Tião afirma que projeto com Robinson prevê instalar a Vice-Governadoria em Mossoró

 

Hoje no Meio-Dia Mossoró (95 FM), o candidato a vice-governador Tião Couto (PR) revelou que em caso de vitória de Robinson Faria (PSD) a Vice-Governadoria será implantada em Mossoró.

“Teremos um plano de ações voltadas para nossa região com a instalação do nosso gabinete em Mossoró”, avisou.

O republicano explicou que só aceitou fechar com Robinson após ele assumir que errou na gestão e que estaria disposto a fazer correções nestas falhas.

Compartilhe:

Deputados rejeitam seguir coligação

Os deputados estaduais George Soares (PR) e Tomba Faria (PSDB) não seguiram seus partidos na orientação partidária no apoio à reeleição de Robinson Faria (PSD). Cada um foi para um lado.

George anunciou apoio a senadora Fátima Bezerra (PT). Tomba a Carlos Eduardo (PDT).

Ambos liberados pelos respectivos comandos partidários.

Compartilhe:

Filho de “senador” de Carlos Eduardo anuncia apoio a Robinson Faria

O deputado estadual Jacó Jácome (PSD) declarou apoio ao governador Robinson Faria (PSD), candidato a reeleição. A decisão foi comunicada ontem durante a convenção do PSD.

Ele se colocou como um soldado na campanha do governador que tenta a reeleição. “Eu serei uma formiga, serei um lutador e um soldado do exército do governador Robinson Faria. Eu sou um homem de palavra”, disse.

Jacó é filho do deputado federal Antônio Jácome (PODE), candidato ao Senado na chapa de Carlos Eduardo Alves (PDT).

Compartilhe:

Tião cava própria cova política

Tião abre mão do discurso coerente para por digitais na provável votação pífia de Robinson em Mossoró

Há um mês Tião Couto (PR) anunciou (ver AQUI) que não seria candidato a deputado federal por não aceitar dividir o mesmo palanque de Robinson Faria (PSD). A iniciativa pegou bem junto ao eleitorado.

Tião ficou com a imagem de político coerente. No entanto, política é ocupação de espaços e o grupo dele deixou um enorme vácuo na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados que pode fazer surgir uma nova liderança em Mossoró. Encontrar alguém para assumir este espaço em nome grupo deveria ser a prioridade.

Ao adotar um discurso contra as oligarquias Tião ficou sem condições de se juntar a Carlos Eduardo Alves (PDT), mas também não pegaria bem ficar no mesmo palanque do governador mais desgastado da história potiguar.

Restava o risco de apostar uma candidatura menor ou deixar as diferenças ideológicas de lado e apoiar Fátima Bezerra (PT). Com esta última as conversas estavam abertas.

Se fecha com Fátima, do ponto de vista pragmático, Tião correria menos riscos políticos. Receberia críticas dos mais radicais, mas se manteria distante de ter o discurso contra os grupos tradicionais em situação contraditória. Além de ter o nome associado a expressiva votação que a petista caminha para ter em Mossoró.

Tião preferiu ficar com Robinson. Foi a pior escolha possível porque ele reabriu uma porta que estava fechada que escancara ao empresário mossoroense o quintal da política comum. Lá, com esta decisão, ele cava a própria cova política.

Como vice de Robinson, Tião chama para si a responsabilidade de uma derrotada acachapante de Robinson em Mossoró. O governador tem tudo para ter uma votação pífia independente de ter um companheiro de chapa mossoroense, mas o empresário colocará as digitais nessa derrota que se avizinha.

Não é por acaso que a repercussão ao longo do dia de ontem foi péssima para Tião Couto. Muitas críticas nas redes sociais.  O clima é de decepção em quem via nele uma alternativa aos grupos tradicionais.

Após tirar quase 52 mil votos na eleição para prefeito de Mossoró em 2016, Tião representava a principal ameaça aos Rosados na cidade.

Como vice do governador mais impopular da história ele se joga na vala comum da política deixando o discurso do “diferente”.

O rosalbismo segue agradecendo aos adversários que tem e livre para fazer uma gestão deprimente sem sofrer incômodos. Tião precisará trabalhar ainda mais para fechar a cova política que ele mesmo abriu.

Compartilhe:

Tião confirma que será vice de Robinson

O convite foi feito ontem ao empresário Tião Couto (PR) e ele aceitou ser vice na chapa do governador Robinson Faria (PSD). O republicano confirmou a decisão ao Blog.

A decisão será oficializada hoje na convenção do PSD e Natal. O empresário justificou a decisão alegando que não poderia ficar assistindo o “acordão das oligarquias” se fortalecer. “Eu entendi depois de muitas investidas que política é ocupação de espaço e eu não poderia assistir o desfile do acordão”, frisou.

Tião entrou na política em 2016 quando foi candidato a prefeito de Mossoró recebendo quase 52 mil votos.

Compartilhe:

Robinson define vice

O governador Robinson Faria (PSD) definiu o candidato a vice da chapa dele. Será Benes Leocádio (PTC), ex-prefeito de Lajes e ex-presidente da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN).

O anúncio oficial será feito amanhã na convenção do PSD no Hotel Holiday Inn.

Outro nome que chegou a ser cotado para a vaga foi o ex-secretário de turismo Ruy Gapar.

Compartilhe:

Deputado corre risco de ter legenda negada em convenção

Jácome diz ter garantia dada pelo governador de que o filho terá legenda

Os bastidores fervem no PSD, partido do governador Robinson Faria. O deputado estadual Jacó Jácome, filho do deputado federal Antonio Jácome (PODE), pré-candidato ao Senado, corre sério risco de ter a legenda negada na convenção de domingo, dia 5.

A pressão dos pré-candidatos do PSD para que isso aconteça é enorme porque no entendimento deles, Jacó não está sendo leal com o governador e o partido ao firmar apoio ao ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT), principal concorrente de Robinson a uma vaga no segundo turno.

Na última segunda-feira Antônio Jácome esteve no Meio-Dia Mossoró e disse ter recebido garantias de Robinson de que o filho teria legenda para concorrer à reeleição. “Não há hoje nenhuma dificuldade burocrática nem partidária para ele não ter a legenda. Seria uma excrecência”, frisou reforçando que Jacó terá o nome homologado. “Não temos nenhuma preocupação e não haveria nem necessidade de garantia”, completou.

Compartilhe:

Retirada de candidatura de Sandra ganha força. Grupo também encaminha apoio a Carlos Eduardo

Recuo de Sandra facilitaria reeleição de Larissa
Recuo de Sandra facilitaria reeleição de Larissa

O grupo da vereadora Sandra Rosado (PSDB) vive horas decisivas na véspera da convenção tucana em Natal. A pressão do líder do rosalbismo Carlos Augusto Rosado é para que ela retire a candidatura a deputado federal e apoie a reeleição de Beto Rosado (PP).

Em troca a deputada estadual Larissa Rosado (PSDB), filha de Sandra, seria a candidata do rosalbismo/Palácio da Resistência a uma cadeira na Assembleia Legislativa.

A proposta foi lançada por Carlos Augusto Rosado. Segundo o Blog apurou houve inclusive ameaça de ruptura política entre as alas da família Rosada simbolizada pela demissão do ex-vereador Lahyre Neto do comando da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. Além disso, o rosalbismo lançaria um nome para deputado estadual, no caso o presidente estadual do PP Betinho Rosado.

Discute-se internamente no sandrismo que o anúncio da desistência seria amanhã após a convenção tucana. Na próxima semana seria realizado um evento para lançar a dobradinha Larissa/Beto em Mossoró.

No entanto, o clima está tenso porque Sandra não está aceitando passivamente a possibilidade de desistir do pleito. A vontade dela é realmente ser candidata.

O irônico nisso tudo é que o material de campanha de Sandra está pronto para ser apresentado na convenção tucana de amanhã em um hotel de Natal.

Carlos Eduardo

Ontem Sandra esteve reunida na sede estadual do PDT com o ex-prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) para discutir aliança. Na última segunda-feira Sandra chegou a admitir que seguiria a orientação partidária, o que indicaria um apoio à reeleição do governador Robinson Faria (PSD).

No entanto, o grupo dela teria acertado com o presidente do PSDB e da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza a liberação para firmar alianças sem necessariamente seguir a orientação do partido.

O apoio a Carlos Eduardo passa também pelo entendimento com o rosalbismo. Afinal de contas, o filho de Rosalba, Kadu Ciarlini (PP), é o vice do ex-prefeito de Natal.

Nota do Blog: o recuo de Sandra seria estratégico para as reeleições de Larissa e Beto Rosado.

Compartilhe:

PSB tem três caminhos e a situação mais complicada no RN

RM-570x3641

O PSB tem um bom tempo de TV e somente isso a oferecer a eventuais aliados. De resto, a agremiação é um peso político.

Do ponto de vista moral, o deputado estadual Ricardo Motta está enrolado com a Operação Candeeiro a ponto de ficar proibido de pôr os pés na Assembleia Legislativa por seis meses. Em relação a questão eleitoral o PSB acrescenta quase nada. Mais se beneficia que contribui atrapalhando quem já está acomodado nas coligações.

O partido tem três caminhos:

  • Aliar-se ao PT. No entanto, a base petista resiste a aliança sob o argumento que o deputado federal Rafale Motta (PSB) apoiou o impeachment de Dilma Rousseff. Líderes petistas consultados pelo Blog informam que só uma improvável intervenção nacional formalizaria a aliança;
  • Fechar com Robinson Faria. Este é considerado o caminho mais viável e menos complicado para as reeleições de Rafael e Ricardo. O acordo está em discussão. Há menos resistência nesse grupo que no PT.
  • Apoiar Carlos Eduardo Alves. O problema reside na falta de esteiras nos partidos comandados pelas famílias tradicionais do Estado.

O PSB tem três caminhos e na teoria nenhum é favorável ao partido que está muito enfraquecido.

Compartilhe: