Sem rosalbismo, Robinson segue em busca de um vice de Mossoró

Robinson busca um vice em Mossoró
Robinson busca um vice em Mossoró

O governador Robinson Faria (PSD) já está ciente de que não terá o rosalbismo em seu palanque nas eleições deste ano. As chances são remotas, mas o pessedista acredita que um vice de Mossoró será uma boa compensação.

Sem o apoio da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) o chefe do executivo estadual até encara (nos bastidores) como uma situação “não tão ruim assim” por causa da crescente impopularidade da pepista.

Na última terça-feira Robinson desembarcou no Aeroporto Dix-sept Rosado num avião particular e se deslocou a Baraúna onde participou do aniversário da ex-candidata a prefeita Divanize Oliveira. Depois retornou a capital do Oeste para discutir o cenário político.

O desejo do governador é de ter um vice de Mossoró indicado por PR ou PSDB. Dentro desse cenário dois nomes despontam: a deputada estadual Larissa Rosado (PSDB) e o empresário Tião Couto (PR).

No entanto, há um oceano de circunstâncias que pesam contra qualquer uma dessas parcerias.

Larissa sempre resistiu a possibilidade de integrar alguma chapa majoritária como vice-governadora. Além disso, o quadro eleitoral de Robinson Faria não lhe oferece segurança em trocar uma reeleição ainda que difícil por uma aventura que colocaria em risco o que resta de seu capital eleitoral.

Já Tião é quem encarna melhor o antirosalbismo apesar de explorar muito mal essa situação. Ele jogaria na lata do lixo o discurso de críticas ao governador.

Os dois teriam muito a perder fechando com Robinson. O governador teria muito a ganhar.

O governador tende a ter um vice do PR ou PSDB. A preferência é por alguém identificado com Mossoró. Pode não ser um desses nomes citados como preferenciais.

É uma situação em aberto.

Compartilhe:

Desistência de Tião mostra que RN Melhor não é grupo. É dupla

untitled5

No último sábado o empresário Tião Couto (PR) anunciou que está fora das eleições 2018. A mídia natalense de forma equivocada informou que ele vai apoiar a candidatura da João Maia a deputado federal. Não, Tião vai apoiar apenas o nome de Jorge do Rosário (PR) para deputado estadual.

Mas esse é um assunto menor e imediatista.

Por quê?

Política se faz ocupando espaço. Com o sandrismo tornando-se apêndice do rosalbismo em Mossoró abriu-se um gigantesco vácuo para ser ocupado. O grupo mais forte a ocupar esse espaço deveria ser o de Tião e Jorge. O problema é que o RN (ou Mossoró) Melhor não é um grupo, mas uma dupla.

Nada além de Tião e Jorge.

Tudo bem Tião não ter interesse em ser candidato a deputado federal por não se sentir vocacionado ao legislativo. Mas não se pode jogar esse espaço político de deputado federal aos leões.

Há um grande vácuo, repito, a ser ocupado no eleitorado em Mossoró. Os 65 mil eleitores que rejeitaram Rosalba nas eleições de 2016 querem ser representados. Junte-se a isso os que votaram nela e se arrependeram e se tornaram críticos da gestão.

Outro nome menos cotado pode surgir como novidade este ano causando um prejuízo para Tião e Jorge (ver AQUI).

Tião demonstra em suas palavras que trocou uma eleição incerta (e com poucas chances) cuja função seria preservar o capital eleitoral de 52 mil votos de 2016 pela coerência. Ele nem precisava ser candidato, mas o grupo, ou melhor a dupla, precisa ocupar o espaço eleitoral.

Para se consolidar como líder político Tião vai precisar formar um grupo e escolher pelo menos um candidato com base em Mossoró para ser seu nome na disputa.

Ficar neutro nas eleições majoritárias também será um risco que ele não deveria nem deve cometer.

O Mossoró (ou RN) Melhor precisa deixar de ser dupla para ser grupo.

Compartilhe:

Tião Couto retira candidatura a deputado federal

O empresário Tião Couto acabou de retirar a candidatura a deputado federal. O anúncio foi feito no encontro estadual do PR que está sendo realizado em Natal.

A alegação é de que ele não tem perfil para legislador, mas para o executivo. O foco é nas eleições de 2020 quando vai tentar mais uma vez ser candidato a prefeito de Mossoró.

Ele também reforçou que não encontrou em nenhum dos candidatos ao Governo do Estado um projeto viável para o Rio Grande do Norte.

Confira o vídeo em que Tião fez o anúncio AQUI

Compartilhe:

Tião sinaliza apoio ao Governo, mas alerta: “vai depender do projeto”

WhatsApp Image 2018-06-12 at 13.56.19

O empresário Tião Couto (PR) esteve hoje no Meio-Dia Mossoró da 95 FM. Ele não poupou críticas a gestão da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) que o derrotou nas eleições de 2016.

Ele disse estar disposto a abdicar de tentar um mandato de deputado federal em 2018 caso o PR feche com PP ou PSDB. “Já avisei que não subo num palanque com Rosalba e Ezequiel (Ferreira, presidente da Assembleia Legislativa). Prefiro manter a coerência”, frisou.

Sobre o candidato ao Governo ele disse não se sentir empolgado por nenhum dos nomes postos e que só conversou com a senadora Fátima Bezerra (PT) de quem não descarta o apoio. Fora ela, só apoiaria Carlos Eduardo Alves (PDT) entre os nomes postos. “É preciso ter um projeto. A gente elegeu um governador sem projeto e deu nisso”, disse.

Ele também fez muitas críticas ao governador Robinson Faria (PSD) que na opinião dele está mais preocupado em viabilizar a reeleição do que em governar.

Compartilhe:

Tião e Rosalba juntos na eleição de 2018?

tiao-rosalba-750x422

No final de semana circulou um boato de que a prefeita de Mossoró Rosalba Ciarlini (PP) e o adversário dela nas eleições de 2016, Tião Couto (PR), estariam juntos no mesmo palanque este ano. Tudo porque está em curso a formação de uma aliança entre PP, PR e PSDB para o pleito de outubro.

A aliança pode até se concretizar, mas isso não significa que Tião e Rosalba vão virar aliados. Quem noticiou isso não explicou direito por má fé ou falta de habilidade no trato com a informação.

Então o Blog esclarece: o PR pode se juntar ao PP e ao PSDB, mas isso não converteria Tião Couto em aliado da prefeita. Muito pelo contrário, os dois seguem adversários como devem ser. A questão é que Tião não tem o poder de decidir a respeito dessa parceria. Quem manda no PR é João Maia.

O caso é semelhante ao do palanque de Henrique Alves em 2014 quando ele misturou Sandra Rosado, Cláudia Regina e Fafá Rosado. As três eram adversárias e nunca se aliaram.

Tião aliado de Rosalba é suicídio político para o empresário. Mas não se assuste se os dois estiverem misturados em algum palanque este ano.

A política tem dessas coisas.

Compartilhe:

Tião e Jorge do Rosário estão livres do risco de inelegibilidade

image_6483441

O juiz da 33ª zona eleitoral de Mossoró, Breno Valério Fausto de Medeiros, decidiu extinguir a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) impetrada pela coligação da candidatura de Rosalba Ciarlini contra a chapa de Tião Couto e Jorge do Rosário nas eleições municipais de 2016. Em sua sentença o magistrado entendeu pela falta de interesse de agir dos impetrantes e encerrou o processo sem julgamento do mérito.

A AIJE teve como objetivo a alegação de abuso do poder econômico na eleição passada e pleiteava a suspensão dos direitos políticos dos acusados por um período de oito anos. Embora Tião e Jorge tivessem suas contas de campanha aprovadas pela Justiça Eleitoral, Rosalba insistiu na abertura de uma AIJE tentando criar uma situação jurídica contra seus adversários políticos.

Em sua sentença o juiz Breno Valério entendeu a ação não tinha como prosseguir: “A inutilidade do provimento revela a carência da ação ora examinada por ausência de interesse de agir, desaguando na extinção do processo sem resolução de mérito, nos termos do art. 485, VI, CPC: “o juiz não resolverá o mérito quando (…)verificar ausência de legitimidade ou de interesse processual”.

“O interessante nisso tudo é que eu que tive minhas contas aprovadas é quem estava sendo investigado, tudo isso porque a prefeita que teve as contas dela desaprovadas queria criar um fato na mídia para tentar me colocar no mesmo patamar que ela”, esclarece Tião Couto após tomar conhecimento da decisão judicial pelo arquivamento da ação.

Os advogados de Rosalba chegaram a solicitar a quebra do sigilo bancário e fiscal de Tião, Jorge e suas empresas, mas o magistrado Breno Valério negou o prosseguimento da ação, entendendo que não era cabível: “Em arremate, urge salientar que o argumento de que a ação, na verdade, é uma AIJE por Abuso de Poder, com base nos arts. 19 e 22 da LC 64/90, a fim de que seja decretada a inelegibilidade dos investigados, também não encontra fundamento legal”.

Com o fim da AIJE em questão, resta tramitando na Justiça Eleitoral uma outra ação em que Rosalba é acusada de ter suas contas de campanha desaprovadas por conta de doações camufladas de pessoas jurídicas, o que é proibido por lei, e que pode lhe causar, caso seja condenada, a perda do atual mandato e inelegibilidade por um período de oito anos.

Nota do Blog: o mais relevante nessa história é que a dupla não corre mais risco de ficar inelegível.

Fonte: Assessoria RN Melhor

Compartilhe:

A perda de tempo de Tião

Tião-couto

Ao final das eleições de 2016 ficou claro que se trabalhasse com organização e coerência, Tião Couto poderia encaminhar uma carreira política capaz de fazer frente aos Rosados.

Mas o potencial eleitoral demonstrado em 2016 não se converteu em capacidade de articulação política. Tião passou os últimos 18 meses metendo os pés pelas mãos sonhando com passos maiores que poderia dar.

Estava óbvio que o caminho natural para o grupo de Tião se estabelecer era ele ser candidato a deputado federal e Jorge do Rosário a estadual. O segundo entendeu isso e começou a trabalhar cedo o projeto para chegar a Assembleia Legislativa.

Enquanto isso, o clima para Tião no PSDB era o pior possível a ponto de ele ser excluído da agremiação de forma constrangedora. O caminho natural seria o PR pela afinidade com Jorge do Rosário e João Maia, mas ele tentou voos mais altos mais uma vez sem sucesso.

Agora Tião é candidato a deputado federal pelo PR. Ele perdeu um ano e meio por não fazer o óbvio.

Compartilhe:

Tião leva “batido” de vereador de oposição e falta de liderança política é exposta

10568-1

Há tempos alertei em meus comentários que o empresário Tião Couto tem tido dificuldades em se estabelecer como liderança política. Ele não consegue manter em torno de si a heterogênea bancada de oposição. Até mesmo os apoiadores de 2016 mostram isso.

A falta de liderança política ficou exposta hoje quando o vereador Raério Araújo (PRB) declarou na Tribuna da Câmara Municipal que Tião não vai para o partido. “Nós não estamos precisando de Tião. Ele é quem precisa de partido. A possibilidade de ele ir para o PRB é zero”, disparou.

A falta de empatia com a classe política fica exposta nas palavras de Raério que explicou que o ex-candidato a prefeito de Mossoró exigiu o comando estadual e municipal do PRB ao presidente do partido no Rio Grande do Norte, suplente de deputado federal Abraão Lincoln.

Em contato com a jornalista Carol Ribeiro hoje pela manhã, Tião explicou que manteve contato com o PRB estadual a pedido de Flávio Rocha, pré-candidato a presidente pelo partido. Ele negou as exigências.

Tião obteve quase 52 mil votos em 2016, mas sem impor liderança no dia a dia não consolidará esse capital eleitoral.

Compartilhe: