Vereador governista reconhece atrasos salariais da Prefeitura

Rondinelli reconhece dificuldades da Prefeitura com a folha de pagamento (Foto: assessoria(

Ontem em entrevista ao Meio-Dia Mossoró da 95 FM o vereador Rondinelli Carlos (PMN) admitiu que ao contrário da propaganda nas redes sociais a Prefeitura de Mossoró está atrasando.

“Como você tem noticiado, Bruno, a Prefeitura tem atrasado o pagamento de gratificações e horas extras. Mas é preciso compreender que não tem sido fácil para a prefeita que assumiu com três folhas em aberto. Ela tem feito um grande esforço e ainda conseguiu dar um reajuste possível”, argumentou.

Para ele, diferentemente da governadora Fátima Bezerra (PT), a prefeita Rosalba Ciarlini (PP), tomou medidas que melhoraram a situação da folha de pagamento.

Sem crise

O vereador que havia reclamado do secretário municipal de agricultura Jean Carlos Vieira de Souza, disse que já está tudo em paz. “Sou da base da prefeita, mas não deixo de apontar as falhas e assim foi feito nesta questão. Mas agora está tudo resolvido”, garantiu.

 

Compartilhe:

Vereador “usurpa” cadeira de presidente e sessão da Câmara Municipal é suspensa após tumulto

O vereador Rondinelli Carlos (PMN) sentou na cadeira de presidente da Câmara Municipal de Mossoró para conduzir a sessão que vota o Projeto de Lei Complementar proposto pela prefeita Rosalba Ciarlini (PP) com o objetivo de retirar o desconto da contribuição sindical dos contracheques dos servidores.

Na ausência da presidente Izabel Montenegro (MDB) e do primeiro vice-presidente Flávio Tácito (PC do B), a sessão deveria estar sob condução do vereador Alex do Frango (PMB) seguindo a ordem da mesa.

O tumulto começou no momento em que Rondinelli pôs o projeto em votação e passou a ignorar as manifestações dos vereadores da oposição. O líder oposicionista Gilberto Diógenes (PT) chegou a se alterar e partir para cima de Rondinelli e Alex Moacir (MDB), mas foi segurado por colegas.

Alex reivindicou assumir a condução dos trabalhos, mas Rondinelli se recusou a ceder a cadeira ao colega. Neste momento Raério Araújo (PRB) e Sandra Rosado (PSDB) discutiam de forma áspera.

Seguranças chegaram a entrar no plenário para evitar que o tumulto se tornasse ainda mais grave.

Aí houve mais tumulto e a sessão que chegou a ser encerrada por Alex do Frango em outro microfone da mesa terminou por ser suspensa para acalmar os ânimos.

Rondinelli sequer faz parte da mesa e só poderia presidir a sessão em caso de ausência dos membros da direção da casa conforme deixa claro o Regimento Interno da casa em seu artigo 38:

CAPÍTULO III Da Substituição da Mesa

Art. 38 – Em suas faltas ou impedimentos, o Presidente da Mesa será substituído pelo 1° Vice-presidente e, estando este ausente, pelo 2° Vice-presidente.

Parágrafo Único – Não estando presentes ambos substituirão o Presidente, sucessivamente, o 1° e o 2° Secretários.

Art. 39 – Ausentes, em Plenário, os Secretários, o Presidente convidara qualquer Vereador para a substituição em caráter eventual.

Compartilhe:

Em discussão acalorada, vereador insinua que colega se vendeu ao governismo

Vereadores trocam farpas (Foto: Blog do Barreto)

Momento de testosterona alta na Câmara Municipal de Mossoró. Os vereadores Rondinelli Carlos (PMN) e Raério Araújo (PRB) debatiam sobre a situação das estradas na Zona Rural da cidade.

Rondinelli defendendo a Prefeitura de Mossoró. Raério criticando.

A discussão descambou para o lado pessoal.

Ao ser criticado por Raério, Rondinelli disse que só quem poderia julgá-lo era o povo.

Aí Raério disparou: “Não posso te julgar, mas posso dizer que Raério Cabeção não se vendeu”.

Como Raério foi eleito pela oposição e continua no mesmo lugar enquanto Rondinelli migrou para o governismo o parlamentar do PMN se alterou e foi para cima do colega.

A turma do “deixa disso” evitou que houvesse vias de fato.

As vereadoras Aline Couto (sem partido) e Sandra Rosado (PSDB) se solidarizaram com Rondinelli e outros parlamentares intervieram em defesa da instalação de uma Comissão de Ética na casa.

 

Compartilhe:

“Síndrome de Claudionor”

Eis um caso para os psicanalistas estudarem: o fenômeno dos parlamentos que homenageiam quem nada faz pela sua aldeia.

Em 2013, o então vereador Claudionor dos Santos decidiu homenagear a época presidente da Petrobras Graça Foster, justo ela que iniciou o processo de desmonte da estatal em Mossoró.

O pioneiro fez escola.

Agora Rondinelli Carlos se inspira no passado para passar vergonha no presente dando título ao presidente da FIESP, Paulo Skaff.

O parlamentar está com “Síndrome de Claudionor”.

Compartilhe:

Câmara concede título de cidadão mossoroense a empresário sem serviços prestados à cidade e envolvido em escândalos

Skaff receberá homenagem sem fazer por merecer (Foto: UOL)

Por proposição do vereador Rondinelli Carlos (PMN) a Câmara Municipal de Mossoró aprovou o título de cidadão mossoroense para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Paulo Skaff.

Filiado ao MDB, Paulo Skaff tem tentado seguida vezes conquistar mandatos eletivos sem sucesso na política paulista.

Ele está sendo investigado por caixa 2 pela Polícia Federal. Em outra investigação ele mesmo admitiu ter pedido dinheiro a Marcelo Odebrecht. Este caso também está sob suspeita de ter sido a título de propina.

Skaff não tem qualquer serviço prestado a Mossoró.

O Blog do Barreto tomou o cuidado de ler a justificativa dp vereador Rondinelli Carlos que alega de forma genérica o bom relacionamento do presidente da FIESP com os empresários locais para embasar a proposição. “Paulo Skaf sempre teve uma boa relação com o segmento empresarial da cidade de Mossoró e de todo Estado do Rio Grande do Norte, buscando potencializar a economia potiguar em outros centros empresariais”, alegou.

Nota do Blog: as lições do mico que foi sugerir título de cidadania para a ex-presidente da Petrobras Graça Foster não foram aprendidas pelo nosso legislativo. Tanta gente que faz por Mossoró e não recebe reconhecimento. Aí um cidadão que nunca fez nada pela cidade recebe homenagem.

Que vergonha!

Compartilhe:

NÃO FOI RONDINELLI. Documentos mostram de quem partiu título de persona non grata para Marleide

Ao contrário do que declarou no Meio-Dia Mossoró (95 FM) a presidente do Sindserpum Marleide Cunha, não partiu do vereador Rondinelli Carlos (PMN) o requerimento propondo o título de persona non grata para a sindicalista.

O autor da proposição (ver imagem) é o vereador Flávio Tácito (PPL) que contou com o apoio dos outros colegas governistas que subscreveram a proposta.

Segundo a Assessoria de Comunicação da Câmara quando um outro parlamentar faz isso se torna também autor da matéria.

É preciso entender que são duas matérias. Uma propondo o título e outro evocando o artigo 332 que proíbe pessoas que receberam título de persona non grata sejam impedidos de receber honrarias em Mossoró.

Confira os dois requerimentos (é lá embaixo que você verá que o autor é Flávio Tácito).

REQUERIMENTO 1

REQUERIMENTO 2

Compartilhe:

Marleide revela nome do vereador que sugeriu título de persona non grata

Durante a entrevista ao Meio-Dia Mossoró (95 FM) de hoje a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDSERPUM) Marleide Cunha revelou que coube ao vereador Rondinelli Carlos (PMN) ser o autor do projeto que concedeu a ela o título de persona non grata.

Os outros 12 membros da bancada governista votaram a favor da proposta. Dos aliados da prefeita Rosalba Ciarlini (PP), apenas Ricardo de Dodoca (PROS) estava ausente.

Rondinelli foi eleito em outubro de 2016 pelo campo da oposição, mas no ano passado decidiu aderir ao governismo com direito a presença da família nas galerias da Câmara Municipal para fazer o anúncio formal na Tribuna.

Desde então ele passou a ter a honra questionada nas redes sociais.

Nota do Blog: Veja os documentos que esclarecem o assunto AQUI.

Compartilhe:

Vereador da oposição faz insinuações sobre honra de neogovernista: “Não foi Raério que se vendeu”

Raério e Rondinelli batem boca em sessão

Blog Saulo Vale

O clima esquentou na Câmara Municipal de Mossoró nesta quarta-feira (29) quando o vereador oposicionista Raério Araújo (PRB) questionou os elogios feitos pelo neogovernista Rondinelli Carlos (PMN) à gestão Rosalba Ciarlini (PP).

“Depois que o senhor foi para a situação, tudo ficou bom”, disparou Raério.

O embate chegou a níveis de estresse e ânimos acirrados. “Não é um, nem dois que vai denegrir a minha imagem. Eu exijo respeito”, retrucou Rondinelli, acrescentando que passou para o governismo para “ajudar o município”.

“Quem merece respeito é a população. Não foi Raério que se vendeu”, alfinetou o vereador Raério.

A discussão continuou. O líder do governo, Alex Moacir (MDB), tentou acalmar os ânimos. Sem jeito.

Sessão prosseguiu. Cada um para o seu lado. E lados agora bem opostos.

Nota do Blog: mudar de lado é comum na política. Quando se sai da base governista para migrar para a oposição é uma travessia sem questionamentos morais. Quando se faz o inverso as dúvidas emergem ainda mais quando se adere a um governo ruim. Rondinelli Carlos terá que arcar com esse desgaste.

Compartilhe:

Vereador se prepara para trocar oposição por secretaria

O vereador Rondineli Carlos (PMN) afivela as malas para trocar a bancada de oposição pela Secretaria Municipal de Agricultura.

Em contato com o Blog do Barreto ele não chegou a confirmar nem negar de forma categórica. Disse existir muita especulação.

Mas o parlamentar já faz convites para montagem da equipe. Ele pegará uma pasta que está sem comando há seis meses.

PS.: quem assume a vaga de Rondineli é o suplente Costinha (PMN) que teve 1.329 votos.

Compartilhe:

Oposição rebate declarações de Izabel ao Blog do Barreto

A bancada de oposição na Câmara Municipal rebateu as críticas (ver AQUI) da vereadora Izabel Montenegro (MDB), presidente da casa, de que é preciso conter o excesso de pedidos de urgência no legislativo municipal.

Segue abaixo a nota:

NOTA:

Os vereadores e a Vereadora da bancada de oposição da Câmara Municipal de Mossoró, vêm por meio desta, lamentar e manifestar total desacordo à declaração da vereadora Izabel Montenegro em pronunciamento ao Blog do Barreto em que afirmou estar sendo uma “ banalização” a prática da solicitação de votações de projetos em regime de urgência especial por parte dos vereadores durante as Sessões Legislativas.

Ressalta-se aqui, que os pedidos de urgência não interferem na tramitação dos demais projetos e que os referidos pedidos de votação em urgência especial vão de encontro aos anseios da população, considerando que as propostas que são apresentadas pelos vereadores por meio de requerimentos e projetos demandam de reivindicações populares as quais necessitam sim de agilidade nas tramitações para que medidas, providências e soluções tão logo sejam tomadas para benefício de todos e todas.

Portanto, enquanto parlamentares, tratando de matérias de ordem pública e de interesse comum à população local, compreendemos ser pertinentes tais solicitações e não uma prática “ banal ”.

Assinam:

Alex do Frango

Genilson Alves

Isolda Lula Dantas

Ozaniel Mesquita

Petras Vinícius

Raério Araújo

Rondinelli Carlos

Para saber mais clique AQUI

Compartilhe: