Categorias
Artigo

Professores, o Brasil não esquece de vocês

Por Jean Paul Prates*

Na última sexta-feira (15), o Brasil celebrou mais um Dia do Professor. Ainda que possam ter faltado as justas homenagens e o devido reconhecimento do governo Bolsonaro a essa categoria essencial à construção do País, os 2,6 milhões de professores e professoras não passaram a data sozinhos. A nação não esquece os responsáveis pela formação e transformação de milhões de vidas e destinos.

Aos professores e professoras do Brasil, poderíamos dedicar uma infinidade de palavras. Mas é possível resumir tudo em uma só: obrigado/a. Se a educação liberta, forma cidadãos e promove a transformação da sociedade para o bem comum, são esses homens e mulheres os maiores responsáveis por operar essa alquimia.

São esses homens e mulheres que abraçam o magistério sabendo, de antemão, que a remuneração de seu ofício estará sempre muito aquém do serviço prestado e das difíceis condições de trabalho.

E ainda assim eles vão lutar. Vão segurar forte a mão de seus alunos para que não sejam tragados pela evasão escolar, vão pelejar para acender um brilho nos olhos dos pequenos que tentam aprender com fome, vão ser o estímulo dos que labutam para construir uma vida melhor.

A dureza de ser professor e professora é uma daquelas mazelas históricas das quais o País precisa ter pressa em se livrar. Mas, no Brasil de hoje—tudo demorando em ser tão ruim—, a perversidade obscurantista resolveu acrescentar mais algumas doses de fel. E é assim que tantos desses bravos 2,6 milhões de trabalhadores e trabalhadoras se vêm acossados em sala de aula por desvarios como o “Escola sem Partido”—como se o partido dos professores não fossem sempre seus alunos.

Valorizar os educadores e educadoras é uma obrigação moral que o Brasil precisa honrar. Essa tem sido uma das prioridades do nosso mandato. Afinal, eles e elas são agentes essenciais na construção do nosso futuro e na construção das mudanças sociais tão necessárias à felicidade do nosso povo.

Professores e professoras merecem mais dignidade e respeito para o exercício da profissão. Salários que equivalham ao trabalho que realizam e condições para desempenhar o seu papel. Nesta luta, estamos lado a lado.

Neste Dia do Professor, convido a todos os leitores a lembrar com carinho e gratidão de cada um dos mestres que participaram de sua formação. Vamos desejar e trabalhar para que, num futuro bem próximo, nossas palavras nesta data sejam só de festa e homenagem, e que as dificuldades de ser professor sejam só um capítulo nas aulas de História.

*É senador pelo PT/RN.

Este texto não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema. Envie para o barreto269@hotmail.com e bruno.269@gmail.com.

Categorias
Foro de Moscow

Foro de Moscow 15 out 2021 – O ranking do salário dos professores e onde está o RN

Categorias
Matéria

Homenagem da Prefeitura de Mossoró ao Dia dos Professores gera reação negativa nas redes sociais

Homenagem termina em desmentidos constrangedores

A Prefeitura de Mossoró postou nas redes sociais uma homenagem ao Dia dos Professores transcorrido ontem, dia 15.

Na tag a gestão municipal afirma estar pagando salários em dia e acima do piso nacional da categoria além de investir em formação continuada, 14º salário e progressão funcional. Também é citada a realização de um processo seletivo simplificado.

A reação foi a pior possível.

“Fico me perguntando se a homenagem é para os professores ou para a prefeitura . Onde está a exaltação do trabalho do professor?”, questionou Leidiane Duarte.

Ramilson Macêdo Saldanha elevou o tom: “Por que não diz a verdade? A prefeitura não paga o Piso Nacional, trabalhamos em condições precárias, falta de material, salas superlotadas e quentes”.

Jobson Kmkz disparou: “Se a valorização é o melhor “presente” então neste ponto a prefeitura”faltou a aula”. Temos sido perseguidos e humilhados por esta gestão. Onde está o nosso aumento?”.

Não faltaram reclamações sobre a falta de diálogo. “Diálogo, é isso que nossos professores querem e merecem, no entanto, a senhora Rosalba tem tentado calar a voz de nossos professores. A educação é um ato de coragem, os professores e estudantes de Mossoró lembrarão da atuação da senhora Rosalba ano que vem e estarão na linha de frente contra seu governo”, disse Melissa Filgueira.

Ainda houve comparações entre o 15 de outubro e o 1º de abril, dia da mentira.

No início da noite a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDSERPUM), Marleide Cunha, apontou pontos que contestam o discurso da comunicação da prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

Confira:

Esse pôster da prefeitura em suas redes sociais não é homenagem aos professores é uma ofensa. A gestão Rosalba mais uma vez desrespeita porque mente para esconder a DESVALORIZAÇÃO dos professores. Ela precisa mentir para manter-se no poder e nós precisamos mostrar a verdade para não sermos feitos de idiotas. Quem quiser saber a verdade, acompanhe:

1 – A prefeita Rosalba DIMINUIU o Piso Salarial, pois aplicou índice de reajuste MENOR que o determinado pelo Piso Nacional;

2 – Não paga salário em dia, pois paga aos pedaços.

3- REDUZIU drasticamente o número de escolas premiadas com o 14° salário. Em 2016 foram 29 escolas e UEIs, enquanto que na gestão Rosalba caiu para apenas 13. Aumentam o rigor para premiar menos. Cadê a valorização?

4- Tentou impedir a progressão dos professores de 40h e só pagou as peticionadas em 2017 de forma parcelada e por força da pressão da greve. Ainda deve 2018.

5 – Não faz concurso público, preferiu amarrar os professores em contratos precários.

6- Diminuiu drasticamente as oportunidades de formação continuada.

7- Entende que o Plano de Carreira dos professores é um problema para a gestão, por isso, procura formas de fragilizá-lo.

8 – Deixa as escolas sucateadas sem condições básicas de trabalho para os professores;

9- Descontou salário ilegalmente em uma greve e depois ainda quis humilhar os professores com a aberração de um tal termo de compromisso. Os professores reagiram e deram uma lição de honradez não se submetendo.

10- A gestão Rosalba não tem concepção de Educação definida, por isso, se apega a qualquer modismo e só enxerga o valor econômico. Vê a educação como produto de mercado.

Enfim, a lista seria longa, mas vou resumir: Essa é a gestão que mais desvalorizou os professores e mais desrespeita o direito das crianças a uma educação pública de qualidade.

Poderia ao menos não mentir tanto.