Abrigo Mossoró tem cerca de 70 animais para adoção

No Instagram @abrigomossoro, interessados podem ver animais disponíveis para adoção e conhecer as campanhas do Abrigo (Imagem: Reprodução)

Aproximadamente 20 cães e 50 gatos resgatados estão no Abrigo Mossoró atualmente. Para manter os cuidados com os animais em situação de risco que esperam por adoção no lar temporário, a ONG conta com a ajuda da população.

A responsável pelo Abrigo, Graça Lima, conta que o local continua funcionando e a procura para que a equipe realize resgates de outros animais é enorme todos os dias. Porém como há muitos animais adultos que, mesmo castrados e saudáveis, não conseguem ser adotados, o espaço vai ficando restrito.

Para adotar um dos animais, o interessado deve entrar em contato pelo Instagram @abrigomossoro. Na página é possível ver quais animais estão disponíveis. Ao identificar qual melhor amigo lhe conquistou, o passo seguinte é enviar direct para o perfil e receber um questionário de avaliação, que ajudará  aperceber se o candidato está apto para a adoção, caso seja aprovado, no dia em que recebe o animalzinho o novo responsável assina um termo de compromisso.

Todos os animais são entregues castrados. Já com relação à vacinação, como o Abrigo não tem recursos suficientes, não é possível vacinar os animais.

Segundo Graça, depois do dia 15 de cada mês a situação fica mais difícil. Neste período, através de uma live realizada por artistas da cidade, a ONG recebeu ajuda que permitir uma melhoria até o final do mês.

Mas as doações continuam sendo recebidas, para colaborar com as doações durante a quarentena, os voluntários podem procurar um dos petshops parceiros, como o Pet’s Clínica Veterinária e Petshop e a Top Rações e Pet.

Os interessados também podem contribuir aderindo a alguma das campanhas desenvolvidas pelo Abrigo.

Compartilhe:

Família de vítima da covid-19 faz campanha de arrecadação de donativos

Objetivo é arrecadar cestas básicas para serem distribuídas a pacientes do Hospital do Rim e famílias de Severiano Melo (Imagem: Reprodução)

Como forma de homenagem, familiares de Goreti Melo, que faleceu vítima do coronavírus em Mossoró na terça-feira passada, 28, estão realizando uma campanha solidária de arrecadação de cestas básicas.

A campanha teve início em grupos de WhatsApp e a arrecadação de cestas se estende até a próxima segunda-feira, 4, data do 7º dia de falecimento de Goreti Melo. “‘Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem’ – Romanos 12:21. Não existe exercício melhor para o coração do que ajudar a quem precisa, exercício este que fazia Goreti Melo feliz e realizada”, diz um trecho da mensagem que circula nos grupos.

A mensagem explica que as doações poderão ser realizadas com a própria cesta básica e/ou via conta (transferência ou depósito bancário). Quem quiser contribuir com a doação das cestas pode entrar em contato com Rodolfo Maciel, filho de Goreti e um dos organizadores da campanha, através do WhatsApp (84) 99635-7120.

Rodolfo Maciel informa que para cada cesta doada a família doará mais uma até o total de 100 cestas. Até agora, 25 cestas já foram repassadas à família.

Segundo ele, as cestas serão entregues a pacientes carentes que realizam hemodiálise no Hospital do Rim de Mossoró, onde a mãe também fazia tratamento. Rodolfo conta que a assistente social do hospital já foi contatada para fazer uma relação das pessoas que serão contempladas. As demais cestas serão entregues em Severiano Melo, cidade de origem de Goreti Melo.

Dados bancários para contribuições financeiras:

Banco do Brasil:  Agência 8636-3/ Conta Corrente 11971-7

Caixa Econômica Federal: Agência 0560/ Operação 001/ Conta corrente: 24684-4

Compartilhe:

Dirigente do Solidariedade considera cedo para falar em união das oposições

O ex-prefeito de Almino Afonso e dirigente do Solidariedade Lawrence Amorim considera possível unir as oposições em Mossoró, mas pondera que ainda é cedo para tratar do assunto.

A declaração foi dada em entrevista ao Meio-Dia Mossoró da 95 FM.

No entendimento dele a necessidade de mudar os métodos administrativos da Prefeitura de Mossoró são um fator de interesse comum mesmo entre os contrários. “Estamos insatisfeitos como toda população. Rosalba faz um governo medíocre”, dispara.

Ele disse que a solenidade de posse do deputado estadual Allyson Bezerra como presidente do diretório municipal do Solidariedade teve um efeito simbólico significativo: “Mostramos que em Mossoró tem oposição”.

 

Compartilhe:

Artistas mossoroenses se mobilizam para arrecadar recursos para músico que sofre com doença misteriosa

Um grupo de artistas mossoroenses estão se movimentando para arrecadar recursos para custear o tratamento do músico Ivan Junior que está sofrendo com uma doença misteriosa que atingiu as articulações dele.

O artista está sem conseguir andar e precisa fazer alguns exames que o Sistema Único de Saúde (SUS) não cobrem.

Entre os organizadores está o publicitário e músico Dayvid Almeida.

Está sendo preparada uma feijoada no próximo domingo para arrecadar fundos e doações para Ivan.

Confira a entrevista de Dayvid Almeida explicando a situação do colega.

Abaixo as contas aptas a receber as doações. Quem tiver alguma dúvida entrar em contato através do número de celular (088) 99792-3772.

Compartilhe:

Deputados entram com ação para obrigar Governo a pagar salários atrasados

Deputados entram com ação conjunta (Foto: Tribuna do Note)

Os deputados estaduais do Solidariedade Kelps Lima, Allyson Bezerra e Cristiane Dantas acabam de ingressar na Justiça com um pedido de liminar para que a governadora Fátima Bezerra (PT) pague os salários atrasados dos funcionários públicos do RN com o dinheiro que já está estocado no caixa do Governo.

Os deputados são representados na ação popular pelo advogado e ex-vice-governador do Estado, Fábio Dantas (SD), e também trabalham no caso os advogados Caio Vitor Barbosa e Jules Queiroz.

A ação popular dos deputados pede a nulidade de retenção dolosa de proventos de servidores ativos e inativos.

Os deputados informaram à Justiça que o Governo tem salários atrasados desde 2017 e, mesmo assim, está mantendo dinheiro em caixa do Governo sem quitar os vencimentos dos servidores, que estão em desespero com as economias pessoais em frangalhos e vivendo dramas familiares de questão alimentar.

“Os salários têm natureza alimentar e, por força do expresso pelo art. 7º, X, da Constituição Federal, não podem ser retidos dolosamente, seja pelo empregador privado, seja pela Administração Pública. Por isso, sobrepõem-se, quanto à ordem de pagamento, a todos os demais débitos”, diz um trecho da ação.

Compartilhe:

Bloco de oposição será formalizado na Assembleia com até 10 deputados

Kelps Lima poderá ser líder da oposição (Foto: autor não identificado)

Após quatro anos, a bancada de oposição voltará a ser formalizada na Assembleia Legislativa com um grupo que reunirá entre oito e dez deputados.

A tendência é que o bloco seja liderado pelo deputado estadual Kelps Lima (SD).

O grupo reunirá parlamentares do Solidariedade (incluindo Allyson Bezerra e Cristiane Dantas), PSDB (Gustavo Carvalho e José Dias), MDB (Hermano Morais confirmado) e de outros partidos.

Durante os quatro anos de governo Robinson Faria (PSD) o bloco de oposição nunca foi formalizado na Assembleia Legislativa.

Compartilhe:

Capitão Styvenson foca no eleitor desiludido com a política e confunde atividade partidária com blitz de trânsito

Capitão Styvenson

Pouco se sabe sobre o que o capitão Styvenson Valentin pensa sobre diversos assuntos. Confesso que darei o benefício da dúvida se ele vai adotar teses bolsonaristas. Espero que não.

Candidato a fenômeno eleitoral em 2018, o militar deu uma entrevista na última sexta-feira (ver AQUI) dizendo que se alguém oferecer dinheiro a ele dará voz de prisão e uns tapas. A primeira atitude conquista o eleitor desiludido com a política. A segunda flerta com o bolsonarismo, um risco para quem vai se aventurar numa disputa majoritária.

Tentar conquistar o eleitor desiludido com a política é legítimo, diga-se. No entanto, é preciso ter um discurso realista. Vou dar um exemplo: não é ilegítimo o presidente de um partido procurar um pré-candidato forte como ele e oferece a estrutura financeira do fundo partidário. Pertence ao processo político. O capitão vai dar uns tapas no interlocutor? Creio que não. Quando adota o discurso fácil o capitão fica exposto a contradições que podem lhe expor lá na frente.

O moralismo de goela anda de mãos dadas com a hipocrisia. Quero crer que o capitão usou apenas uma figura de linguagem ou, na melhor das hipóteses, deu uma demonstração de desconhecimento de como funciona a política em seus intramuros.

Se realmente quer entrar na política Styvenson precisa entender que este ramo é uma ciência e como tal tem em torno de si uma carga pesada de complexidade. Bem diferente de aplicar multas em bêbados numa blitz.

Hoje o capitão está numa encruzilhada entre pintar na política como um nome alternativo no Solidariedade de Kelps Lima que tenta fazer um trabalho de renovação dos quadros do Rio Grande do Norte sem pregar o discurso hipócrita da antipolítica ou o PSL bolsonarizado.

O caminho escolhido mostrará muito de quem é Styvenson Valentin e se ele percebe que a política é mais complexa do que multar bêbados.

Compartilhe: