Vereadores tentam ficar no PSD

Para Raério, movimento tem objetivo apenas de tumultuar (Foto: Edilberto Barros/CMM)

Os vereadores Emílio Ferreira, Maria das Malhas e Toni Cabelos, além do ex-presidente da Câmara Municipal Jório Nogueira, estão se mobilizando para continuar no PSD.

A legenda ficou acéfala em Mossoró entre os anos de 2017 e 2018, mas agora está sob a batuta do vereador Raério Araújo cuja filiação foi registrada ontem no sistema da Justiça Eleitoral. O parlamentar assume o partido na próxima semana e deixou bem claro que o trio de vereadores e o ex-presidente da Câmara Municipal não terão espaço. “Não tem briga não. Eles estão fora e acabou. Eles estão querendo tumultuar. Isso é coisa de política antiga e sebosa. Quem está com a nominata sou eu e eu vou botar o povo novo”, avisou.

Para Raério, a mobilização tem objetivo apenas de tumultuar e espantar os nomes que vão se candidatar pelo PSD. “Eles não querem ficar, mas tumultuar porque sou eu. Eles sabem que estou na oposição. Isso é coisa de outro vereador que botou na cabeça deles que façam zoada. Nosso grupo está formado e se eles não saírem vão ficar fora (da lista de candidatos) e acabou”, avaliou.

De acordo com Raério são 32 candidatos que vão chegar ao partido junto com ele.

 

Compartilhe:

Fábio Faria está entre os dez parlamentares que mais tiveram agenda com Bolsonaro. E daí?

Fábio tem fama de ser próximo ao presidente (Foto: Web/Autor não identificado)

A assessoria do deputado federal Fábio Faria (PSD) informa que levantamento do jornalista Fernando Rodrigues  (Portal 360) aponta que o representante do Rio Grande do Norte é oitavo parlamentar mais citado nas agendas do presidente Jair Bolsonaro.

Ele está à frente de Eduardo Bolsonaro (PSL/SP), filho do presidente.

E daí?

Fábio continua sendo um deputado que vai bem mais a São Paulo, onde mora esposa e filhos, do que ao Rio Grande do Norte nos finais de semana. A atuação de maior destaque do filho de Robinson Faria foi gravar uns vídeos chamando a governadora Fátima Bezerra (PT) de “mentirosa”.

A badalada proximidade com o presidente não é uma garantia de recursos para o Estado.

E daí, né?

Compartilhe:

Robinson dará liberação para três vereadores deixarem o PSD

Com a chegada do grupo de Tião Couto ao comando do PSD através do vereador Raério Araújo que está de saída do PRB a composição política na Câmara Municipal de Mossoró passará por novas alterações.

Uma coisa está decidida: o ex-governador Robinson Faria vai liberar dos quadros do PSD os vereadores Emílio Ferreira, Maria das Malhas e Toni Cabelos. “É uma decisão que vem de cima e vamos respeitar”, declarou Raério.

O trio parlamentar faz parte da base de apoio da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) e devem ir para agremiações que são da orbita política dela.

Compartilhe:

Vereador vai assumir comando partidário

O vereador Raério Araújo vai trocar o PRB pelo PSD do ex-governador Robinson Faria (PSD) que está sob orientação política do empresário Tião Couto (PL) dentro do cenário político mossoroense.

Raério aguarda liberação do PRB para fazer a mudança partidária. O objetivo é organizar no PSD uma nomita capaz de eleger pelo menos dois vereadores em 2020. “Tenho um grupo de 25 nomes que vão para a disputa”, frisou.

O vereador está tentando quebrar o histórico de dificuldades que parlamentares encontram para formar nominatas em Mossoró. “A diferença é que tenho mantido contatos com o pessoal”, avaliou.

Compartilhe:

Partido deve passar por debandada em Mossoró

Em 2016, o PSD era o partido mais forte de Mossoró. Tinha o presidente da Câmara Municipal (Jório Nogueira), o prefeito de Mossoró (Francisco José Junior) e o governador do RN (Robinson Faria).

Com essa estruturara elegeu três vereadores que até hoje estão por lá formando a maior bancada na Câmara Municipal.

Em breve o partido será esvaziado na cidade.

Os vereadores são do antigo partido do ex-prefeito apenas por formalidade. Antes da posse em 1º de janeiro de 2017 todos já eram rosalbistas.

Agora o PSD vai para o controle de Tião Couto, outro adversário da prefeita. É questão de tempo Maria das Malhas, Toni Cabelos e Emílio Ferreira deixarem o partido para fazer parte de alguma agremiação da orbita política de Rosalba.

Questão de tempo, repito.

Compartilhe:

Tião vai para o PSD sem ir

Tião comanda PSD, mas fica no PL (Foto: Blog do Barreto)

Confusa a manchete? Mas é isso mesmo. O PSD vai para o comando do empresário Tião Couto, mas este por sua vez seguirá no PL.

Tião explicou ao Blog do Barreto que vai escolher uma pessoa para assumir o comando do PSD com o objetivo de organizar uma nominata para a Câmara Municipal em 2020.

Caso Tião fosse para o PSD (isso ainda pode acontecer) seria a terceira filiação partidária em três anos de vida pública.

Nota do Blog: a informação de que Tião assumiria o PSD foi dada em primeira mão pelo Blog de Carol Ribeiro.

Compartilhe:

PSD e suplente desistem de ação para “tomar” mandato de deputado eleito

Primeiro foi o professor Robério Paulino (PSOL) quem protocolou a desistência de ser parte na ação que pode tirar o mandato do deputado estadual eleito Sandro Pimentel (PSOL).

Agora, por meio de nota, o PSD anunciou que não vai mais brigar na Justiça Eleitoral para que os votos de Pimentel sejam anulados e com a recontagem o partido herdasse a vaga do PSOL que iria para o deputado estadual Jacó Jácome (PSD), que não foi reeleito.

 

Compartilhe:

Sandro Pimentel reage e denuncia oportunismo do PSD

Sandro Pimentel não foi diplomado ( Foto: Ricardo Araújo/G1)

O Blog do Barreto já tinha adiantado: a não diplomação de Sandra Pimentel (PSOL) abria uma brecha jurídica para a recontagem dos votos que levaria o deputado estadual não reeleito Jacó Jácome (PSD) a ficar com a vaga anulação dos sufrágios dados ao ainda vereador de Natal.

Agora o PSD é parte do processo e luta para que o quociente eleitoral seja recontado caso Pimentel seja impedido de assumir o mandato.

Em nota o deputado eleito e não diplomado classifica a atitude do PSD como oportunista sem citar o nome da agremiação.

Confira a nota:

Nota sobre parecer do Ministério Público Eleitoral a cerca de vaga do PSOL na Assembleia Legislativa

 

O parecer do Ministério Público Eleitoral, divulgado pela imprensa no final desta terça-feira, 08, não traz nenhuma surpresa ou novidade sobre a situação da minha diplomação. Também é necessário salientar que o MPE não manda diplomar o suplente do partido,  conforme divulgado pela imprensa. Seguindo a legislação eleitoral o órgão, apenas, deixa claro o entendimento de que a vaga na Assembleia Legislativa, conquistada por nosso esforço e eleição limpa pertence ao PSOL, não cabendo a nenhum outro partido a tentativa oportunista de nulidade dos meus votos.

Aliás, é necessário lembrar que a população potiguar decidiu pelo voto retirar oligarquias do poder, clamando por renovação política. Assim, não cabe mais aos derrotados no voto tentar chegar ao poder usando velhos atalhos. Está na hora de aprenderem com a derrota e respeitarem a decisão do povo.

Reafirmo a minha tranquilidade com a resolução dessa situação na data prevista para isso, a partir de 21/01, quando o Tribunal Regional Eleitoral, em pleno, discutirá sobre a injustificada liminar que adiou meu direito constitucional de ser diplomado.

Tenho total confiança que irei exercer o mandato que o povo potiguar me autorizou a cumprir.

 

Sandro Pimentel

Deputado Estadual eleito pelo PSOL com 19.158 votos

Compartilhe:

MP Eleitoral entende que 24ª vaga de deputado estadual do RN deve ser do PSOL

Agora RN

O professor universitário Robério Paulino (PSOL) obteve nesta terça-feira, 8, um parecer favorável do Ministério Público Eleitoral para que ele seja diplomado deputado estadual no lugar do correligionário Sandro Pimentel, que foi eleito em outubro de 2018, mas teve a diplomação suspensa por decisão liminar.

Robério é o primeiro suplente do PSOL, partido que obteve ao todo 69,8 mil votos para deputado estadual. O professor universitário conquistou 18.550 votos, contra 19.158 do correligionário, que atualmente é vereador em Natal.

O procurador eleitoral Kleber Martins de Araújo, que assina o parecer – juntado ao processo em que Sandro Pimentel é acusado de ter arrecadado e gastado recursos ilicitamente na campanha para deputado estadual, disse que não há “nada mais razoável que se garanta a representação popular dentro do número de vagas alcançadas no pleito pelo partido, no caso o PSOL, de modo que a diplomação do primeiro suplente para o cargo de deputado estadual, uma vez suspensa liminarmente a diplomação do candidato eleito, nos parece assegurar a representatividade popular”.

Compartilhe:

Mandato de Sandro Pimentel pode cair no colo de outra coligação

Nunca na história do Rio Grande do Norte um deputado estadual eleito foi impedido de ser diplomado. O que mais chama atenção são as coincidências envolvendo o caso.

Segundo o suplente de vereador de Natal Maurício Gurgel (PSOL), em entrevista ao site Potiguar Notícias, a juíza eleitoral Adriana Cavalcanti que impediu a diplomação de Pimentel é casada com o tio da esposa de Jacó Jácome (PSD, deputado estadual não reeleito e primeiro suplente da coligação Trabalho e Superação.

Como Sandro não foi diplomado, os 19.158 votos que ele recebeu em 7 de outubro poderiam ser anulados fazendo o PSOL perder a vaga que conquistou na Assembleia.

A 24ª vaga cairia no colo de Jacó Jácome.

O Blog consultou alguns especialistas que entenderam que a vaga deve permanecer com o PSOL independente do resultado do processo contra Sandro Pimentel que é suspeito de irregularidade na arrecadação de recursos de campanha.

Nos bastidores o assunto tem uma conotação que ignora a questão técnica.

 

Compartilhe: