Tática do rosalbismo é ganhar tempo

“Carlos Augusto conversa com todo mundo e não diz nada”, desabafa uma fonte do Blog do Barreto.

Outra fonte afirma que o líder do rosalbismo não está fechado com o ministro Henrique Alves e o PMDB. Pelo contrário. O auxiliar da presidente Dilma Rousseff está impaciente e desabafou para um a liderança local com a seguinte frase: “Carlos fica apenas fazendo conjecturas e não fecha com ninguém”.

Com o grupo de Sandra Rosado, revela uma fonte da cúpula do sistema, a possibilidade de a ex-deputada estadual Larissa Rosado ser a vice por enquanto está estabelecida em um pacto de não agressão. “Não batemos em vocês nem vocês em nós e lá na frente pensamos o que fazer”, teria dito Carlos Augusto numa das conversas com a ex-deputada federal.

A vantagem nesse caso é toda para a ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP). Afinal de contas, os veículos sandristas possuem mais audiência que os rosalbistas.

O comportamento provoca irritação até mesmo entre aliados históricos. Vereadores conhecidos por serem rosalbistas de coração como Flávio Tácito, que está de saída do DEM, não escondem que vão cuidar de si. “Pode colocar que Flavinho vai cuidar da reeleição dele e vai se aliar com quem valorizar ele. Nunca precisei de governo nem de Rosalba porque tenho serviços prestados”, disparou Flávio.

Um eterno candidato a vereador e fiel seguidor do rosalbismo encontrou este jornalista num estabelecimento comercial e desabafou: “Fui convidado para seguir Rosalba em um ambiente popular (no caso um espetinho) e eu disse que não ia. Eu, ir bater palma para Rosalba? Já passei desse tempo. No fim sirvo de esteira e ela e Carlos escolhem dois, três e eu sobro”.

Está claro que o rosalbismo ganha tempo. Abre uma porta e fecha outra quando conversa com alguma liderança.  Tudo para de última hora decidir escolhendo o melhor caminho.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *