Título de cidadão potiguar a ministro da justiça expõe mediocridade da nossa classe política

Título de cidadania

Sabe aquela pessoa que sempre enche a boca para dizer que tem “nojo de política”? Ontem ela ganhou mais um motivo para reforçar a sensação nauseante que nossos representantes nos provocam.

Ontem a Assembleia Legislativa concedeu título de cidadão potiguar ao ministro da justiça Alexandre de Morais. Mas ele fez o que mesmo pelo Rio Grande do Norte? Nada. Bastou vir ao Estado anunciar o plano nacional de segurança para nossos medíocres representante bajularem o sujeito que está cotado para ser ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

A justificativa do autor da bajulação, Gustavo Fernandes (PMDB), é que o título foi aprovado em 2013 quando ele não era ministro e advogava para ninguém mais ninguém menos que Eduardo Cunha. E daí? Mais feio ainda. Aprovou uma homenagem a alguém que até então sequer tinha vindo ao sofrido elefante.

A classe política do Rio Grande do Norte mata o Estado não só de vergonha, mas também por inanição intelectual. Esse segundo aspecto inibe o instituto de autodefesa moral conhecido popularmente como senso do ridículo.

Compartilhe:

Em meio à violência desenfreada, políticos discutem assuntos que não interessam ao povo

eleitor-palhaco

Mossoró chega a 200 homicídios em um único ano. É algo assustador. Estamos perdendo a guerra para os bandidos, mas a classe política parece alheia ao que está acontecendo na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

Lembrando a rainha Maria Antonieta às vésperas da Revolução Francesa (1789) que teria proferido frase “Se não tem pão que comam brioches”, os políticos perdem tempo com assuntos inócuos.

Enquanto 200 mossoroenses tombaram nas ruas vítimas da violência, os nossos caríssimos vereadores perderam boa parte da manhã de hoje discutido o formato de uma sessão solene que prestará algumas homenagens. Depois discutiram a proibição do próximo presidente da casa de poder antecipar eleições da mesa diretora.

Na Assembleia Legislativa os nossos representantes debateram e aprovaram o título de persona non grata para a atriz Alexia Dechamps por ter insultado os nordestinos. A preconceituosa artista está morrendo de preocupação com essa bobagem. Tudo isso num cenário em que o Estado do Rio Grande do Norte está falido.

Aí eu me pergunto para que políticos?

Compartilhe: