Deputado do RN é suspenso do partido

Girão é punido pelo PSL (Foto: reprodução/Internet)

Está no Congresso em Foco: o deputado federal General Girão está suspenso das funções parlamentares dentro do PSL. A medida o atingiu e mais 11 parlamentares entre eles Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

A lista é formada por: Bibo Nunes (RS), Carlos Jordy (RJ), Caroline de Toni (SC), Daniel Silveira (RJ), Filipe Barros (PR), Cabo Junio Amaral (MG), Hélio Lopes (RJ), Márcio Labre (RJ), Sanderson (RS) e Vitor Hugo (GO).

Os parlamentares atingidos pela medida ficaram ao lado do mandatário nacional na crise envolvendo ele e o presidente nacional do PSL Luciano Bivar (PE).

Os deputados já pediram autorização ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para deixar o PSL.

Ao Blog do Barreto, General Girão comentou a decisão: “Processo de autofagia da representatividade democrática, por conta de atitudes ou diferenças pessoais. Estou usando da minha experiência de vida para tentar sensibilizar os envolvidos na busca de uma solução que considere como fator decisivo a vontade dos nossos Eleitores”.

Compartilhe:

Partido nega retirada de pré-candidatura a prefeito de Mossoró

Por meio das redes sociais o Solidariedade negou que o partido tenha fechado acordo com o PSL para a retirada da pré-candidatura a prefeito de Mossoró do deputado estadual Allyson Bezerra (SD).

A troca relatada pelo jornalista Bruno Giovani, o BG, na 96 FM de Natal na última segunda-feira, trata de uma ação envolvendo a disputa em Natal (confira o vídeo):

A nota do Solidariedade rebate a informação. Confira:

Compartilhe:

Pré-candidato a prefeito de Mossoró está no rumo de perder principal aliado no RN

Principal nome do bolsonarismo no Rio Grande do Norte o deputado federal General Girão (ainda no PSL) em conversa com o Blog do Barreto não escondeu a decepção com o novo presidente do PSL potiguar Daniel Sampaio, pré-candidato a prefeito de Mossoró.

Ao ser questionado se estaria retirando o apoio a Daniel Sampaio, ele disse que algumas decisões tomadas por Daniel não condizem com sua conduta política, mas que a parceria está sendo avaliada. “Amigo, ainda está muito cedo para tal. Mas, os rumos adotados por ele, estão meio fora do que penso. Vamos avaliando. Assim entendo que deve ser a política”, frisou.

Na semana passada, Girão gravou um vídeo anunciando que estaria retirando alguns apoios nas eleições municipais e os colando sob avaliação. A posição foi repercutida no Blog Diário Político.

Sem querer estender a conversa sobre este assunto ele disse que muita coisa precisa mudar na política potiguar. “Não cabem mais especulações, no momento. Estamos construindo uma forma diferente. O mesmo do mesmo, nos deixou onde estamos. Identificamos muita coisa a ser mudada na forma da política potiguar e nacional. O trabalho será longo. Temos uma certeza: não nos interessa o Dinheiro Público. Este, deve ser destinado para servir ao Público, e não aos políticos. Lamentamos quando ouvimos dizer sobre percentuais cobrados na liberação de recursos e realização de obras. Isso precisa mudar”, analisou.

Girão pediu autorização do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para deixar o PSL que por sua vez abriu processo para expulsá-lo do partido. O deputado do RN articula a fundação do Aliança pelo Brasil, partido do presidente Jair Bolsonaro.

Nota do Blog: Daniel Sampaio está no rumo de perder o apoio de Girão, repito, principal nome do bolsonarismo no Rio Grande do Norte. Mas muita coisa pode mudar.

Compartilhe:

Líderes do Solidariedade negam aliança com bolsonarismo

Nem foi dito que tinha aliança fechada entre o Solidariedade e os bolsonaristas que ficaram no PSL em Mossoró, mas tanto o ex-vereador Soldado Jadson quanto o deputado estadual Allyson Bezerra, respectivamente vice-presidente e presidente do partido em Mossoró optaram por negar que tenha aliança fechada com o partido comandado nacionalmente por Luciano Bivar.

Em nota publicada nas redes sociais Jadson disse que não existe aliança fechada. “Reafirmamos, que até agora não temos nenhum fechamento de nomes e partidos e que não estamos sujeitos a nenhuma interferência externa ou impositiva do comando estadual do Solidariedade. Toda e qualquer decisão relativa às eleições deste ano será do Diretório Municipal, de modo soberano”, esclareceu.

O deputado em conversa com o jornalista Magnos Alves no Portal do Oeste disse que aliança fechada entre Solidariedade e PSL não se estende a Mossoró. “Continuamos discutindo com os partidos que estávamos para formar a chapa”, declarou.

Saiba mais em:

Solidariedade está “afinando os bigodes” com o bolsonarismo em Natal e Mossoró

Diretório estadual do PSL tem novo presidente

Compartilhe:

Diretório estadual do PSL tem novo presidente

Resultado de imagem para daniel sampaio psl
Daniel Sampaio segue bolsonarista (Foto: reprodução Youtube)

Líder do bolsonarismo mossoroense, o médico Daniel Sampaio assumiu o comando estadual do PSL. Ele vinha comandando o diretório municipal do partido até a crise entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente nacional da sigla Luciano Bivar.

Ao Blog do Barreto, Sampaio disse que o PSL segue cotando com as propostas do presidente Bolsonaro. “Não só eu, mas como o PSL vem acompanhando o governo nas votações”, declarou.

Ele nega que a permanência do PSL, após renunciar o comando municipal do partido para fundar o Aliança pelo Brasil, seja um afastamento do bolsonarismo. “O presidente do meu partido é Bivar e não me afastei de Bolsonaro de forma alguma”, garante.

Sobre a fundação do Aliança pelo Brasil, o médico disse que a prioridade atual é fortalecer o PSL e o Solidariedade com quem está firmando parceria em Natal. “Neste momento o objetivo é o crescimento do PSL e do Solidariedade”, explicou.

Sobre o comando do PSL muncipal, Daniel Sampaio disse que ainda não definiu quem fica no cargo. “A gente ainda está resolvendo porque assumimos o diretório há poucos dias”, justificou.

 

Compartilhe:

PSL é alvo de disputa no RN

Por enquanto o partido de Bivar segue com Alexandre Nóbrega (Foto: Assessoria/PSL)

Pelo menos três grupos disputam o comando do PSL no Rio Grande do Norte. Por enquanto o partido vai ficando sob o comando do advogado Alexandre Nóbrega que foi indicado há uma semana pelo presidente nacional da sigla Luciano Bivar.

Um dos grupos é formado por antigos filiados que perceberam que o Aliança pelo Brasil não estará regularizado a tempo de disputar as eleições deste ano.

O outro grupo que disputa o partido no Estado é o do ex-senador José Agripino Maia (DEM). O ex-governador Robinson Faria (PSD) também está de olho no PSL.

Ontem foram realizadas reuniões em Natal para discutir os rumos do PSL.

Compartilhe:

Deputado federal do RN pede justa causa ao TSE para mudar de partido

Resultado de imagem para General Girão"
Girão seguirá com o presidente Bolsonaro (Foto: web/autor não identificado)

O deputado federal General Girão integra o grupo de 26 parlamentares que pediram justa causa para deixar os quadros do Partido Social Liberal (PSL).

O processo está sob relatoria do ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Edson Fachin.

Girão integra o grupo dos parlamentares bolsonaristas que estão em litígio com o presidente nacional do PSL Luciano Bivar.

O objetivo deste grupo é ajudar o presidente Jair Bolsonaro a fundar o Aliança pelo Brasil, agremiação de perfil conservador que está sendo formatada.

Compartilhe: