Categorias
Matéria

Segmentos da Ufersa realizam “desaniversário” rememorando um ano de intervenção na universidade

Ludmila completa um ano no cargo com protesto de servidores e estudantes (Imagem: Reprodução)

A Associação dos Docentes da Universidade Federal Rural do Semi Árido (Adufersa), o Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior na UFERSA (Sintest-Ufersa) e o Diretório Central dos Estudantes da UFERSA (DCE-UFERSA), que representam os três segmentos da comunicada acadêmica da instituição de ensino realizam na próxima terça-feira (31) um ato público rememorando um ano da intervenção federal na universidade.

Chamada de “desaniversário” a manifestação reúne professores, servidores e estudantes em uma manhã de protesto contra a posse da Professora Ludmila Serafim, que foi nomeada Reitora em 31 de agosto do ano passado pelo Governo Federal, após ficar em terceiro lugar nas eleições internas da instituição.

O ato público será realizado a partir das 8h no Campus Leste da Ufersa. A atividade terá início com um café da manhã coletivo e, após isso, será realizado um momento de diálogo com o Professor Rodrigo Codes, reitor eleito e não empossado na Ufersa. Os organizadores da atividade lembram da importância do uso de máscara e do distanciamento social durante a ação.

Por meio de uma nota conjunta nas redes sociais, Adufersa, Sintest e DCE se manifestaram sobre o processo de intervenção na instituição de ensino e convocaram os segmentos universitários a participar da atividade. “Mais uma vez, reforçamos o nosso entendimento de que a atual gestão da nossa universidade não nos representa. A nomeação de alguém que não foi o primeiro colocado foi um forte ataque à nossa autonomia e à democracia. Nesse um ano, travamos boas lutas contra os ataques da Intervenção à comunidade acadêmica. Por isso, devemos dar fôlego à nossa luta! Não vamos cessar até que o Reitor Eleito seja empossado” destacaram as entidades representativas.

Categorias
Matéria

Segmentos da Ufersa publicam carta repudiando um ano de intervenção na instituição

Segmentos divulgaram carta nas redes sociais (Foto: Internet)

A Associação dos Docentes da Universidade Federal Rural do Semi Árido (Adufersa), o Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior na UFERSA (Sintest-Ufersa) e o Diretório Central dos Estudantes da UFERSA (DCE-UFERSA), que representam os três segmentos da comunicada acadêmica da instituição de ensino publicaram ontem (25) uma carta unificada denunciando a intervenção na universidade, que completou um ano.

Com o título 1 ano de intervenção na UFERSA: Basta! A UFERSA não merece isso!” a carta relembrou que em 21 de agosto de 2020, a professora Ludimilla Serafim foi nomeada pelo Governo Federal Reitora da UFERSA, após obter menos de 20% dos votos na consulta à comunidade acadêmica, ficando apenas em terceiro lugar na disputa.

O documento afirma que após a intervenção na Ufersa uma série de retrocessos foram observados por professores, servidores técnicos e estudantes. A Carta também rememora que Ludmila permanece sendo acusada por plágio na produção de sua tese de doutorado, algo incompatível com a natureza do cargo de Reitora.

“Neste curto período de um ano, a comunidade ufersiana foi obrigada a conviver com um verdadeiro “show” de horrores: do uso do expediente, absolutamente atípico, do veto a decisões do CONSUNI para que fosse mantida a imagem de um ditador no Gabinete da Reitoria à criminalização do movimento estudantil; da descaracterização completa da cerimônia de colação de grau, com o objetivo de censurar manifestações contrárias, à perseguição e à abertura de processos administrativos disciplinares contra desafetos políticos; de denúncias absolutamente incontestáveis de plágio, cometido por Ludimilla Serafim em sua tese de doutorado a, finalmente, uma saída absolutamente injustificada, isolacionista e arbitrária da ANDIFES”, afirmam os segmentos na carta.

Confira a carta na íntegra

CARTA ABERTA À COMUNIDADE UFERSIANA 

1 ano de intervenção na UFERSA: Basta! A UFERSA não merece isso!

 

Em 21 de agosto de 2020, Ludimilla Serafim foi nomeada Reitora da UFERSA, após obter menos de 20% dos votos na consulta à comunidade acadêmica.

Neste curto período de um ano, a comunidade ufersiana foi obrigada a conviver com um verdadeiro “show” de horrores: do uso do expediente, absolutamente atípico, do veto a decisões do CONSUNI para que fosse mantida a imagem de um ditador no Gabinete da Reitoria à criminalização do movimento estudantil; da descaracterização completa da cerimônia de colação de grau, com o objetivo de censurar manifestações contrárias, à perseguição e à abertura de processos administrativos disciplinares contra desafetos políticos; de denúncias absolutamente incontestáveis de plágio, cometido por Ludimilla Serafim em sua tese de doutorado a, finalmente, uma saída absolutamente injustificada, isolacionista e arbitrária da ANDIFES.

Mas não foi só isso que se passou ao longo deste ano de intervenção. Além da completa incapacidade administrativa que esta gestão hoje demonstra na condução de questões triviais relativas ao cotidiano universitário, é ainda mais grave que, hoje, a Reitoria da UFERSA seja posta a serviço de uma agenda fascista. A Administração Superior da UFERSA nos oferece este quadro deprimente em nome de um governo genocida, que promove a morte do povo brasileiro através da pandemia.

Trata-se de uma enorme mancha na história de nossa Universidade, com cuja superação todos devemos estar comprometidos. Basta! Nossa Universidade não merece isso. Não merece ter seu nome jogado na lama por aqueles que se apossaram de sua gestão sem legitimidade, pondo-a a serviço de uma agenda retrógrada, cujo eixo central passa pela destruição da Universidade como instituição. A política de intervenção que o Governo Federal leva a cabo junto a seus interventores – entre eles, Ludimilla Serafim – é essencialmente uma política contrária a tudo que a Universidade representa: democracia, diversidade, liberdade de expressão e produção rigorosa de conhecimento.

A história da UFERSA é uma história de luta: aqueles que por aqui passaram lutaram para produzir novas ideias, para contribuir com a formação de cidadãos e novos profissionais; lutaram para garantir, a duras penas, as condições para isso.

Cabe a nós todos, comunidade ufersiana, recuperar esta história, para resgatar a UFERSA. #Pela nomeação dos Reitores eleitos! #Fora Ludimilla!

Mossoró, 25 de agosto de 2021

 

Associação dos Docentes da UFERSA (ADUFERSA)

Diretório Central dos Estudantes da UFERSA (DCE-UFERSA)

Sindicato Estadual dos Trabalhadores em Educação do Ensino Superior na UFERSA (SINTEST-UFERSA)