Um possível “chapão” na base governista

O prefeito Francisco José Junior (PSD) distribuiu 10 dos 14 vereadores da base governista em 10 partidos diferentes. O problema é que essas legendas em sua maioria não possuem consistência para saírem isoladas. Todas vão precisar coligar-se.

Com exceção do PSD (que tem dois vereadores e uma nominata forte) e o PMN (que tem o espólio do PTN de outrora e manteve boa parte da nominata de 2012), as demais agremiações estão esvaziadas sob o ponto de vista de ter nomes com potencial de votos acima de 500 sufrágios.

Hoje eu apostaria que teríamos um chapão com nove vereadores distribuídos em nove legendas diferentes. Junte-se a isso um cabedal de poucas esteiras e teremos uma “briga de foice no escuro” em que sobraria cinco ou seis vereadores reeleitos.

A Câmara Municipal caminha para uma renovação histórica, mas longe de ser fruto de uma resposta da sociedade. Será muito mais por inabilidade dos vereadores que não conseguiram organizar seus respectivos partidos ao longo dos últimos quatro anos.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Um possível “chapão” na base governista

  • 12 de abril de 2016 em 11:40
    Permalink

    Isso se dar pela falta de compromissos dos eleitos com os demais membros que fizeram a composição do seu partido.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *