Natal está para Fátima como São Paulo está para Lula no cenário nacional (Foto: reprodução)

Pesquisa mostra oposição perdendo em Natal, cidade símbolo do antipetismo no RN. Mas sinal amarelo está ligado para Fátima

A governadora Fátima Bezerra (PT) sempre teve dificuldades em Natal. A capital do Rio Grande do Norte está para ela como São Paulo está para o ex-presidente Lula (PT).

Assim como o líder petista, Fátima vai mal no seu próprio berço político. Não que Fátima só colecione derrotas na capital. Todas as vezes que foi eleita deputada federal teve grandes votações em Natal como em 2006 quando foi a segunda mais votada com 44.757 sufrágios (atrás de Rogério Marinho com 45.728) ou 2010 quando foi com folga a campeã de votos com 85.558. Ainda temos 2014, quando bateu Wilma de Faria (PSB), por quase dez mil votos de maioria na capital recebendo 155.127 votos para o Senado.

Ainda assim há a lembrança de uma política quatro vezes derrotadas em disputas pela Prefeitura do Natal.

Ainda assim, Natal segue sendo um calo para Fátima. É lá onde perdeu para Carlos Eduardo Alves (PDT) e onde sofre forte oposição do aparato midiático alinhado ao bolsonarismo.

Ainda assim na pesquisa AgoraSei divulgada ontem trazendo o cenário eleitoral apenas em Natal, Fátima segue na dianteira com 31,2% contra 14,5% do senador Styvenson Valentim (Podemos) e 6,8% do ex-vice-governador Fábio Dantas (SD).

O quadro parece bom, mas há ao menos dois sinais amarelos para Fátima na paisagem urbana natalense: 1) a popularidade. A governadora tem 40% de aprovação e 48% de desaprovação, um quadro pior que em nível estadual; 2) as simulações de segundo em Natal trazem cenários mais apertados com Fátima vencendo Styvenson por 38,7% a 32,7%, apenas seis pontos de vantagem. Com Fábio Dantas ela vence por 38,8% a 25,3%, 13,5 pontos acima do ex-vice de Robinson.

A governadora está em vantagem em Natal, numa proporção menor que no restante o Rio Grande do Norte. Natal tem um quarto do eleitorado do Estado, sozinha não decide o pleito, mas exerce influência cultural é um foco importante de resistência ao PT.

Senado

A oposição vai também sendo derrotada em Natal. O ex-prefeito do Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) tem 28,5% contra 16,7% do ex-ministro Rogério Marinho (PL) e 3,7% do deputado federal Rafael Motta (PSB).

O pedetista é ex-prefeito de Natal por quatro vezes, venceu com folga Fátima na capital em 2018, mas agora amarga uma vantagem baixa no seu principal reduto.

Lula/Bolsonaro

Outro ponto ruim para a oposição é a vantagem de Lula sobre Jair Bolsonaro na capital. O petista tem 40,7% contra o atual presidente que soma 26,8% seguido de longe por Ciro Gomes (PDT) com 8%. A última vitória para presidente do PT em Natal foi 2014 quando Dilma Rousseff teve 222.585 (58,08%) contra 160.678 (41,92%) de Aécio Neves (PSDB).

Os números não são por acaso. Bolsonaro tem 57,2% de desaprovação na capital e aprovação de 32,6%.

Isso é uma péssima notícia para a oposição bolsonarista em Natal, mas não necessariamente algo bom para Fátima ou Carlos Eduardo.

Conclusão

Hoje o quadro é ruim para oposição, mas há incertezas para Fátima Bezerra e seus aliados.

A pesquisa AgoraSei ouviu 800 eleitores em Natal entre os dias 23 e 25 de julho. A margem de erro é de 3,4 pontos percentuais para mais ou para menos. O registro na Justiça Eleitoral é o RN-06521/2022.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter