Um maluco beleza do bem se foi

caby

A última conversa que tive com Cabi da Costa de Lima foi no lançamento do livro “Os Rosados Divididos”. Ele reclamava de muitas dores do que suspeitava ser um problema na vesícula. “Só vim porque era o primeiro, viu?”, avisou o Camaradinha.

Infelizmente o quadro era mais grave do que se imaginava e ele acabou não resistindo para tristeza de todo o Rio Grande do Norte que aprendeu a admirar esse maluco beleza do rádio.

Generoso, em um de nossas últimas conversas ele foi me procurar na Reitoria da UERN para pedir ajuda para um amigo em comum. Assim era Caby, um cidadão capaz de dar tudo o que tinha para ajudar alguém.

Guardo na lembrança cada conversa, conselho e sugestões que o amigo Caby me deu.

Caby com seus tamancos fez história no rádio mossoroense com a ousadia dos diferenciados. Chegou a levar uma equipe esportiva do interior do Rio Grande do Norte para transmitir o mítico Fla x Flu do gol de barriga de Renato Gaúcho, no histórico show de Romário nas eliminatória da copa de 1994 ele estava lá cotando a história.

Foi o presidente que montou um dos melhores times da história do Potiguar, em 1997.

Era respeitado e admirado no meio radiofônico sempre tratado como “camaradinha” seu bordão marcante.

Ele deixou um relevante legado de livros de coletâneas fotográficas de personalidades locais que só será compreendido no futuro.

As manhãs de domingo não serão mais as mesmas sem o som do Caby.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *