Jean precisa marcar posição (Foto: cedida)

Embate público com adversários favorece Jean na corrida ao Senado

O senador Jean Paul Prates (PT) elevou o tom em relação aos adversários esta semana. Foram duas declarações marcantes: 1) o desafio a Carlos Eduardo Alves (PDT) a ir para disputa no voto; 2) a resposta a um ataque sofrido pelo ministro Rogério Marinho (PL) de ser o “pai do desemprego”.

Jean está atrás nas pesquisas e não vinha explorando dois dos seus melhores trunfos: 1) as pautas impopulares de seus principais adversários; 2) a condição de senador de Lula.

Na disputa com Carlos Eduardo ele tem seu favor a rejeição da base petista a troca dele pelo ex-prefeito de Natal. Ir para o confronto com o pedetista inflama a discussão interna no PT.

Já com relação a Rogério Marinho e o outro ministro bolsonarista Fábio Faria (PSD), Jean tem a seu favor o carimbo de integrantes do impopular governo Bolsonaro que ambos ostentam.

Além disso, os ministros defendem a reforma trabalhista, teto de gastos, reforma da previdência e a política de preços dos combustíveis.

São posições que colocam Jean em sentido oposto.

O embate com eles faz Jean marcar posição entre os petistas, mas também o distingue dos demais nomes postos ao Senado.

A última pesquisa Sensatus realizada em dezembro mostra que Jean apoiado por Lula assume a liderança na corrida eleitoral. É colar a imagem do senador na do ex-presidente alicerçando-se no discurso e aguardar a evolução dos dados.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter