Está tudo dominado (e combinado)

 

Você não vai se indignar? Não me pergunte o motivo da pergunta, mas se quer uma resposta serei curto e grosso: somos uma vergonha como nação. Nação? Somos nação? Tenho sérias dúvidas.

Num país sério Dias Toffolli só por ter sido advogado do PT não seria ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) assim como um sujeito controverso como Alexandre de Moraes sequer seria indicado para a mais alta corte do país. Mas estamos no Brasil, no House Of Cards da vida real.

Aqui um cara suspeito de ter ligações com uma organização criminosa, o PCC, pode ser ministro da justiça e depois indicado para o STF. Aqui um sujeito que escreveu uma tese de doutorado afirmando que um membro de um governo não pode ser indicado para o STF por ter gratidão ao presidente da República. Republica? Onde? No Brasil?

Só se for das bananas.

Afinal só numa uma republiqueta um senador da República (?) diz que é preciso estancar a “sangria” num grande pacto nacional envolvendo o STF para conter a maior investigação sobre corrupção da história e nada acontece.  Tudo que ele disse na época está se confirmando. Nada acontece.

A sociedade está bestializada por uma mídia que a manipula às escancaras e nem percebe. Uns idiotas vomitam contra o PT indo na “modinha”. E o PMDB? O DEM? O PSDB? Difícil encontrar nas incríveis 35 legendas deste país uma que não tenha a mancha da corrupção.

Não somos uma sociedade politizada. Muito menos despolitizada. Apolítica então nem se fala. Somos um povo completamente idiotizado que não reage a cara de pau dos políticos.

Falam em avanço no nosso comportamento político. Não creio. Você já experimentou olhar quais são as notícias mais lidas nos dois maiores portais do país (Globo.com e UOL)? Sempre tenho a curiosidade de olhar e mesmo quando a política está pegando fogo informações sobre novelas, celebridades, futebol, desgraças e coisas fúteis sempre estão na frente.

Somos uma vergonha como povo. Falamos mal dos políticos porque não nos olhamos no espelho.

Por isso, os políticos fazem os acertos dele nos manobrando através da mídia. Daí Alexandre de Moraes passou sem dificuldades no Senado e será contra a moral, a ética e o bom senso ministro do STF com a missão de ser o revisor da Lava Jato sem nem ao menos precisar se comprometer em alegar suspeição. Afinal todo mundo confia na palavra dele de que será “imparcial” ao julgar os políticos (e amigos/correligionários) envolvidos na roubalheira na Petrobras.

Ninguém protestou. Ficou por isso mesmo.

Está tudo dominado (e combinado). Desce o pano.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *