RN tem primeira suspeita de coronavírus

O Rio Grande do Norte por ter o primeiro caso de coronavírus. Por meio de nota a Secretaria Estadual de Saúde Pública informa que um caso está sob investigação.

Confirma a nota:

 

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA

 

 

NOTA

NATAL (RN), 13 de fevereiro de 2020.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública convoca para entrevista coletiva a ser realizada nesta sexta-feira (14), às 8h30, na Escola de Governo, para apresentar todas as informações apuradas ao longo do dia de hoje e dirimir as dúvidas sobre o caso do paciente que está em observação no Hospital Giselda Trigueiro.

A Sesap informa que no momento está apurando os fatos para que possa inferir se há ou não um caso suspeito de Infecção Humana pelo Novo Coronavírus, uma vez que para ser considerado caso suspeito esse deverá atender aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde. No momento as investigações estão em curso e ainda não há informações precisas.

Compartilhe:

Saúde vira instrumento de “lacração” nas redes sociais

Imagem relacionada

Qualquer crítica que seja feita a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) logo surgem nas redes sociais a horda de devotos afirmando que o Hospital Regional Tarcísio Maia está um caos.

Sim está e sempre esteve, inclusive quando a hoje prefeita era governadora.

E no que citar o HRTM anula os malfeitos da atual gestão municipal? Em nada. Parte dos problemas do hospital estadual passa por falhas na rede municipal de saúde nos postos de saúde e UPAs.

Não se trata de defesa do HRTM. Muito pelo contrário. A falta de leitos de lá deixa as ambulâncias do SAMU sem macas. Outro problema!

É preciso grandeza para se firmar parcerias deixando as diferenças políticas de lado.

O que quero dizer? Ninguém está preocupado com os problemas que existem na saúde, mas em cumprir a missão de lacrar e se valorizar frente aos amos palacianos.

A saúde tem que ser uma luta de todos. Não adianta lacrar cobrando do governo e se calar diante dos problemas municipais e vice e versa.

Saúde não pode ser instrumento de “lacrações” em redes sociais. Ou se cobra por tudo ou se cala.

Compartilhe:

Degradação humana diária na Leste Oeste

craque1
 
Estou profundamente incomodado com algumas cenas de degradação humana que vejo diariamente no semáforo da Avenida Leste/Oeste. São seres humanos destruídos pelas drogas mendigando para manter o vício.
 
O insensível dirá: “pelo menos não estão roubando”.
 
O problema é muito mais sério do que o celular tomado pela violência. São vidas sendo destruídas pela maldição do crack. O poder público ignora olimpicamente a situação de risco desses jovens que perambulam naquela área principalmente pelas madrugadas.
 
Droga é problema de saúde pública e é a provocadora de boa parte da violência que nos assola.
 
Uma tristeza!
Compartilhe:

Prefeitura fará licitação para compra de insulina

Secretário de Saúde Benjamin Bento

O secretário de Saúde Benjamin Bento confirmou que está sendo finalizado o trâmite para abertura do processo licitatório de aquisição das insulinas especiais, distribuídas através da rede municipal.

A Prefeitura de Mossoró pretende garantir o fornecimento das insulinas, incluindo também Humalog e Lantus. Nos próximos dias a licitação será aberta e a regularização do fornecimento ocorrerá para os todos os pacientes que dependem dessa medicação.

Compartilhe:

Hospital Tarcísio Maia ganha nova área para ultrassonografia

WhatsApp Image 2017-02-07 at 19.59.39 (1)

Em meio a tantos problemas uma boa notícia para o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) que passa a contar com uma nova área para a ultrassonografia. “A sala terminamos ontem. O equipamento já existia em pleno funcionamento, porém, em uma sala menos confortável”, explicou o diretor Jarbas Mariano.
Outra novidade trazida por Jarbas Mariano é que o antigo espaço da ultrassonografia será reaproveitado para repouso dos técnicos da tomografia. “A antiga sala será restaurada e passará a ser o estar dos técnicos de tomografia, que não tinham estar adequado”, acrescentou.

Compartilhe:

Sindsaúde denuncia sobrecarga de trabalho para enfermeiros

sinsaúde

A Resolução 527 do Conselho Federal de Enfermagem determina a quantidade apropriada de profissionais de enfermagem por paciente. Estes parâmetros são importantes para garantir um atendimento digno para os pacientes, bem como para delimitar parâmetros para delimitar a sobrecarga de trabalho.

Segundo o artigo 3º da resolução, um profissional de enfermagem deve dedicar ao menos 4 (quatro) horas de enfermagem por paciente. Uma equipe de um enfermeiro e dois técnico/auxiliar de enfermagem deve cuidar de no máximo 18 pacientes em um plantão de 24 horas.   Contudo, as cifras do Tarcísio Maia costumam ser bem maiores.

O Sindsaúde Mossoró já denunciou situações de sobrecarga excessiva de trabalho, como no plantão em que apenas duas técnicas de enfermagem suportavam a demanda de 42 (quarenta e dois) pacientes (foto acima), ou quando apenas 1 (um) técnico de enfermagem atendia 32 (trinta e dois) pacientes ao mesmo tempo.

No Hospital Regional Tarcísio Maia, os profissionais de enfermagem estão sujeitos à sobrecarga de trabalho em pelo menos 42% das vezes. Atinge-se este número quando cruza-se os parâmetros do Conselho Federal de Enfermagem com a capacidade de leitos no HRTM (Pronto Socorro) e o número de pacientes em macas e em corredores, nos levantamentos do Corredômetro-RN.

É atribuição do COREN a fiscalização do exercício profissional da enfermagem, e por isso os servidores pagam a anuidade e inclusive a taxa de renovação da carteirinha. Cobramos, portanto, dos representantes do COREN para que visitem as dependências do Hospital Tarcísio Maia, com o intuito de realizar um dimensionamento de vagas, e aferir as condições de trabalho  e a ocorrência de sobrecarga de trabalho na unidade hospitalar.

Texto e foto: Sindsaúde 

Compartilhe:

Prefeitura anuncia transferência de mais de R$ 2 milhões a prestadores de serviços da saúde

A Secretaria de Saúde de Mossoró confirmou o repasse de 2.485.978,034 para prestadores que complementam o serviço SUS no Município. Os valores foram creditados nesta sexta (27).

A Associação de Assistência e Proteção a Maternidade e a Infância de Mossoró (APAMIM)  recebeu recursos da ordem de R$ 1.061.058,95. Os valores foram repassados ainda para Rede Cegonha, hospitais, laboratórios, entre outros. A Liga Mossoroense de Estudos e Combate ao Câncer não recebeu o repasse porque não apresentou a nota de serviço relativa ao mês anterior.

Segundo o secretário de Saúde, Benjamin Bento, o recurso entrou no dia 10 deste mês, mas em virtude do processo de abertura de orçamento, hoje os valores foram creditados e todo o repasse efetuado. “Todos os que apresentaram a produção de dezembro estarão recebendo integralmente para que possam se capacitar e continuar servindo e cuidando da população”, disse a prefeita Rosalba Ciarlini.

Compartilhe: