Tião tem duas opções para deputado federal

O grupo de Tião Couto (PR) terá candidato a deputado federal evitando deixar um vácuo eleitoral dentro de Mossoró.

São trabalhadas duas opções: o vereador Alex do Frango (PMB) e o ex-deputado federal João Maia (PR).

Ontem no Meio-Dia Mossoró (95 FM) evitou cravar em que votaria. Disse que o nome seria definido em reunião com o grupo.

Compartilhe:

Tião afirma que projeto com Robinson prevê instalar a Vice-Governadoria em Mossoró

 

Hoje no Meio-Dia Mossoró (95 FM), o candidato a vice-governador Tião Couto (PR) revelou que em caso de vitória de Robinson Faria (PSD) a Vice-Governadoria será implantada em Mossoró.

“Teremos um plano de ações voltadas para nossa região com a instalação do nosso gabinete em Mossoró”, avisou.

O republicano explicou que só aceitou fechar com Robinson após ele assumir que errou na gestão e que estaria disposto a fazer correções nestas falhas.

Compartilhe:

Vereador governista fecha apoio a adversário de Rosalba

Vereador da base rosalbista fecha com crítico da gestão

O vereador Manoel Bezerra (PRTB) anunciou apoio a candidatura do empresário Jorge do Rosário (PR) a deputado estadual. A decisão foi tomada hoje pela manhã.

Bezerra integra a base de apoio da prefeita. Jorge é oposição sendo vice de Tião Couto (PR) nas eleições de 2016.

O empresário é atualmente é um dos críticos da gestão de Rosalba.

Compartilhe:

Tião cava própria cova política

Tião abre mão do discurso coerente para por digitais na provável votação pífia de Robinson em Mossoró

Há um mês Tião Couto (PR) anunciou (ver AQUI) que não seria candidato a deputado federal por não aceitar dividir o mesmo palanque de Robinson Faria (PSD). A iniciativa pegou bem junto ao eleitorado.

Tião ficou com a imagem de político coerente. No entanto, política é ocupação de espaços e o grupo dele deixou um enorme vácuo na disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados que pode fazer surgir uma nova liderança em Mossoró. Encontrar alguém para assumir este espaço em nome grupo deveria ser a prioridade.

Ao adotar um discurso contra as oligarquias Tião ficou sem condições de se juntar a Carlos Eduardo Alves (PDT), mas também não pegaria bem ficar no mesmo palanque do governador mais desgastado da história potiguar.

Restava o risco de apostar uma candidatura menor ou deixar as diferenças ideológicas de lado e apoiar Fátima Bezerra (PT). Com esta última as conversas estavam abertas.

Se fecha com Fátima, do ponto de vista pragmático, Tião correria menos riscos políticos. Receberia críticas dos mais radicais, mas se manteria distante de ter o discurso contra os grupos tradicionais em situação contraditória. Além de ter o nome associado a expressiva votação que a petista caminha para ter em Mossoró.

Tião preferiu ficar com Robinson. Foi a pior escolha possível porque ele reabriu uma porta que estava fechada que escancara ao empresário mossoroense o quintal da política comum. Lá, com esta decisão, ele cava a própria cova política.

Como vice de Robinson, Tião chama para si a responsabilidade de uma derrotada acachapante de Robinson em Mossoró. O governador tem tudo para ter uma votação pífia independente de ter um companheiro de chapa mossoroense, mas o empresário colocará as digitais nessa derrota que se avizinha.

Não é por acaso que a repercussão ao longo do dia de ontem foi péssima para Tião Couto. Muitas críticas nas redes sociais.  O clima é de decepção em quem via nele uma alternativa aos grupos tradicionais.

Após tirar quase 52 mil votos na eleição para prefeito de Mossoró em 2016, Tião representava a principal ameaça aos Rosados na cidade.

Como vice do governador mais impopular da história ele se joga na vala comum da política deixando o discurso do “diferente”.

O rosalbismo segue agradecendo aos adversários que tem e livre para fazer uma gestão deprimente sem sofrer incômodos. Tião precisará trabalhar ainda mais para fechar a cova política que ele mesmo abriu.

Compartilhe:

Tião confirma que será vice de Robinson

O convite foi feito ontem ao empresário Tião Couto (PR) e ele aceitou ser vice na chapa do governador Robinson Faria (PSD). O republicano confirmou a decisão ao Blog.

A decisão será oficializada hoje na convenção do PSD e Natal. O empresário justificou a decisão alegando que não poderia ficar assistindo o “acordão das oligarquias” se fortalecer. “Eu entendi depois de muitas investidas que política é ocupação de espaço e eu não poderia assistir o desfile do acordão”, frisou.

Tião entrou na política em 2016 quando foi candidato a prefeito de Mossoró recebendo quase 52 mil votos.

Compartilhe:

Tião e Jorge abrem diálogo com Fátima Bezerra

Enquanto Tião não se define, Jorge do Rosário foca na Assembleia Legislativa
Tião e Jorge podem fechar com Fátima

A dupla Tião Couto e Jorge do Rosário abriu diálogo com a senadora Fátima Bezerra (PT), pré-candidata ao Governo.

No Festival Gastronômico de Martins Tião teve uma rápida conversa com Fátima. Esta também sentou para conversar com Jorge de maneira mais formal.

O Blog fez contato com Jorge do Rosário que informou que foi procurado por Fátima para tratar de política. “Fui procurado e não tenho dificuldades de conversar com Fátima. Vamos conversar e analisar o que Fátima está pensando para o RN”, frisou.

Tião e Jorge estão em Natal para participar de uma série de reuniões. É possível que uma delas sejam com a petista. Está em curso um ajuste de agendas.

 

Compartilhe:

Sem rosalbismo, Robinson segue em busca de um vice de Mossoró

Robinson busca um vice em Mossoró
Robinson busca um vice em Mossoró

O governador Robinson Faria (PSD) já está ciente de que não terá o rosalbismo em seu palanque nas eleições deste ano. As chances são remotas, mas o pessedista acredita que um vice de Mossoró será uma boa compensação.

Sem o apoio da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) o chefe do executivo estadual até encara (nos bastidores) como uma situação “não tão ruim assim” por causa da crescente impopularidade da pepista.

Na última terça-feira Robinson desembarcou no Aeroporto Dix-sept Rosado num avião particular e se deslocou a Baraúna onde participou do aniversário da ex-candidata a prefeita Divanize Oliveira. Depois retornou a capital do Oeste para discutir o cenário político.

O desejo do governador é de ter um vice de Mossoró indicado por PR ou PSDB. Dentro desse cenário dois nomes despontam: a deputada estadual Larissa Rosado (PSDB) e o empresário Tião Couto (PR).

No entanto, há um oceano de circunstâncias que pesam contra qualquer uma dessas parcerias.

Larissa sempre resistiu a possibilidade de integrar alguma chapa majoritária como vice-governadora. Além disso, o quadro eleitoral de Robinson Faria não lhe oferece segurança em trocar uma reeleição ainda que difícil por uma aventura que colocaria em risco o que resta de seu capital eleitoral.

Já Tião é quem encarna melhor o antirosalbismo apesar de explorar muito mal essa situação. Ele jogaria na lata do lixo o discurso de críticas ao governador.

Os dois teriam muito a perder fechando com Robinson. O governador teria muito a ganhar.

O governador tende a ter um vice do PR ou PSDB. A preferência é por alguém identificado com Mossoró. Pode não ser um desses nomes citados como preferenciais.

É uma situação em aberto.

Compartilhe:

Desistência de Tião mostra que RN Melhor não é grupo. É dupla

untitled5

No último sábado o empresário Tião Couto (PR) anunciou que está fora das eleições 2018. A mídia natalense de forma equivocada informou que ele vai apoiar a candidatura da João Maia a deputado federal. Não, Tião vai apoiar apenas o nome de Jorge do Rosário (PR) para deputado estadual.

Mas esse é um assunto menor e imediatista.

Por quê?

Política se faz ocupando espaço. Com o sandrismo tornando-se apêndice do rosalbismo em Mossoró abriu-se um gigantesco vácuo para ser ocupado. O grupo mais forte a ocupar esse espaço deveria ser o de Tião e Jorge. O problema é que o RN (ou Mossoró) Melhor não é um grupo, mas uma dupla.

Nada além de Tião e Jorge.

Tudo bem Tião não ter interesse em ser candidato a deputado federal por não se sentir vocacionado ao legislativo. Mas não se pode jogar esse espaço político de deputado federal aos leões.

Há um grande vácuo, repito, a ser ocupado no eleitorado em Mossoró. Os 65 mil eleitores que rejeitaram Rosalba nas eleições de 2016 querem ser representados. Junte-se a isso os que votaram nela e se arrependeram e se tornaram críticos da gestão.

Outro nome menos cotado pode surgir como novidade este ano causando um prejuízo para Tião e Jorge (ver AQUI).

Tião demonstra em suas palavras que trocou uma eleição incerta (e com poucas chances) cuja função seria preservar o capital eleitoral de 52 mil votos de 2016 pela coerência. Ele nem precisava ser candidato, mas o grupo, ou melhor a dupla, precisa ocupar o espaço eleitoral.

Para se consolidar como líder político Tião vai precisar formar um grupo e escolher pelo menos um candidato com base em Mossoró para ser seu nome na disputa.

Ficar neutro nas eleições majoritárias também será um risco que ele não deveria nem deve cometer.

O Mossoró (ou RN) Melhor precisa deixar de ser dupla para ser grupo.

Compartilhe: