Moro e demais ministros não virão também a Mossoró

Moro também não vem (Foto: Jorge William / Agência O Globo)

A comitiva presidencial formada pelos ministros Sérgio Moro (justiça e cidadania), Tereza Cristina (agricultura) e Rogério Marinho (desenvolvimento regional) não vem mais a Mossoró cumprir a agenda que previa entrega de benefícios na área da pesca e segurança pública.

Em vídeo divulgado no Twitter, Rogério Marinho disse que o adiamento se deu por conta das discussões sobre o orçamento no Congresso Nacional e a necessidade de reuniões para definir estratégias contra a expansão do Coronavírus.

O evento será reagendado.

Compartilhe:

Governadora discute liberação de recursos com o ministro Rogério Marinho

Fátima dialogou com Rogério Marinho (Foto: Joel Ribeiro/Gov. do RN)

O envio de verba para conclusão de importantes obras que trarão segurança hídrica ao Rio Grande do Norte, especialmente para o Seridó e regiões adjacentes, foi o tema central da reunião entre a governadora Fátima Bezerra e o ministro potiguar Rogério Marinho, na noite desta terça-feira (10), na sede do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), em Brasília.

Ao lado dos secretários de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), João Maria Cavalcanti, ela relembrou o compromisso firmado pelo ex-titular do MDR, Gustavo Canuto, de encaminhar ao Rio Grande do Norte os montantes necessários para acelerar a conclusão das obras da Barragem de Oiticica, que será o terceiro maior reservatório hídrico do Rio Grande do Norte, e da construção da comunidade Nova Barra de Santana, planejada para abrigar as 240 famílias que deverão ser realocadas quando da conclusão de Oiticica, e que havia sido retomada nesta atual gestão. A governadora solicitou, ainda, ao diretor geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS, José Rosilonio Magalhães de Araújo, também presente à reunião, que entre nessa luta com o RN.

“Explicamos toda a situação e o ministro Rogério Marinho reiterou o compromisso que havia sido assumido pelo ministro anterior, que é a liberação de recursos para que a gente possa acelerar essas obras, sobretudo pelo que elas representam para o povo do Seridó e para o povo do Rio Grande do Norte. Falamos também acerca do Projeto Seridó, que vai garantir segurança hídrica pelos próximos 50 anos para boa parte do Estado”, disse Fátima, informando que apresentou ao ministro o projeto Seridó, que já está incluído no plano nacional de segurança hídrica, dada a sua importância para o Seridó, interligando bacias.

Sensível às ações, o ministro reiterou o compromisso da continuidade a essas parcerias em prol do RN, que vão assegurar os benefícios aos quais a população do estado tem direito.

“Queremos erradicar o carro-pipa de forma inteligente e eficaz, oferecendo apoio técnico aos Estados e municípios. É preciso trabalhar de forma integrada, buscar recursos em todas as instâncias de governo, junto aos Fundos Constitucionais, Ministérios, bancadas e também à iniciativa privada, para que os bancos invistam em projetos integradores da Região Nordeste, Norte e Centro-oeste. Este será um processo de muita conversa e pouco tempo, pois não temos tempo a perder”, ressaltou Rogério Marinho.

Em sua pauta, Fátima também reivindicou a liberação de recursos por parte do MDR para dar seguimento às obras de recuperação da Barragem de Passagem das Traíras, quarto maior reservatório da região, localizado entre os municípios de São José do Seridó, Jardim do Seridó e Caicó.

Pró-Transporte

A governadora levou ao ministro, ainda, as demandas relativas ao Pró-Transporte, importante projeto de mobilidade urbana na Zona Norte de Natal, adiantando que o governo já tomou as providências para a licitação da segunda etapa da ação. Em diversas reuniões realizadas em 2019 com o então ministro Gustavo Canuto, foi acertado que o MDR liberaria R$ 55 milhões para execução da terceira fase do Pró-Transporte, projeto iniciado ainda em 2005 e que possui apenas 45% das obras concluídas. A intervenção vai destravar um dos principais pontos de engarrafamento da capital e beneficiará a indústria e o turismo.

“Quero expressar que a audiência foi muito positiva. O ministro foi bastante atencioso, assumindo o compromisso de dar continuidade a todas as parcerias em curso entre o ministério e Governo do Rio Grande do Norte”, declarou a governadora.

Ponte Newton Navarro

Outro ponto abordado na audiência foi a necessidade de liberação de recursos de R$ 2,7 milhões necessários à execução do projeto de proteção da Ponte Newton Navarro, já apresentado em 2019.  “Na época, o MDR não teve dotação financeira para liberar o montante e por isso trouxemos essa reivindicação novamente. O ministro foi bastante atencioso ao pleito”, considerou a chefe do Executivo estadual potiguar.

Fátima Bezerra agradeceu o empenho da bancada federal do Rio Grande do Norte presente à reunião. Na ocasião, o senador Jean Paul Prates, que tem acompanhado as reuniões com o MDR, fez suas considerações sobre a importância das questões levadas ao ministro. “Esse é um dos ministérios mais importantes para o Rio Grande do Norte e para o Nordeste, principalmente na área dos recursos hídricos, setor que deu a tônica da reunião. A governadora se encontrou com um ministro que é potiguar e que conhece as nossas cidades, as nossas dificuldades no Alto Oeste e no Seridó, áreas mais atingidas pela seca e ele afirmou que a prioridade promover a segurança hídrica para essas regiões”, citou.

A governadora destacou ainda da importância do Projeto Seridó e da construção do ramal do Apodi-Mossoró, que levará agua até a chamada “tromba do elefante”, que é será a última etapa da transposição do rio São Francisco, trazendo esperança para os potiguares que vivem no dia a dia os constantes problemas de abastecimentos nas regiões do semiárido. “É imperiosa a conclusão do eixo norte da transposição das águas do São Francisco, que trarão recursos para o nosso estado. Não podemos abrir mão dessas obras”, enfatizou a gestora potiguar.

O Projeto Seridó consiste em um plano de sistemas adutores para garantir suprimento de água para consumo humano e atividades produtivas por meio da construção de um sistema com sete adutoras totalizando 300km de extensão que vai beneficiar os 25 municípios da Região do Seridó até o ano 2070.

Por parte do ministro, ficou sinalizada para breve uma reunião com a governadora Fátima Bezerra e com os gestores da Paraíba, Pernambuco e Ceará, estados que serão beneficiados com a conclusão das obras do São Francisco.

Estiveram presentes à reunião o Secretário da Infraestrutura (SIN), Gustavo Coelho, procurador geral do Estado, Luiz Antônio Marinho, procurador geral adjunto do Estado, José Santana, o assessor especial da Semarh, Paulo Varela, a senadora Zenaide Maia, e os deputados federais Beto Rosado, Natália Bonavides, João Maia, Walter Alves, Benes Leocádio, Fábio Faria e General Girão.

Compartilhe:

Rogério Marinho toma posse como ministro

Bolsonaro dá posse ao novo ministro (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

Numa cerimônia concorrida com mais de 500 convidados, o presidente da República, Jair Bolsonaro, deu posse ao novo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, na tarde desta terça-feira (11), no Palácio do Planalto. O presidente destacou que o MDR é um Ministério com capilaridade em todo o Brasil e que tem um “viés muito especial para o Nordeste”.

“Tenho certeza que Marinho, da maneira como ele sempre se comportou, da maneira que nós o conhecemos, terá mais que paciência, será altruísta na busca de soluções, e de buscar atender os interesses de todos os brasileiros”, destacou o presidente, acrescentando que Rogério Marinho dará continuidade às ações desenvolvidas pelo seu antecessor Gustavo Canuto.

Rogério Marinho afirmou que chega ao Ministério com o compromisso de “construir pontes, estabelecer e consolidar relações, porque não vamos a lugar nenhum se formos caminhar sós”. Ele ressaltou que é um trabalho de muitos desafios e que “por mais pesado que seja o fardo, ele se torna maneiro se carregado por muitas mãos. E eu pretendo carregá-lo com a ajuda de todos vocês”.

“Eu preciso da ajuda da sociedade brasileira aqui representada. Porque nossa missão, talvez, seja a mais nobre, de corrigir desigualdades regionais para permitir que os irmãos brasileiros tenham igualdade de oportunidades. E não tenho dúvidas de que essa é uma missão que cativa a cada um dos brasileiros presentes nessa sala, e de todo brasileiro que está nos ouvindo nesse momento”, frisou o novo ministro.

O Ministério do Desenvolvimento Regional é responsável por ações e programas de habitação, saneamento, desenvolvimento regional e urbano, proteção e defesa civil, segurança hídrica, mobilidade e serviços urbanos, fundos regionais e incentivos fiscais, irrigação, entre outras políticas do governo federal para fomentar o crescimento econômico e sustentável.

Perfil

Rogério Simonetti Marinho é economista e professor. Em fevereiro deste ano, foi nomeado para o cargo de Ministro do Desenvolvimento Regional pelo presidente da República Jair  Bolsonaro. Até então, estava à frente da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, onde atuou como um dos principais articuladores da Nova Previdência.

Nascido em Natal, no Rio Grande do Norte, foi deputado federal pelo Estado por três mandatos. À época, foi relator do projeto que mudou regras do Programa de Financiamento Estudantil (FIES) e atuou em prol da modernização da legislação trabalhista.

No estado, atuou como vereador; presidente da Câmara Municipal de Natal; secretário municipal de Planejamento e secretário estadual de Desenvolvimento Econômico.

Compartilhe:

Rogério ministro e a missão com o RN

´Rogério Marinho caiu para cima (Foto: arquivo)

O agora ministro Rogério Marinho caiu para cima após ser rejeitado nas urnas nas eleições de 2018 quando recebeu 59.961 votos. Situação que lhe deixou na condição de segundo suplente na coligação PRB / PTB / PR / PPS / PMB / PTC / PSB / PSDB / PSD / AVANTE / PROS.

Sem mandato, mas com o prestígio nos setores econômicos graças ao desempenho como relator da reforma trabalhista na Câmara Federal, o tucano se tornou secretário nacional de trabalho e previdência. No posto de segundo escalão ele tocou as articulações para a reforma da previdência aprovada ano passado.

Ainda assim ele iniciou o ano em baixa, cogitado para demissão segundo a mídia nacional. De “fritado a ministro”, Marinho mostrou força no Governo Bolsonaro.

Ter ministros não é novidade para a classe política potiguar no período pós-Ditadura Militar (1964/85). Aluízio Alves comandou a pasta da administração no governo Sarney e integração nacional na gestão de Itamar Franco. Fernando Bezerra comandou a integração nacional na era Fernando Henrique Cardoso. No primeiro governo Dilma Rousseff Garibaldi Alves Filho foi um bem avaliado ministro da previdência enquanto Henrique Alves ocupou o turismo nas gestões de Dilma e Michel Temer.

Ainda tivemos Garibaldi e Henrique presidentes respectivamente do Senado e Câmara dos Deputados.

Nada disso garantiu grandes investimentos ao Rio Grande do Norte. Continuamos precários em infraestrutura e acumulamos outros problemas que levou o Estado à bancarrota fiscal.

Rogério tem a chance de fazer mais e diferente que os outros potiguares alçados à condição de ministro.

Compartilhe:

Presidente da Assembleia elogia escolha de Rogério Marinho para ministério: “em boas mãos”

Presidente da Assembleia elogia Marinho (Foto: ALRN)

Abaixo nota do presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) em que saúda o novo ministro do desenvolvimento regional Rogério Marinho (PSDB).

 

Nota congratulações

Rogério Marinho

 

É com orgulho que parabenizamos Rogério Marinho, potiguar e ex-deputado federal que assume o cargo de Ministro de Estado do Desenvolvimento Regional.

O Ministério foi criado pelo governo do presidente Bolsonaro a partir da junção de duas pastas: os antigos ministérios das Cidades e Ministério da Integração Regional. Ministério esse que tem a função de integrar políticas públicas de infraestrutura urbana e de promoção do desenvolvimento regional e produtivo.

Desejamos sorte na condução de um trabalho tão importante para o nosso Estado, para todo o Nordeste e para o Brasil. Exemplo disso são os projetos de irrigação, como a tão sonhada Transposição do São Francisco, que levará água para todos nós, nordestinos.

Temos certeza que o Ministério do Desenvolvimento Regional está em boas mãos. Assim como em outras missões, Rogério Marinho será grande no trabalho e nos resultados. Sabemos da sua capacidade de trabalho e diálogo que mais uma vez será testemunhada pelos brasileiros.

Conte com o apoio dos potiguares em mais essa nobre missão!

Ezequiel Ferreira

Presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte

Compartilhe:

Marinho de “fritado” a ministro

De “fritado” a ministro (Foto: Sérgio Lima/PODER 360)

O ex-deputado federal Rogério Marinho (PSDB) iniciou o ano de 2020 sob noticiário negativo. Com a crise das filas do INSS a mídia nacional apontava que ele poderia ser demitido.

O tucano estava sendo fritado na função que ocupava no Governo Bolsonaro. Quando fevereiro chegou tudo mudou.

Rogério mudou do segundo para o primeiro escalão e não foi para qualquer pasta: assumiu o desenvolvimento regional que dá a ele interlocução direta com os governadores e o comando do Minha Casa Minha Vida.

Goste-se ou não de Marinho ele tem muito reconhecimento em Brasília e nos grandes centros.

Tanto que foi de “fritado” a ministro.

Compartilhe:

Rogério Marinho é nomeado ministro

Rogério Marinho agora é ministro (Foto: arquivo)

O ex-deputado federal pelo Rio Grande do Norte Rogério Marinho (PSDB) agora é ministro do desenvolvimento regional. O tucano foi nomeado no final da tarde desta quinta-feira pelo presidente Jair Bolsonaro.

Articulador das reformas trabalhista e da previdência, Marinho vinha ocupando o cargo de secretário especial de trabalho e previdência.

A pasta que Rogério assume é responsável por programas habitacionais como o Minha Casa Minha Vida e as obras de integração do Rio São Francisco.

Para o lugar de Marinho, foi convidado o secretário especial de previdência Bruno Bianco. Enquanto o agora ex-ministro Gustavo Canuto foi deslocado para o Dataprev.

 

Compartilhe:

Rogério Marinho vai da badalação ao limbo

Rogério Marinho perdeu força (Foto: arquivo)

Ao ser derrotado nas eleições de 2018, punido pelo eleitor pela relatoria da reforma trabalhista, o ex-deputado federal Rogério Marinho (PSDB) “caiu para cima” ganhando cargo de segundo escalão no Governo Federal.

Na reforma da previdência potiguar entregou o prometido ao presidente Jair Bolsonaro e ao mercado financeiro.

Estava em alta.

Há dois meses este operário da informação com conversava com uma pessoa de trânsito livre em Brasília e ela demonstrava admiração com o respeito conquistado por Marinho.

Não por acaso ele era cotado para ser candidato pelo Estado de São Paulo, onde as reformas rejeitadas no Nordeste têm mais aceitação.

Agora o secretário nacional de trabalho e previdência está sendo fritado nos bastidores do Palácio do Planalto. Pesa contra ele a crise das filas do INSS e a ideia de taxar o seguro-desemprego. Tudo isso num cenário de disputas pela sucessão das presidências das duas casas congressuais. Segundo informações do Estadão.

O tucano foi da badalação ao limbo.

Compartilhe:

Político do RN será entrevistado no Roda Viva

Marinho estará no Roda Viva (Foto: autor não identificado)

Na próxima segunda-feira (18/11), o Roda Viva entrevista o secretário de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho. O programa, ao vivo, apresentado por Daniela Lima, será exibido a partir das 22h, na TV Cultura.

Um dos responsáveis pela aprovação da reforma da Previdência, considerada fundamental para equilibrar as contas do governo, Rogério Marinho também ajudou a formular o plano de incentivo ao emprego, que reduz os custos para empresas que abrirem vagas destinadas a jovens entre 18 e 29 anos. Com a medida, o governo espera gerar 1 milhão e 800 mil empregos, nos próximos dois anos. O pacote também prevê a concessão de 40 bilhões de reais em créditos para pequenos empreendedores.

O Roda Viva conta com uma bancada de entrevistadores (a ser informada em breve) e a participação do cartunista Paulo Caruso. O programa pode ser acompanhado no site da emissora, no Twitter, no Facebook, no YouTube e no aplicativo Cultura Digital.

Compartilhe: