Robinson tenta “colar” no eleitor de Bolsonaro

Robinson tenta colar no eleitor de Bolsonaro

O governador Robinson Faria (PSD) foi o entrevistado de hoje no Meio-Dia RN na 98 FM de Natal. Ao ser questionado por ouvintes porque não declara apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Robinson disse ser simpático as ideias de Bolsonaro sobretudo nos valores da família e da segurança, mas frisou que o partido dele tem candidato, no caso Geraldo Alckmin (PSDB) cujo nome não foi citado pelo chefe do executivo estadual.

Em terceiro lugar nas pesquisas e distante de disputar um segundo turno, Robinson vai dando a cartada final tentando colar num eleitor sem candidato no Rio Grande do Norte: o seguidor fiel de Bolsonaro.

O flerte com o representante da extrema direita é mais uma tentativa de Robinson para tentar crescer nas pesquisas na reta final da campanha.

Compartilhe:

Desaprovação de Robinson segue em alta

Robinson segue mal avaliado pelos potiguares

A pesquisa Retratos do RN encomendada ao Instituto Certus pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN) apontou que o governador Robinson Faria (PSD) é desaprovado por 74,26% dos potiguares.

No outro item da pesquisa que avalia como o eleitor classifica a gestão, ele acumula 61,35% de ruim e péssimo.

Confira a avaliação do governador

Aprova x desaprova

Desaprova 74,26%

Aprova 20%

Não Sabe 4,96%

Não respondeu 0,78%

Avaliação do governador

Péssima 47,52%

Regular 25,39%

Ruim 13,83%

Boa 8,30%

Ótima 2,55%

Não Sabe 2,20%

Não respondeu 0,21%

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018 e RN-07782/2018.

Compartilhe:

Mais de 70% desaprovam governo Robinson

Com informações do G1RN

A pesquisa Ibope divulgada ontem pela Intertv Cabugi também avaliou o desempenho do governador Robinson Faria (PSD). O quadro se revela negativo.

Conceito do governo

Ótimo/bom: 12%

Regular: 26%

Ruim/péssimo: 57%

Não sabem avaliar: 4%

Aprova x desaprova

Aprovam: 22%

Desaprovam: 72%

Não sabem avaliar: 6%

Sobre a pesquisa (ficha técnica):

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 812 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais

Quando a pesquisa foi feita: 18 a 20 de setembro

Registro no TRE: RN-08720/2018

Registro no TSE: BR‐0811/2018

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado.

Compartilhe:

Rejeição a Robinson Faria é superior a 50%

Com informações do G1RN

A pesquisa do Instituto Ibope mediu a taxa de rejeição (o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum). O governador Robinson Faria (PSD) é o mais rejeitado.

Os entrevistados podem citar mais de um candidato, por isso, os resultados somam mais de 100%. Veja os índices:

Robinson Faria (PSD): 52%

Fátima Bezerra (PT): 24%

Carlos Eduardo (PDT): 19%

Dário Barbosa (PSTU): 14%

Freitas Jr. (Rede): 13%

Heró Bezerra (PRTB): 13%

Brenno Queiroga (Solidariedade): 12%

Professor Carlos Alberto (PSOL): 11%

Poderia votar em todos: 2%

Não sabe ou prefere não opinar: 10%

Sobre a pesquisa (ficha técnica):

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Quem foi ouvido: 812 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais

Quando a pesquisa foi feita: 18 a 20 de setembro

Registro no TRE: RN-08720/2018

Registro no TSE: BR‐0811/2018

O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro

0% significa que o candidato não atingiu 1%. Traço significa que o candidato não foi citado por nenhum entrevistado.

Compartilhe:

A “UERNfobia” de Robinson

Robinson segue distante da UERN

O governador Robinson Faria (PSD) não compareceu as sabatinas promovidas pela Frente Parlamentar e Popular em Defesa da UERN. Também será o único ausente no debate realizado pelas entidades representativas (DCE, Sintauern e Aduern) das categorias previsto para a próxima quinta-feira.

O governador tem perdido ótimas oportunidades de prestar contas do que fez pela universidade nos últimos quatro anos bem como comparar com os concorrentes os seus planos para o futuro da universidade.

Protesto, vaias e críticas fazem parte da rotina de qualquer político. O governador peca e faz uma autodesconstrução da imagem de gestor corajoso que tenta impor na propaganda eleitoral.

Alguém precisa tratar a UERNfobia de Robinson.

 

Compartilhe:

PSOL pede cassação da candidatura de Robinson

Obra inacabada é objeto de ação

O Tribunal Regional do Estado (TRE/RN) vai julgar uma ação de investigação judicial eleitoral contra o governador Robinson Faria (PSD), candidato à reeleição. A ação é movida pelo diretório estadual do PSOL e acusa o governador, bem como seu companheiro de chapa, Tião Couto (PR), por abuso de poder econômico. O fator que motiva o pedido de investigação é a inauguração do inacabado Complexo Viário da Redinha, em Natal. O caso pode levar à cassação da candidatura da chapa encabeçada por Robinson, caso o TRE atenda à solicitação do PSOL.

Segundo a peça formulada pelos advogados do PSOL, Kennedy Diógenes e Sanderson Mafra, o governador Robinson Faria cometeu abuso de poder político ao inaugurar, em 5 de julho passado, o complexo viário da Redinha, uma obra que está apenas parcialmente finalizada. Das três etapas do projeto, apenas uma está pronta: a construção do viaduto, com a liberação inicial do trecho da avenida Conselheiro Tristão. Ficaram faltando as outras duas etapas: a ligação do acesso a Genipabu até a avenida Tocantínea, devidamente asfaltada e sinalizada, e a ligação da avenida Tocantínea, passando pela avenida Rio Doce, seguindo na avenida das Fronteiras, até o acesso à BR-101, igualmente com vias asfaltadas e sinalizadas.

A ação de investigação judicial eleitoral relata ainda que a decisão de liberar a obra sem concluí-la gerou prejuízos imediatos para a população. Após a inauguração, houve ocorrência de acidentes automobilísticos, alagamentos de vias e danos a veículos, já que ainda não havia sinalização, drenagem e recapeamento das vias que compõem o entorno do Complexo Viário da Redinha.

Para o PSOL, a inauguração precipitada liderada pelo governador contraria a legislação em duas frentes ao mesmo tempo. Primeiramente, afronta a Lei das Eleições (9.504/97), por ter Robinson entregue deliberadamente uma obra inconclusa dois dias antes de iniciar o prazo que veda a participação de candidatos em cerimônias públicas de inaugurações. Da mesma forma, os advogados Kennedy Diógenes e Sanderson Mafra apontam que a inauguração comandada por Robinson desobedeceu a Lei Estadual 10.164/2017, que “veda realização de despesa pública em inaugurações de obras ou serviços públicos, sem que estas estejam em condições de pleno funcionamento”.

Reunidas essas irregularidades, o PSOL pede ao TRE que reconheça a responsabilidade do governador no cometimento delas e casse as candidaturas de Robinson Faria e de seu companheiro na chapa com a qual ele tenta a reeleição, por terem se beneficiado do abuso. Pede ainda que, na hipótese de serem eleitos, que a Justiça Eleitoral casse os seus diplomas. Se a ação for julgada procedente, Robinson e seu candidato a vice-governador também podem ficar oito anos inelegíveis, o que também é requerido pelos advogados do PSOL.

Compartilhe:

Robinson desmente próprio discurso da coragem ao se ausentar de debates

Robinson: o corajoso que não vai a debates

POR BRUNO BARRETO

O governador Robinson Faria (PSD) jacta-se de agir com coragem para enfrentar os problemas da segurança no Rio Grande do Norte. A palavra é recorrente nas ótimas peças publicitárias preparadas pela sua equipe.

Na prática, o governador segue ausente do debate sobre segurança. No dia 22 de agosto ele faltou ao debate do Fórum de Segurança transmitido pela TV União. Ontem foi a vez de não ir ao debate sobre segurança realizado pelas associações de policiais militares com transmissão da Band Natal.

Na próxima semana a Frente Parlamentar e Popular em Defesa da UERN fará uma sabatina com candidatos ao Governo. Entre os convidados apenas o governador candidato a reeleição não confirmou presença.

No horário eleitoral ele diz enfrentar com coragem a questão dos atrasos salariais. Mas não vai ouvir os anseios da comunidade uerniana.

O governador também não confirmou presença no III Painel Fisco e Sociedade com os candidatos ao Governo realizado pelo Sindicato dos Auditores Fiscais do Rio Grande do Norte (SINDIFERN).

Ao se ausentar destas discussões Robinson desmente o próprio discurso.

Compartilhe:

Justiça determina retirada de outdoors apontados como irregulares pelo MP Eleitoral

Agora RN

A juíza da Propaganda Eleitoral, Adriana Cavalcanti Magalhães Faustino Ferreira, deferiu a liminar para retirada imediata dos nove outdoors institucionais do Governo do Rio Grande do Norte, afixados no anel viário que serve ao aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante.

Ela acatou a representação do Ministério Público Eleitoral contra o candidato à reeleição Robinson Faria (PSD), o candidato a vice-governador Tião Couto (PR) e contra o próprio Estado em virtude da instalação dos referidos outdoors.

No entendimento da juíza, a ação caracteriza-se como prática de conduta vedada, mesmo que as peças publicitárias tenham sido instaladas antes do prazo proibido pela lei da propaganda eleitoral. A Justiça Eleitoral irá intimar os citados ainda na tarde desta quarta-feira, 5, e a retirada das peças publicitárias deve ser imediata.

Caso

O Ministério Público Eleitoral ajuizou nessa segunda-feira, 3 de setembro, uma representação contra o candidato à reeleição Robinson Faria (PSD), contra o candidato a vice-governador, Tião Couto (PR), e contra o próprio Estado, em virtude da instalação de nove outdoors institucionais, afixados no anel viário que serve ao aeroporto Internacional de São Gonçalo do Amarante.

A representação, protocolada junto Juiz (a) Eleitoral Auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral, destaca que a propaganda institucional é vedada no período das eleições, além de enaltecer o atual governo com claro efeito de promoção pessoal, tendo ainda sido veiculada mediante outdoor, meio proibido pela legislação.

“A ideia de se tipificar conduta vedada é exatamente garantir a isonomia do pleito eleitoral, para evitar que agentes públicos se favoreçam eleitoralmente, em detrimento dos demais candidatos ao usar e abusar da máquina pública”, destaca trecho da representação.

O MP Eleitoral aponta ainda que a partir de 16/08/18 teve início o período da propaganda eleitoral, que deve ser custeada pelos candidatos e partidos. “A propaganda institucional, sobretudo porquanto custeada pelo erário, não pode, assim, fazer as vezes de propaganda eleitoral por afrontar claramente a isonomia do pleito eleitoral”.

Além de pedir que os réus retirem os nove outdoors, a representação pede o pagamento de multa e a cassação do registro ou diploma, a depender do momento processual do julgamento.

Resposta

O Governo do RN informou que as placas constantes no Anel Viário Metropolitano foram fixadas em data anterior ao período eleitoral e “que nela não constam marcas ou slogans de programas de governo, constando somente o brasão oficial legal do Estado, conforme prevê a legislação eleitoral. O Governo informa ainda que as referidas placas têm somente a função de informar à população sobre a obra”.

Compartilhe:

Governo nega irregularidades em placas

Abaixo nota do Governo do Estado negando irregularidades em placas que podem levar a chapa Robinson Faria (PSD)/Tião Couto (PR) a cassação do registro de candidatura (ver AQUI).

Abaixo a nota

O Governo do RN informa que as placas constantes no Anel Viário Metropolitano foram fixadas em data anterior ao período eleitoral e que nela não constam marcas ou slogans de programas de governo, constando somente o brasão oficial legal do Estado, conforme prevê a legislação eleitoral. O Governo informa ainda que as referidas placas têm somente a função de informar à população sobre a obra.

Compartilhe: