Senado pode ter disputa plebiscitária

Segunda vaga para o Senado pode ter disputa plebiscitária

Se a tendência de ascensão do capitão Styvenson Valentim (REDE) prosseguir nas próximas pesquisas caminharemos para termos uma disputa plebiscitária pela segunda vaga para o Senado.

O capitão vem subindo acima da margem de erro nas pesquisas deixando os principais concorrentes para trás. O quadro, se mantido, impõe uma disputa à parte entre o senador Garibaldi Alves Filho (MDB) e a deputada federal Zenaide Maia (PHS).

Garibaldi se encontra com a maior rejeição entre todos candidatos ao Senado e por isso enfrenta um cenário adverso para crescimento. Ele está desgastado junto ao eleitorado pelo tempo de vida pública e por ter apoiado medidas impopulares do presidente Michel Temer como o teto de gastos, reforma trabalhista, a Medida Provisória que isenta petrolíferas estrangeiras de impostos, etc.

Já Zenaide tem como trunfo a posição oposta de Garibaldi em todas essas votações. Falta a candidata elevar o tom em relação ao assunto. Até aqui ela tem optado por uma estratégia “paz e amor” em relação ao principal adversário na disputa.

Parece-me que a meta inicial é subir nas pesquisas colando nas imagens da candidata ao Governo Fátima Bezerra (PT) e do ex-presidente Lula.

Pode ser pouco.

O caminho para Zenaide é puxar um debate plebiscitário com Garibaldi colocando o eleitor para comparar as posições de cada um.

Isso já deu certo contra Garibaldi no passado.

Em 2006, Wilma de Faria chamou o senador para esse tipo de comparação e elevou a melhor utilizando temas como a privatização da Cosern “vendendo” a ideia de que ele faria o mesmo com Caern. Garibaldi demorou a reagir e quando foi se explicar o estrago estava feito.

Aquela eleição ficou marcada como a “surra de saia” se tornando a única derrota da vitoriosa vida política de Garibaldi.

Compartilhe:

Zenaide e Rafael Motta são os deputados do RN que mais destinaram emendas para educação

Entre os oito deputados federais do Rio Grande do Norte, Zenaide Maia (PHS) e Rafael Mota (PSB) foram os que mais destinaram emendas para educação desde o início da atual legislatura.

A parlamentar, pré-candidata ao Senado, totalizou R$ 6.859.000 em emendas. Já pessebista destinou R$ 6.366.000.

O “lanterninha” do ranking é o deputado Walter Alves (MDB) que só destinou R$ 300 mil emendas para educação em quatro anos.

Confiram o ranking dos recursos destinados à educação:

Zenaide Maia (PHS): R$ 6.859.000

Rafael Motta (PSB): R$ 6.366.000

Felipe Maia (DEM): R$ 5.800.000

Rogério Marinho (PSDB): R$ 4.400.000

Beto Rosado (PP): R$ 2.500.000

Antônio Jácome (PODE): R$ 800.000

Fábio Faria (PSD): R$ 400.000

Walter Alves (MDB): R$ 300.000

Compartilhe:

PEC de Zenaide que limita cobrança de juros no cartão de crédito tramita desde 2015

Zenaide marca espaço na cruzada contra juros altos

Desde 2015 tramita na Câmara dos Deputados a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 160 de autoria da deputada federal Zenaide Maia (PHS) que estabelece limite para a cobrança de juros ao consumidor.

 A proposta da PEC 160 proíbe que os juros das instituições financeiras sejam maiores do que três vezes a taxa básica de juros estabelecida pelo Banco Central.  “Os cartões de crédito cobram até 300%, 400% de juros, ao mês, das famílias brasileiras, enquanto no país de origem deles cobram no máximo 1%. Isso, para usar um eufemismo, é uma extorsão, pois na verdade trata-se de um roubo”, criticou Zenaide Maia.

A PEC 160 já caminhou na casa com realização de audiência pública realizada ano passado que contou com a presença de deputados e representantes da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher com apoio da Comissão de Defesa do Consumidor. Representantes do Banco Central e da Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços foram convidados, mas não enviaram representantes à audiência.

Relatora da proposta na CCJ, a deputada Gorete Pereira (PR-CE) informou que desde 2016 o parecer dela pela aprovação da PEC está pronto para ser apreciado.

O texto está em análise na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) e só não foi votado a pedido do então ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Compartilhe:

Postura contrária as reformas de Temer é trunfo de Zenaide

Votações contra reformas de Temer é trunfo de Zenaide

A deputada federal Zenaide Maia (PHS) está viva na disputa por uma das duas vagas ao Senado. A candidata aposta suas fichas na postura adotada ao longo do atual mandato.

Em todos os momentos considerados emblemáticos da atual legislatura (ver AQUI), a candidata ao Senado se manteve firme contra as propostas do presidente Michel Temer.

Ela votou contra a reforma trabalhista, teto de gastos, isenção de impostos para petrolíferas estrangeiras e a favor da abertura de processos para investigar o presidente.

A postura 100% contra Temer fez Zenaide ganhar notoriedade por conseguir se diferenciar dos demais colegas.

Ela já vem utilizando esse discurso por onde passa pelo Rio Grande do Norte.

Compartilhe:

“Minha bandeira é defender quem trabalha e quem gera emprego e renda”, diz Zenaide

Zenaide firma compromisso com emprego e renda

A deputada federal Zenaide Maia (PHS), candidata ao Senado, foi a entrevistada de ontem no Meio-Dia Mossoró. Na conversa ela falou a respeito dos projetos dela.

A candidata ao Senado explicou que a preocupação dela é com o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Norte e a necessidade desse assunto ser tratado com seriedade na Alta Câmara. “Quero ir para o Senado defender o trabalhador e ao mesmo tempo o setor produtivo. É isso que me fez votar contra a PEC do teto. Minha bandeira é defender quem trabalha e quem gera emprego e renda além do combate aos juros”, frisou.

Outra preocupação apresentada por Zenaide Maia é com os juros cobrados pelos bancos, principalmente com cartões de crédito. Ela informou que pôs em prática ações para combater isso como a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 170 que vista regulamentar a cobrança de juros ao consumidor. “Tenho a PEC 170 que limita os juros dos cartões de crédito a no máximo três vezes a taxa Selic que faria hoje os bancos cobrarem no máximo 20% e não mais de 300% ao ano como acontece. Você compra uma geladeira e paga três”, explicou.

De acordo com Zenaide os juros ajudam a travar o desenvolvimento e tiram recursos de áreas essenciais, “Esta região de Mossoró tem sal, energia eólica e frutas, mas temos um orçamento com 0,5% para segurança e menos de 4% para a saúde e educação. São 50% para bancos. Isso é um acinte com a população. Nós precisamos de parlamentares comprometidos com o Estado para passar da promessa para o compromisso”, acrescentou.

A postulação ao Senado de Zenaide Maia ganhou força a partir do posicionamento dela em votações importantes como o teto de gastos públicos, impeachment de Dilma Rousseff e as reformas trabalhista e da previdência. “Não amanheci um dia e decidi ser candidata ao Senado. Meu nome foi surgindo espontaneamente”, lembrou.

 

 

 

Compartilhe:

Candidatura de Zenaide está em queda livre

Em baixa no IBOPE, Zenaide precisará reconstruir campanha

A deputada federal Zenaide Maia (PHS) apareceu como favorita a uma vaga ao Senado nas eleições deste ano. Mas nunca conseguiu descolar de José Agripino Maia (DEM), que terminou desistindo da reeleição, e Garibaldi Alves Filho (MDB).

A parlamentar tenderia a entrar em uma situação mais confortável com a saída de Agripino, mas não contava com a entrada do capitão Styvenson Valentim (REDE) na disputa.

Ele lidera a pesquisa do IBOPE com 23%, crescendo acima da margem de erro. Em segundo está Garibaldi com 21%.

Zenaide já tinha aparecido em quarto lugar na pesquisa de julho. Além de seguir na mesma posição ela caiu de 18% para 12% entre julho e agosto, ficando atrás de Geraldo Melo (PSDB) que despencou de 22% para 14%. A queda do tucano já era esperada, a de Zenaide não.

A candidata precisará se reinventar na campanha para recuperar o potencial de crescimento.

Ainda hoje traremos a média das pesquisas divulgadas em agosto.

Compartilhe:

Cota parlamentar: Walter Alves é quem mais gasta com consultoria. Zenaide é a campeã da divulgação

Dentro os oito deputados federais do Rio Grande do Norte, Walter Alves (MDB) é quem mais gastou com consultoria ao longo do mandato. Já a colega dele, Zenaide Maia (PHS), é quem mais gastou com divulgação.

Confira abaixo os números de toda a bancada potiguar na Câmara Federal.

Divulgação

 

Nome Partido  Estado  Divulgaçao 
Zenaide Maia PHS RN 797.399
Antônio Jácome PODE RN 774.662
Rafael Motta PSB RN 552.578
Beto Rosado PP RN 439.856
Rogério Marinho PSDB RN 417.912
Fábio Faria PSD RN 389.527
Walter Alves MDB RN 341.400
Felipe Maia DEM RN 306.952

 

Consultoria

 

Nome Partido Estado Consultoria
Walter Alves MDB RN 504.600
Beto Rosado PP RN 415.762
Antônio Jácome PODE RN 384.200
Zenaide Maia PHS RN 356.099
Rogério Marinho PSDB RN 355.500  
Rafael Motta PSB RN 194.187  
Felipe Maia DEM RN 15.200
Fábio Faria PSD RN 1.000

Fonte: Datascópio

 

O Blog do Barreto tem destrinchado os custos dos nossos deputados federais. Leia as outras matérias clicando abaixo:

Fábio Faria é o campeão em gastos de cota parlamentar com transportes e estadias

http://blogdobarreto.com.br/fabio-faria-e-o-campeao-em-gastos-de-cotaparlamentar-com-transportes-e-estadias/

Deputados do RN só liberam 36% das emendas previstas no orçamento de 2018

http://blogdobarreto.com.br/deputados-do-rn-so-liberam-36-das-emendas-previstas-no-orcamento-de-2018/

Deputados federais do RN gastam R$ 13 milhões em cotas parlamentares

http://blogdobarreto.com.br/deputados-federais-do-rn-gastam-r-13-milhoes-em-cotas-parlamentares/

 

 

Compartilhe:

Pesquisa Seta mostra cenário em aberto para o Senado com 65% dos eleitores sem candidatos definidos

Hoje o Blog do BG divulgou mais uma rodada de pesquisa do Instituto Seta. Na sondagem para o Senado um dado alarmante: 65,4% (soma de indecisos e os que dizem anular o voto) dos eleitores potiguares não definiram um nome para a alta câmara.

O Blog do Barreto seguindo a metodologia do Tribunal Superior Eleitoral somou os dois votos (divididos em primeiro e segundo pelo Seta) e dividiu tirando uma média percentual.

O Instituto apontou um tríplice empate entre Garibaldi Alves Filh (MDB), Zenaide Maia (PHS) e Capitão Styvenson (REDE) separados por apenas 0,2%.

Abaixo os números da sondagem estimulada:

 

Candidato 1º voto 2º voto Média/TSE
Garibaldi Alves Filho (MDB) 14,2% 2,5% 8,35%
Zenaide Maia (PHS) 14% 2,5% 8,25%
Capitão Styvenson (REDE) 13,3% 3% 8,15%
Geraldo Melo (PSDB) 6,1% 3,1% 4,6%
Antônio Jácome (PODE) 4,5% 1,3% 2,9%
Magnólia Figueredo (SD) 1,5% 0,5% 1%
Prof. Lailson (PSOL) 1,2% 0,5% 0,85%
Alexandre Mota (PT) 0,5% 0,2% 0,35%
Joanilson Rego (DC) 0,2% 0,1% 0,15
Ninguém/nulo/branco 36,9% 51,1% 44%
NS/NR 7,7% 35,2% 21,4%

 

Compartilhe:

Saída de Agripino turbina Geraldo. Entrada de Styvenson prejudica Zenaide

A eleição para o Senado caminha para ser a mais emocionante dos últimos anos. Neste momento quatro nomes despontam como viáveis e outros dois ainda podem chegar dependendo do desenrolar da campanha que começa dia 16 de agosto.

Até o mês de maio, o pleito caminhava para uma disputa entre o senador Garibaldi Alves Filho (MDB) e a deputada federal Zenaide Maia (PHS) para saber quem seria o mais votado. O senador José Agripino (DEM) corria por fora.

Mas o quadro mudou bastante por dois fatos novos. Primeiro a desistência de José Agripino. Depois a entrada de capitão Styvenson Valentim (sem partido).

A saída de Agripino deu fôlego a Geraldo Melo que estava distante dos principais concorrentes. O “Tamborete” acabou absorvendo a boa parte do eleitorado agripinista. Ele passou a parecer em segundo lugar nas duas últimas pesquisas (IBOPE e Certus).

Por outro lado, a entrada de Capitão Styvenson atrapalhou Zenaide. Ela caiu de segundo (em algumas pesquisas chegou a liderar) para quatro lugar. O capitão ficou em terceiro na última sondagem do Instituto Certus.

Ainda dois nomes podem ganhar fôlego (ou não) nos próximos dias: Antônio Jácome (PODE) e Alexandre Mota (PT).

A disputa para definir dois representantes do Rio Grande do Norte no Senado tem tudo para ser das mais emocionantes das últimas décadas.

Compartilhe:

Pesquisa mostra cenário embolado para o Senado

1532870741447015

A pesquisa FIERN/Certus apontou que quatro nomes estão empatados tecnicamente para o Senado na soma do primeiro e segundo voto.

Quatro nomes disputam o cargo com intenções de voto variando dentro da margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Apenas 3,1% separam o líder Garibaldi Alves Filho (MDB) da quarta colocada Zenaide Maia (PHS). Entre eles Geraldo Melo (PSDB) e Capitão Styvenson (sem partido).

Já no item rejeição o campeão é Garibaldi com 14,91% seguido por Geraldo Melo com 9,51%.

Veja os números tabulados para o Senado;

Soma de primeiro e segundo voto:

DjO3M1eXgAAoXJ5

Rejeição:

DjRYHvuVAAAinOk

Compartilhe: