara Municipal de Natal Ranieri Barbosa que chegou a ficar cinco meses afastado do cargo.

Compartilhe:

Carlos Eduardo renuncia ao cargo de prefeito no dia em que delação revela suposta de propina de R$ 280 mil

207529

Carlos Eduardo Alves (PDT) é um homem audacioso. Mesmo com as pesquisas mostrando o tamanho da dificuldade que lhe separa do Governo do Estado, decidiu fazer o mesmo trajeto político que Wilma de Faria fez há 16 anos.

Agora é um ex-prefeito sem foro privilegiado e alvo de uma delação que o coloca em situação embaraçosa. Os documentos da Operação Cidade Luz vazados pelo Agora RN revelam que Carlos Eduardo Alves teria acertado propina de R$ 300 mil para receber via caixa dois de campanha em troca de obras de iluminação na capital do Estado. No fim das contas, segundo a delação, recebeu R$ 280.

Quem conta a história é o autor dos pagamentos: os empresários Allan Emmanuel Ferreira da Rocha e Felipe Gonçalves de Castro.

Carlos Eduardo obviamente nega, mas sabe que agora está vulnerável juridicamente e em ano eleitoral.

Logicamente a delação da Operação Cidade Luz não vazou por acaso, mas dará o tom do que vem pela frente até o outubro.

O negócio vai feder!

Compartilhe:

Carlos Eduardo sofre dois abalos em projeto de disputar o Governo do Estado

WhatsApp Image 2018-03-08 at 09.25.52

O dia não foi fácil para o prefeito Carlos Eduardo Alves (PDT) que se articula para ser candidato ao Governo do Estado com apoio dos grupos tradicionais.

Primeiro, Natal amanheceu com outdoors espalhados pela cidade mostrando que o prefeito prometeu cumprir o mandato até 2020. A iniciativa do deputado estadual Kelps Lima (SD) coloca em xeque a palavra do pedetista.

thumbnail_WhatsApp Image 2018-03-08 at 09.25.23

Em outra frente o cientista político Daniel Menezes registra no Blog O Potiguar que a Operação Cidade Luz está com processo suspenso para inclusão de acordo de delação premiada.

A operação investiga um desvio de R$ 22 milhões na Secretaria Municipal de Serviços Urbanos envolvendo o hoje presidente da Câmara de Natal Ranieri Barbosa (PDT) entre os anos de 2013 e 2017, primeira gestão do atual prefeito.

Foto: assessoria Kelps Lima

Compartilhe: