O exagero na dose do veneno da “terra arrasada” pode ter efeito bumerangue

Allyson tem denunciado desmandos da antecessora (Foto: Redes Sociais)

O novo prefeito de Mossoró Allyson Bezerra (SD) iniciou a gestão em ritmo alucinante de denúncias em relação aos desmandos da antecessora Rosalba Ciarlini (PP).

Natural que seja assim quando a oposição vence e assume as rédeas do poder. É obrigação do gestor que assume tomar providências neste sentido realizando auditorias, exonerando comissionados e revisando contratos.

Mas esse discurso tem prazo de validade e a história recente do Rio Grande do Norte mostra isso.

Quando se tornou prefeita de Natal em 2009, Micarla de Sousa exagerou na satanização ao antecessor Carlos Eduardo Alves. Soou como uma vingança após ser menosprezada quando vice dele.

Micarla deixou o cargo com a fama de pior prefeita da história de Natal.

Em 2011, Rosalba não entendeu o recado dos nataleses em relação a Micarla e exagerou na dose e saiu como a pior governadora que o Rio Grande do Norte já teve. Ao retornar a Prefeitura de Mossoró repetiu a dose cavalar de satanização da gestão anterior e saiu derrotada ao tentar a reeleição. Ela se intoxicou duas vezes com o próprio veneno.

Não existe fórmula pronta no quesito discurso da “terra arrasada”. Já deu certo em outros casos como no de Wilma de Faria que ao assumir o Governo em 2003 não poupou os antecessores Garibaldi Alves Filho/Fernando Freire, mas ela soube usar bem a dose e foi reeleita. Há o caso de Carlos Eduardo Alves que usou Micarla de Sousa como trunfo por um bom tempo. Ele soube ser hábil na narrativa pedindo 200 dias em vez dos tradicionais 100 para arrumar a casa. Nos dois casos foram bem sucedidos.

O prefeito Allyson começou afoito, e não poderia ser diferente pelo seu perfil jovem, mas precisa ter pertinência nos apontamentos para não se intoxicar com o veneno que está inoculando em Rosalba.

A ex-prefeita é craque na arte de se vitimizar e o eleitor mossoroense está vacinado contra o melodrama administrativo tanto que perdeu a paciência com o trunfo de acusar Francisco José Junior de ser o causador de todos os males da humanidade.

Já diziam os mais velhos: tudo de mais é veneno. O discurso da terra arrasada é bom exemplo disso.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *