Após ser derrotado em 2018 e escondido em 2020, Garibaldi tenta ressurgir politicamente

Garibaldi tenta ressurgir na política (Foto: Web/Autor não identificado)

Derrotado nas eleições de 2018 quando despencou da condição de senador de um milhão de votos para um humilhante quarto lugar e constrangedoramente escondido nas eleições de 2020, o ex-governador Garibaldi Alves Filho (MDB) ressurgiu do ocaso político para os holofotes da Tribuna do Norte, principal jornal do Rio Grande do Norte.

Com a franqueza de sempre analisou o cenário político no Estado e no Brasil. Criticou a governadora Fátima Bezerra (PT) por não dar foco a questão fiscal no Rio Grande do Norte.

A fala me parece descolada da realidade. A governadora criou um programa de estímulo ao desenvolvimento industrial, sacrificou a própria biografia para aprovar a reforma da previdência e lançou um bem sucedido programa de refinanciamento de dívidas fiscais atrasadas. São medidas que trazem um alívio fiscal para o Governo.

A eleição é ano que vem e será decisiva para a nobreza política potiguar. De fora dos principais cargos pela primeira vez em cinco décadas os oligarcas precisam ser reinventar para retomar a hegemonia política e disputar entre eles o poder no Rio Grande do Norte.

Não será fácil.

O Estado atualmente é governado pela esquerda e as alternativas à situação são nomes da direita sem o pedigree Alves, Maia ou Rosado.

Os oligarcas vão se mexendo com a velha tática de fingir que nada tem a ver com a origem dos problemas do Rio Grande do Norte.

Como se diz no linguajar da Internet o golpe está aí, cai quem quer.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Após ser derrotado em 2018 e escondido em 2020, Garibaldi tenta ressurgir politicamente

  • 8 de fevereiro de 2021 em 16:57
    Permalink

    Verdade Bruno. Gari faz falta no Senado pela ineficiência dos que estão lá. Foi uma carreira política vitoriosa que terminou.
    Não duvido que aceite ser vice de alguém para tentar eleger Valter Senador, perde os dois.
    Hoje acho que ganha Fátima ( nota 5 ) e Rogério Marinho para o Senado.

    Resposta
  • 8 de fevereiro de 2021 em 19:12
    Permalink

    Bruno !
    É lamentável que isso ocorra nem as aposentadorias milhonarias desses canalhas conseguem mantê-los longe da nossa política, tanto mal que fez ao povo Potiguar e agora querendo voltar a dominar o estado, isso com ajuda da imprensa que sente muita saudade desses canalhas e fala como se o povo fosse dependente de gente desse tipo vamos esperar pra ver qual vai ser a reação do povo comedor de Camarão.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *