Uma questão em aberto sobre incidente no Portal do Saber: onde estavam os guardas municipais?

Portal do Saber é alvo de vândalos (Foto: Adriana Mendes/TV Terra do Sal)

A Prefeitura de Mossoró reagiu rápido ao incêndio criminoso do Portal do Saber. A chefe do executivo municipal Rosalba Ciarlini (PP) foi ao local do incidente e avisou que registrou Boletim de Ocorrência e solicitou perícia técnica.

Ela também anunciou que vai recuperar o espaço.

Tudo ok? A reposta é não.

A questão é simples: onde estavam os guardas municipais cuja função principal é proteger o patrimônio da Prefeitura de Mossoró?

Essa é uma explicação que a prefeita não deu nem foi provocada a dar.

Então este operário da informação lança o questionamento: por que a Prefeitura de Mossoró deixou um equipamento como o Portal do Saber em situação tão vulnerável? Faltam guardas? Se não faltam guardas por que eles não estavam lá?

Certamente a prefeita não dará qualquer resposta porque seu perfil não é o de dar muita satisfação a jornalista nem a sociedade.

Não se trata de levantar polêmica, mas observar em que pé está a organização da administração municipal. Ter uma Guarda Municipal sem um sistema de proteção ao patrimônio público é um indício de que o órgão é usado apenas para pirotecnia politiqueira.

Abaixo deixo uma nota enviada pelo dirigente do SINDGUARDAS/RN Héber Monteiro após comentário nosso a respeito do assunto no Meio-Dia Mossoró da 95 FM. O texto explica muito bem que a origem do problema está no reduzido efetivo da categoria.

Boa tarde, meu amigo.

Quero inicialmente renovar nossa estima a você que sempre esteve ao lado dos GCMs em nossas lutas aqui em Mossoró.

Fui procurado por muitos colegas GCMs que acompanharam teu programa e nele você apresentou um questionamento sobre o ocorrido no Portal do Saber quanto a responsabilidade da Guarda na proteção daquele local.

Quero responder tua pergunta apresentando alguns dados sobre nossa instituição.

Hoje, somos 300 homens e mulheres em atendimento em postos fixos e 4 viaturas para atendimento a toda cidade. Esse nosso efetivo atende uma cidade com mais ou menos 300 mil habitantes onde nela temos em torno de 45 UBSs,  120 escolas municipais, 3 UPAs, e os demais prédios públicos como Portal do Saber biblioteca, cobal, etc… todos de responsabilidade quanto a segurança e proteção da GCM. Com o número de agentes que temos é impossível ter em todo o aparato municipal a presença fixa de guardas municipais. Diante disso e também pela segurança ser uma pauta importante, principalmente aqui em Mossoró, é que deveria ser dada por nossa prefeita uma atenção maior a pasta. Aumento de viaturas para rondas, regulamentação do porte de armas institucional, investimento em sistemas de segurança (alarmes e câmeras) deveriam estar dentro do planejamento de segurança da administração. Enquanto isso não acontece os guardas municipais de Mossoró seguem fazendo muito dentro do pouco oferecido pela administração.

Esse é um tema que demanda tempo para discussão e eu quis aqui, em poucas palavras, apresentar uma resposta tendo em vista que não espero a justa resposta vir da administração.

Grande abraço e estamos ao dispor.

 

Héber Monteiro

SINDGUARDAS/RN

Compartilhe:

Comments

comments

5 opiniões sobre “Uma questão em aberto sobre incidente no Portal do Saber: onde estavam os guardas municipais?

  • 27 de novembro de 2018 em 20:40
    Permalink

    Então façamos a outra pergunta TB? Quando acontecem os homicídios e assaltos em Mossoró onde está a PM?
    Nem a PM nem a GM pode estar em todos os lugares.

    Resposta
  • 27 de novembro de 2018 em 21:17
    Permalink

    Estávamos em nossos postos onde somos lotados. Essa unidade não possui efetivo fixo, e as rondas não são suficientes para atender toda a cidade. E não apenas o portal do saber é descoberto, como uma infinidade de outros prédios públicos. Se há alguém com culpa nisso, tenha certeza que nao é a GCM, que muitas vezes tiramos do próprio bolso pra trazer melhorias ao nosso ambiente de trabalho.

    Resposta
  • 28 de novembro de 2018 em 05:53
    Permalink

    Não é justo, a prefeita não pode ser responsabilizada por um possível crime cometidos por.bandidos.É como penso.

    Resposta
    • 28 de novembro de 2018 em 11:25
      Permalink

      Concordo. Poderia ter acontecido em outro setor. A bandidagem está solta.

      Resposta
  • 28 de novembro de 2018 em 11:23
    Permalink

    Pelos menos os bandidos atacaram um prédio. E quando eles atacam as UBS, fazem um verdadeiro arrastão aos pacientes, aterrorizando a todos sem respeitar crianças, gestantes, idosos funcionários e quem aparecer pela frente. Como presenciei certa vez numa UBS, é simplesmente aterrorizante.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *