Transporte público de Mossoró fica em situação ainda mais dramática (Foto: cedida)

Alta do diesel aprofunda crise do transporte público em Mossoró

A nova alta do diesel, anunciada hoje (9) pela Petrobras, aprofunda a crise no transporte coletivo por ônibus em Mossoró. Com o reajuste de 8,87% às refinarias a partir de amanhã (10), o sistema ficará ainda mais sufocado: o custo da operação só cresce, mas a receita não cobre as despesas.

Segundo a concessionária do serviço em Mossoró, Cidade do Sol, a situação é gravíssima. O diesel já acumula alta de 47% nas refinarias da Petrobras no ano. Para piorar o cenário, essa disparada coincide com a retomada de linhas em Mossoró, nos últimos meses.

Em 2022, os ônibus passaram a rodar 50% a mais em Mossoró. A quilometragem mensal saltou de 22.370, em janeiro, para 45.412, em março – mês em que o diesel subiu 24%. Diretor da Cidade do Sol, Waldemar Araújo alerta: a conta não fecha.

“Passamos a necessitar de mais diesel e a encontrá-lo cada vez mais caro. Subiu também o custo com pneu, mecânica e pessoal. Por outro lado, muitas linhas continuam deficitárias. Dos poucos passageiros, a minoria é pagante, predomina a gratuidade. É prejuízo”, lamenta.

Racionamento

Em reação à nova alta do combustível, a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) alerta para o risco de redução da oferta de ônibus. Segundo o presidente, Francisco Christovam, as cidades brasileiras podem enfrentar falta generalizada de transporte público.

“Se não forem definidas fontes para cobrir esses custos adicionais, as operadoras serão obrigadas a racionar o combustível e oferecer apenas viagens nos horários de pico, pela manhã e à tarde. No resto do tempo, os ônibus terão que ficar parados nas garagens”, adverte.

Com informações da Cidade do Sol.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter