Fábio Dantas pode ficar de mãos abanando em 2022 (Foto: autor não identificado)

Ausência de Fábio Dantas no palanque de Bolsonaro é sinal de desespero ou ele não é mais candidato?

Nada em política é por acaso. O ex-vice-governador Fábio Dantas (SD) levou falta na agenda de bolsonaro ontem em Natal. O assunto passou batido na mídia potiguar, mas salvo raras exceções a ausência foi registrada.

A resposta obvia seria: Fábio não quer colar a imagem dele em Bolsonaro que tem mais de 60% de desaprovação no Rio Grande do Norte. Isso por si só já seria um sinal claro de desespero.

Com média de 11,4% nas pesquisas realizadas no mês passado, Fábio Dantas não emplacou. Está longe da meta esperada de chegar a 20 pontos percentuais ainda em junho. Mesmo com todo entusiasmo da mídia natalense, ele não conseguir se distanciar do senador Styvenson Valentim (Podemos), que sequer tem confirmado a candidatura ao Governo.

Dantas precisa do eleitor bolsonarista para a largada então não faz sentido ele, que diz não ser bolsonarista, mas vota no presidente, levar falta ao evento que tinha uma faixa com a frase “fora Fábio Dantas”.

Repare, leitor e leitora, que sequer existem especulações sobre quem seria o vice de Dantas.

Minha aposta é que, apesar do desempenho melhor (até pela redução de postulantes), o ex-vice-governador vai ser rifado do grupo comandando pelo ex-ministro Rogério Marinho (PL) como o deputado federal Benes Leocádio (UB) foi ano passado.

Resta saber quem será o novo “candidato imbatível” patrocinado pela elite natalense. Por isso, Dantas está vagando na condição de pré-candidato como Benes ficou até que surja uma “solução”.

Se ninguém melhor aparecer, ele vai ficando candidato.

 

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter