Denúncia de estupro em Mossoró envolvendo menores de idade viraliza nas redes sociais

Uma denúncia de estupro ocorria em Mossoró se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais no Brasil. No fechamento desta matéria (7h35) 81,3 mil pessoas já tinha comentado o assunto no Twitter.

O caso ganhou repercussão quando uma jovem de 16 anos usou o perfil pessoal no Instagram para relatar que foi estuprada por outro menor de idade (confira na imagem abaixo).

Ela não só contou a história como apresentou prints como prova de que foi forçada a fazer sexo (ver abaixo).

O mais absurdo nesta história é o relato de má vontade de uma funcionária da delegacia em que a garota ligou pedir orientações sobre como fazer o Boletim de Ocorrência (ver abaixo).

O garoto acusado de estupro gravou um vídeo nas redes sociais se dizendo inocente e informando que também registrou um Boletim de Ocorrência.

Nota do Blog: essa história é gravíssima. Precisa ser bem apurada pela Polícia Civil. Nós omitimos nomes e fotos por ser uma situação que envolve menores de idade.

Compartilhe:

Comments

comments

4 opiniões sobre “Denúncia de estupro em Mossoró envolvendo menores de idade viraliza nas redes sociais

  • Pingback: Denúncia de estupro em Mossoró envolvendo menores de idade viraliza nas redes sociais • Blog Potiguar

  • 19 de agosto de 2020 em 08:41
    Permalink

    NÃO É NÃO.
    Pode estar no meio de uma relação sexual, poderiam ser casados a 10 anos, se a mulher pedir pra parar, e o homem não parar, é estupro sim!

    Resposta
    • 19 de agosto de 2020 em 13:46
      Permalink

      Entendo dessa maneira também. Mesmo no início, se foi consensual, e ela ao pedir para ele parar, teria que parar na hora. Portanto, isso foi sim estupro.

      Resposta
      • 19 de agosto de 2020 em 14:01
        Permalink

        E é bom descobrir o nome da profissional da delegacia que teve uma atitude totalmente reprovável num momento desse. Pois era quem deveria tomar a iniciativa imediatamente após receber a denúncia da garota que sofreu o estupro.

        Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *