Sindicalista afirma que Fátima escolheu secretário que tentou ligar governadora eleita ao crime organizado

Vilma Batista critica escolha de Fátima (Foto: autor não identificado)

Blog Diário Político

Em rápida conversa com o Blog Diário Político, Vilma Batista (foto), presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários do Rio Grande do Norte (Sindasp-RN) afirmou que a categoria se posiciona contra a indicação de Mauro Albuquerque para assumir a nova secretaria Estadual de administração penitenciária. Atualmente Mauro está a frente da SEJUC (Justiça e cidadania) que será desmembrada.

Perguntada sobre os motivos que levam os agentes penitenciários a terem posição contrária ao futuro secretário, Vilma Batista diz que é “pela péssima gestão de pessoas, assédio moral, perseguição e abuso de poder.” A presidente do sindicato expôs ainda detalhes da campanha feita por Mauro durante o processo eleitoral.

“Além dele [Mauro Albuquerque] fazer campanha contra a candidatura de Fátima no sistema [penitenciário], relacionando ela ao crime organizado”, afirmou Vilma.

A categoria pede que a Governadora eleita indique alguém do quadro atual dos agentes penitenciários para gestão da pasta, assim como fez com a polícia civil, militar e bombeiros.

MOBILIZAÇÃO

Nesta terça-feira 27/11, membros do Sindasp-RN estarão ao lado de demais servidores Estaduais num grande protesto em frente a Governadoria em Natal para cobrar investimentos na segurança prisional e salários em dia.

Compartilhe:

Associação elogia Fátima por respeitar lista tríplice na escolha da delegada geral da Polícia Civil

Abaixo nota da A Associação dos Delegados de Polícia Civil (ADEPOL/RN) que parabeniza a escolha da delegada Ana Vláudia Saraiva Gomes para o comando da PC estadual.

NOTA

 

A Associação dos Delegados de Polícia Civil (ADEPOL/RN) vem a público parabenizar a governadora eleita, Fátima Bezerra, pela indicação da delegada Ana Claudia Saraiva Gomes ao cargo de delegada geral. Ao tempo em que manifesta apoio aos demais integrantes, anunciados ontem (23) para a cúpula da segurança pública.

Dra. Ana Claudia possui uma respeitada história na Polícia Civil e demonstrou ter a representatividade necessária para exercer a chefia da instituição, já que foi escolhida pelo Colegiado de Delegados para configurar na lista tríplice apresentada como sugestão à governadora eleita.

A ADEPOL/RN faz votos para que a futura delegada geral possa liderar a instituição combatendo a criminalidade organizada, os crimes violentos letais intencionais, sempre respeitando os direitos humanos e o cumprimento dos deveres constitucionais da Polícia Civil.

Deste modo, a ADEPOL/RN agradece e parabeniza à governadora pela postura democrática e de respeito à Polícia Civil e à população potiguar.

Compartilhe:

Finalmente um especialista em segurança na equipe de Fátima

Blog Saulo Vale

O coordenador do Observatório da Violência do RN (OBVIO), Ivênio Hermes, passa a integrar a equipe de transição da governadora eleita Fátima Bezerra (PT).

Ivênio vai suprir o vácuo que o grupo de transição tinha de um nome voltado para a segurança pública. Ele é especialista em Gestão e Políticas de Segurança Pública. Coordenou operações de segurança especiais regionais e nacionais em estados como Rio Grande do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo, além de ter coordenado também o Núcleo de Assuntos Internos da Corregedoria de Polícia no Rio de Janeiro. Esteve à frente também do Setor de Estatísticas da Secretaria de Segurança do RN durante os seis primeiros meses de 2015.

A equipe de transição volta a se reunir na próxima quarta-feira (14), em Natal, às 11h, com a presença de todos os integrantes.

Confira o currículo de Ivênio Hermes AQUI.

Compartilhe:

Equipe de transição sinaliza dificuldades de Fátima para encontrar quadros na área de segurança

Após o anúncio da equipe de transição um assunto chamou atenção: a ausência de um(a) especialista em segurança.

Na verdade, há uma meia verdade nisso.

Na equipe existe ao menos uma pessoa identificada com a área. Trata-se da promotora e professora da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) Erica Verícia Canuto de Oliveira Veras.

A atuação dela é focada na questão da violência contra mulher e na pesquisa sobre a área criminal. É uma atuação relevante (ver currículo abaixo), mas sem a abrangência necessária para um dos Estados mais violentos do país.

A dificuldade de Fátima em encontrar quadros para a área da segurança está exposta na equipe de transição, mas não será uma exclusividade do futuro governo. Nas gestões de Rosalba Ciarlini (2011/14) e Robinson Faria (desde 2015) foi necessário importar quadros de outros Estados.

Currículo

Erica é coordenadora do Núcleo de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar (NAMVID) do Ministério Público, coordenadora da Violência Doméstica dos Companheiros das Américas do Comitê do Rio Grande do Norte, membro do Comitê Estadual de Enfrentamento à Violência contra a Mulher e membro do Comitê Estadual de Defesa da Mulher em Situação de Cárcere. Tem experiência na área de Direito e Ciências Sociais. É palestrante e pesquisadora nas seguintes áreas de interesse: violência Doméstica contra Mulheres e Meninas, Direito Criminal, Direito de Família, Direito da Criança e do Adolescente, Direitos Humanos, relações de gênero e diversidade sexual.

Com informações do site O Escavador

Compartilhe:

Candidatos ao Governo receberão estudo sobre segurança

Delegada Paoulla Maués destaca participação da população (Foto: Canindé Soares)

A Associação dos Delegados de Polícia Civil do RN (Adepol/RN) irá entregar no próximo dia 11, a todos os candidatos ao governo do estado, o estudo proveniente da campanha “Eu Decido a Segurança do RN”. Foram muitas avaliações e propostas registradas em todas as mesorregiões do estado e tudo está sendo compilado num grande documento a ser disponibilizado aos governadoráveis. “A campanha foi uma surpresa positiva para nós, já que não imaginávamos que o engajamento da população seria tão grande”, avaliou a delegada Paoulla Maués, presidente da Adepol/RN.

A pesquisa esteve à disposição do público em um site, durante todo o mês de agosto. Nela as pessoas respondiam a simples perguntas objetivas sobre a violência que acomete o nosso estado e no final podiam escrever em linhas livres suas ideias para melhorar a situação da segurança pública. “O mais interessante é que por reiteradas vezes observamos pedidos de participantes no sentido de que suas opiniões fossem de fato ouvidas e o resultado da pesquisa fosse levado à sério pelos candidatos ”, contou a delegada. Todos os dados estão sendo analisados e descritos por professores da Universidade Federal do RN que compõem a incubadora IN-Pacta.

Segundo o professor do mestrado profissional de tecnologia e inovação da UFRN e coordenador da pesquisa, Gláucio Brandão, da forma como foi abordada, a pesquisa tende a ser um marco no que diz respeito à Estatística Inteligente. “A metodologia usada, baseada em Inteligência Artificial (IA), foi capaz de apontar correlações não perceptíveis pela estatística convencional.”

Segundo o especialista, a pesquisa conseguiu correlacionar dados aparentemente distantes como IDH, gfênero, aixa etária, a infraestrutura policial e os tipos de crimes como nunca antes havia sido feito. “Além disso, conseguimos gerar um árvore de decisão capaz de sugerir diretrizes para os gestores no tocante à segurança”, observou Gláucio Brandão.

No dia 11, na Assembleia Legislativa, os pesquisadores irão apresentar os relatórios da pesquisa e em seguida os candidatos ao governo receberão em mãos os estudos. Foram convidados para a ocasião advogados, promotores, magistrados, auditores fiscais, membros de instituições religiosas, entidades representativas de classe, FIERN, CDL, policiais civis e militares e representantes da classe política do nosso estado como deputados federais, estaduais e vereadores, entre outras autoridades políticas.

A entrega do relatório está marcada para as 10h30  e todos os candidatos foram convidados.

Compartilhe:

Bancada federal do RN não liberou nenhum centavo para segurança em 2018

RN bate recordes de violência e emendas não são liberadas para segurança

O Rio Grande do Norte acumula índices assustadores na área de segurança pública. O Estado atingiu o índice de 68 mortes violentas para cada 100 mil habitantes, um dado que o coloca como o campeão nacional de homicídios.

Natal, Mossoró, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante e Ceará-Mirim estão entre as 123 cidades mais violentas do país. O Rio Grande do Norte encerrou 2017 com 2.405 mortes violentas.

Diante desse quadro assustador e da notória incapacidade de o nosso Estado combater essa situação, o que a nossa bancada federal tem feito?

O Blog do Barreto fez um levantamento junto ao Datascópio e ao Siga Brasil para averiguar quanto foi apresentado em emendas. Até o dia 10 de agosto (última atualização dos sistemas) nenhum centavo de recursos federais foi liberado para o Rio Grande do Norte por intermédio das emendas de nossos representantes. Há casos de parlamentares que sequer apresentaram emendas para a área da segurança.

Confira o quadro abaixo:

 

Senadores

 

Senador Valor da emenda Liberado
Fátima Bezerra R$ 100 mil 0
José Agripino Maia R$ 0 0
Garibaldi Alves Filho R$ 100 mil 0
Total R$ 200 mil 0

Deputados federais

Deputado Valor da emenda Liberado
Zenaide Maia R$ 250 mil 0
Felipe Maia R$ 100 mil 0
Rogério Marinho R$ 0 0
Antônio Jácome R$ 300 mil 0
Fábio Faria R$ 200 mil 0
Rafael Motta R$ 365.135 0
Beto Rosado R$ 300 mil 0
Walter Alves R$ 100 mil 0
Total R$ 1.615.135 0

No total, somando as duas bancadas (Senado e Câmara), são R$ 1.815.135 no Ministério da Justiça e Segurança Pública (conforme as rubricas), mas até agora nada liberado para o Estado.

RECURSOS

O deputado federal Felipe Maia (DEM) relatou ontem nas redes sociais que entregou um pedido ao ministro da segurança pública Raul Jungmann para liberar R$ 80 milhões em investimentos em segurança. Mas não se tratam de verba relacionada a emendas parlamentares. A promessa é que esses recursos sejam enviados até o fim do ano.

Compartilhe:

Ex-secretário de segurança revela que existem pedidos na polícia do tipo “não investigue que é gente minha”

Em entrevista em um Canal do Youtube (ver vídeo abaixo) chamado Tribuna Livre o ex-secretário estadual de segurança general Eliezer Girão revelou que dentro do âmbito da segurança do Rio Grande do Norte existem pedidos para evitar investigações de crimes vindo dos altos escalões do Estado.

No bate-papo ele afirma que “ a ordem que eu sei que está acontecendo aqui no Rio Grande do Norte… essa ordem existe aqui é ‘não investiga porque é gente minha’”.

O Blog do Barreto fez contato com o ex-secretário de segurança da administração da então governadora Rosalba Ciarlini (PP). Ele negou que isso tenha acontecido na gestão dele na pasta. “Eu nunca iria aceitar uma Ordem Absurda. Passei para a Reserva do Exército exatamente por ter recebido uma Ordem Absurda do Ex-presidente Lula e disse que não iria cumprir. Não permiti que minha Tropa fosse empregada para tal. Essa Ordem é recente”, explicou.

O general, que até março estava atuando na Secretaria Municipal de Defesa Social, lamentou que exista politização das polícias. “Os Governadores controlam as Polícias, principalmente a Investigativa. Preciso lhe dizer algo mais? No meu caso, como lhe afirmei antes, nas vezes que exerci esse cargo, com muita honra, fiz por merecer meu caráter e não o tal de salário. Compromisso deve ser com a sociedade e não com um Grupo político.  Esse pensamento deveria ser de todos”, analisou.

Abaixo o vídeo com as declarações do general Girão

Compartilhe:

RN tem 859 policiais militares fora das ruas

pmrn

O Blog do Barreto teve acesso a planilhas da Polícia Militar que mostram uma situação preocupante: são 859 policiais militares à disposição de órgãos públicos ou em licença especial.

Só à disposição da Governadoria são 113 homens. Ao Tribunal de Justiça outros 99. Em licença especial são mais 146.

O Rio Grande do Norte tem 7.482 Policiais Militares. São 11,48% trabalhando em outros órgãos que poderiam muito bem ter segurança particular própria como o judiciário, por exemplo. Isso sem contar os que exercem funções administrativas nos batalhões.

Vale lembrar que quando Robinson Faria (PSD) assumiu o Governo 22% dos PMs estavam fora das ruas. O percentual foi reduzido, mas segue alto segundo a fonte do Blog que repassou as planilhas.

O Governo do Estado tentou realizar um concurso para diminuir esse déficit, mas o certame está suspenso pela Justiça para realizar correções no edital.

Compartilhe:

Capitão Styvenson Valentim está sem filiação partidária, mas mesmo assim pode ser candidato

Styvenson Valentim

Mesmo sem estar filiado a partido político o celebre Styvenson Valentim pode ser candidato nas eleições deste ano. A legislação eleitoral trata os militares de forma diferenciada.

Para se ter uma ideia, militares não precisam sequer filiar-se a partidos políticos. Por ser militar da ativa, basta ser escolhido em convenção por alguma agremiação.

Para Styvenson Valentim entrar no jogo político deste ano basta ele se desincompatibilizar da função três meses antes do pleito eleitoral.

Alguns leitores do Blog do Barreto passaram a fazer questionamentos a respeito da possibilidade de o militar depois de um vídeo viralizado em que ele faz um desabafo sobre a segurança pública.

Styvenson Valentim ficou famoso pela atuação na Blitz da Lei Seca em que mostrava tolerância zero com quem bebe e dirige.

Veja o vídeo abaixo

Compartilhe: