Qual o seu mecanismo?

Mecanismo provoca debate sobre limites entre ficção e realidade
Mecanismo provoca debate sobre limites entre ficção e realidade

Ontem assisti o primeiro episódio da Série O Mecanismo oferecida pelo Netflix que tanta polêmica tem provocado nas redes sociais. A primeira sensação que fico é a de que o país não está preparado para seriados políticos tão comuns nos EUA.

Outro ponto: há uma confusão entre ficção, ficção baseada em fatos reais e documentários. Só este último tem compromisso com a verdade dos fatos. Os outros dois não.

O Mecanismo se propõe a ser baseada em fatos reais e é isso que abre margem para questionamentos.

Logo no primeiro episódio o caso do Banestado (Banco do Estado do Paraná) surge dando a entender que é um escândalo petista quando na verdade é algo da época do PSDB. Foram dezenas de bilhões enviados ao exterior de forma ilegal, causando dissabores ao ex-presidente do Banco Central no governo FHC, Gustavo Franco.

A citação do personagem que faz alusão a Alberto Youssef dizendo que o ministro da justiça iria resolver o problema não é tão absurda como apregoou a ex-presidente Dilma Rousseff em artigo. O relator da CPI do Banestado, realizada em 2003, era o petista José Mentor que teve atuação bastante criticada por propor anistia aos que enviaram dinheiro ilegalmente ao exterior. Ele foi acusado de sabotar a CPI.

Mas é claro que não relação com a realidade o envolvimento do então ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos (já falecido) em qualquer intervenção nesse sentido.

Ainda não vi o restante dos episódios, mas sugiro que ao final de cada um deles o leitor faça uma pesquisa no Google para conferir se os fatos batem com a série, chega a ser educativo fazer isso, inclusive por se tratar de um exercício de separação entre ficção e realidade.

Algumas pessoas estão chocadas, com razão, por causa de uma cena em que o personagem atribuído a Lula usa a famosa frase de Romero Jucá que fala no “grande acordo nacional, com o supremo, com tudo”. Nesse caso, a liberdade da ficção flertou com a desonestidade intelectual e confunde os mais desinformados e preguiçosos que não vão tirar dúvidas pesquisando.

Quanto à ideia de censura ao Netflix entendo que as pessoas são livres para escolherem se assinam ou não um serviço de entretenimento, mas considero qualquer campanha nesse sentido uma demonstração de autoritarismo. Não gostou não assista. Assistiu se informe mais sobre os assuntos abordados.

Aos políticos do PT que estão revoltados com o seriado e o filme que tal se organizarem e fazerem algo mostrando suas versões? Ou melhor: que tal trazer à tona na ficção as falcatruas engavetadas na era FHC como caso Sivam (Sistema de Vigilância da Amazônia), pasta rosa, privataria e a famosa compra de votos para emenda da reeleição que criou as bases para o mensalão nos governos petistas.

Cada um com o seu mecanismo, qual é o seu?

Compartilhe:

Maioria dos leitores do Blog aprovam mandato de Fátima Bezerra

fatima_bezerra2

A senadora Fátima Bezerra (PT) está em alta com os leitores do Blog do Barreto. Pelo menos é o que apontou a enquete do grupo desta página no Facebook.

Para 57,54% dos que votaram ela faz um bom mandato no Senado. Para outros 39,17% ela merece a desaprovação e 3,29% alegaram não saber opinar sobre o mandato dela.

Os posicionamentos adotados por ela ao longo do mandato pesaram seu favor para a aprovação. “Grande senadora em defesa da educação. Votou contra a reforma que retirou direitos dos trabalhadores e sempre esteve na luta em defesa dos nossos direitos. Tô com ela pra governadora em 2018”, disse a leitora Herbênia Ferreira ao justificar o voto.

A ausência de ações significativas em nível de Rio Grande do Norte é percebida pelos críticos de seu mandato. “Quem aprova, pode me informar o que ela fez de bom pelo RN durante todo esse tempo de mandato, ou isso é só politicagem barata?”, questionou Carlos Filgueira ao assumir a desaprovação do mandato da petista.

Na próxima terça-feira o Blog do Barreto lança uma nova enquete.

Compartilhe:

A nova tática discursiva para enfraquecer Fátima Bezerra pode ser mais eficiente que o tema da corrupção petista

Fátima é alvo de críticas de Kelps que a apoiou em 2014
Fátima é alvo de críticas de Kelps que a apoiou em 2014

Até aqui a senadora Fátima Bezerra (PT) lidera as pesquisas para o Governo do Estado sem que se apresente um adversário à altura para lhe fazer frente. Há tempo, meios e espaços para que essa zona de conforto seja minada.

Uma coisa é certa: falar do estrago da imagem do PT, associar o nome dela à corrupção do partido e outras táticas manjadas não vai colar. Não adianta falar que Fátima lidera com intenções dentro do limite do partido dela no Estado. A comparação não se aplica porque o petismo não lança candidatos ao Governo do Rio Grande do Norte desde 2002 quando Ruy Pereira obteve 147.380 (11.24%) votos, quase três vezes menos do que indicam as pesquisas para a senadora.

Outro ponto: colar questões nacionais em Fátima Bezerra, por mais que ela se esforce para que isso a atrapalhe, o efeito prático não se estabelece. Não só porque ela lidera as pesquisas, mas porque o ex-presidente Lula (mesmo inelegível) é com folga o candidato ao comando do país entre os potiguares. Na última pesquisa Seta/Blog do BG Lula teve 48% de intenções de voto no RN, mais que a média nacional.

Por outro lado, o foco de Fátima Bezerra nas questões nacionais pode ser o calcanhar de Aquiles da petista se for usado de outra forma e num sentido mais prático para o eleitorado potiguar. Parece-me que o deputado estadual Kelps Lima (SD) achou um ponto fraco que pode colar na cabeça do povo: a omissão da senadora nas questões locais. O vice-governador Fábio Dantas (PSB) viu que a ideia é boa e a atacou também nesse sentido.

Bater em Fátima via PT não pega e até reforça a imagem dela como uma petista não envolvida em escândalos de corrupção graves como mensalão e petrolão.

A questão nacional contra Fátima Bezerra pode ser uma boa estratégia se for invertida a ordem do discurso trazendo algo mais prático como a propalada omissão em temas locais. Fátima Bezerra passou os últimos três anos falando em golpe, defesa de Lula e fora Temer, mas esqueceu de sua melhor pauta: a educação. Desconheço ações da Fátima senadora nessa área como nos tempos da Fátima deputada.

Outros pontos que ela falha é na segurança e área econômica. O Rio Grande do Norte vive uma profunda crise de ideias e a senadora não tem acrescido nada ao debate local nos últimos tempos e esse é um ponto fraco muito mais real e menos abstrato que os tradicionais ataques à petista.

Dizer que Fátima não se preocupa com temas locais é mais devastador do que associá-la à corrupção petista.

Compartilhe:

PT explica adiamento de evento em Mossoró

destaque_estrela

Tanto a presidente do diretório municipal do Partido dos Trabalhadores, Isolda Dantas, como a assessoria da senadora Fátima Bezerra fizeram contato com o Blog do Barreto para esclarecer que o evento de sábado não foi adiado por causa da crise interna da agremiação.

O que pesou para a decisão foi a mudança de data (seria amanhã) da filiação de Zenaide Maia ao PHS no próximo sábado em Natal.

Compartilhe:

PT de Mossoró cria arestas para possível vice de Fátima Bezerra e agenda da senadora na cidade é adiada

blog-1000

O PT mossoroense está em uma disputa interna. A legenda se dividiu entre os que não aceitam a filiação do empresário Wilson Fernandes e os que enxergam o nome dele com entusiasmo. Isso provocou o adiamento da filiação do possível vice da senadora Fátima Bezerra (PT) que seria no próximo sábado.

O Blog do Barreto conversou com a presidente do PT mossoroense, vereadora Isolda Dantas, que explicou que está tentando apaziguar o partido, mas frisou que a decisão final será do diretório. Mas são setores do grupo dela quem se posicionam contra essa filiação. O grupo da velha guarda petista comandado por Crispiniano Neto, Nelson Gregório e Tércio Pereira apoia a chegada dele ao partido.

O Blog apurou ainda que Wilson é um empresário que acompanha os projetos do PT desde os anos 1980 e possui formação política identificada com a esquerda.

O imbróglio cria um problema político para a senadora na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

Compartilhe:

Nova enquete do grupo do Blog do Barreto pergunta se você aprova ou desaprova o mandato da senadora Fátima Bezerra

2012031484519_Fátima-Bezerra-1303

A senadora Fátima Bezerra (PT) lidera todas as pesquisas para o Governo do Estado. Mas como anda a avaliação do mandato dela na cabeça dos leitores do Blog do Barreto? Essa pergunta será respondida nos próximos dias através de uma enquete publicada no Grupo desta página no Facebook.

A parlamentar divide opiniões. Para seus apoiadores é a senadora da educação e um nome comprometido com os interesses da classe trabalhadora. Para os críticos ela perde muito tempo com pautas nacionais e esquece dos problemas do Rio Grande do Norte, além da queda de produção num comparativo com os tempos de deputada federal.

Se você não integra o grupo basta solicitar a participação que será prontamente atendido. Perfis falsos serão recusados.

Para votar clique AQUI.

Compartilhe:

Câmara de Mossoró tem três vereadores colocados como pré-candidatos em 2018

Eleições-2018

Faz muito tempo que um vereador de Mossoró não dá um salto político para cargos maiores na política estadual. A última tentativa exitosa foi há 24 anos quando o então edil Francisco José foi eleito deputado estadual.

De lá para cá acumulam-se tentativas frustradas de subir de patamar na política potiguar.

Para esse ano, a vereadora Sandra Rosado, que pode trocar o PSB pelo PC do B, trabalha para voltar à Câmara dos Deputados. Não é uma tarefa fácil devido à falta de estrutura de seu grupo. Daí a possibilidade de mudar de partido para ganhar algum fôlego.

Em outra ponta, Flávio Tácito (PPL) e Isolda Dantas (PT) se colocam como candidatos a uma vaga na Assembleia Legislativa. O primeiro terá o desafio de provar que a candidatura é para valer porque em outros pleitos ele “ameaçou” ser candidato e recuou em seguida. A segunda depende muito da estratégia do partido dela na disputa proporcional.

É fundamental que Mossoró recupere espaços na política estadual. Não só a cidade como a região sofre muito com a baixa representatividade e o discurso do bairrismo tem que ser apenas uma das armas para a conquista dos votos. Usá-la como única alternativa pode ser revelar um erro até porque em outras eleições o eleitor mossoroense mostrou que prefere os nomes locais (ver AQUI).

Dica do Blog: confira também essa matéria produzida pela jornalista Carol Ribeiro.

Compartilhe:

Ação de Temer no RJ golpeia discurso de Bolsonaro

images (1)
Temer toma posse como secretário de segurança para abafar a crise após o massacre de Carandiru em 1992. A história se repetirá?

Impopular, desgastado e sonhando com uma inviável reeleição, Michel Temer tem uma muralha da China que o separa das demandas populares. Faz um governo capacho do mercado financeiro.

O “deus mercado” pode até ditar as cartas na gestão do “Vampirão”, mas não dita os anseios populares que seguem num sentido oposto aos interesses dos engravatados da Bovespa.

O maior problema do povo é a segurança e é este o fator primordial para Jair Bolsonaro ter se tornado um político popular deixando a condição de parlamentar obscuro para a de presidenciável competitivo.

Sem condições de ir além do que já foi feito pelo PT em programas sociais nem vocação política para assumir um projeto que melhore a vida do povão, resta a Michel Temer apelar para o combate à violência.

Ex-secretário de Segurança Pública do Governo de São Paulo (gestão de Luiz Antônio Fleury Filho), nomeado cinco dias após o massacre do Carandiru em 1992, Temer tenta na contenção da violência no Rio de Janeiro encontrar um fato que melhore sua popularidade e esconda aos olhos do mercado o fracasso na tentativa de reforma da previdência.

Se tudo der certo no principal cartão postal do país, Temer pode levar a iniciativa a outros Estados e quem sabe entrar no eleitorado bolsonarizado mostrando na prática que violência se resolve com violência como apregoa o histriônico discurso do capitão do exército. Ser o tiro sair pela culatra o bolsarismo sem Bolsonaro será um prato cheio para os opositores do capitão reformado.

A ação no Rio de Janeiro golpeia o discurso de Bolsonaro dentro da casa dele. Resta saber se será um ippon (que finaliza o adversário no judô) ou um Koka (menor pontuação).

Compartilhe:

Isolda é eleita presidente do PT mossoroense

WhatsApp Image 2017-04-09 at 18.58.42

A vereadora Isolda Dantas foi eleita hoje presidente do diretório municipal do PT. Com 57% dos votos ela venceu Nelson Gregório, atual comandante da agremiação, e o ex-diretor do Hospital Regional Tarcísio Maia Valmir Alves.

A eleita disse que agora é hora de unir o PT local. “Esses processos do PT de disputa e debate só faz com que o partido se fortaleça. Vencer no PT significa fazer o diálogo com todas as forças que fazem parte do partido”, disse Isolda.

A presidência estadual será definida no final de maio.

Compartilhe: