Categorias
Matéria

RN tem novo sistema de monitoramento de chuvas

Com investimentos de R$ 5,9 milhões, a governadora Fátima Bezerra lançou nesta quarta-feira (15) o novo sistema que usa tecnologia de ponta para fazer o acompanhamento das informações sobre chuvas, temperatura, umidade do ar e outras variáveis climáticas em tempo real. Será com ele que a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) fará o acompanhamento do inverno de 2022 de forma ágil e com maior grau de confiabilidade.

Com 291 estações espalhadas por todo o RN, o novo sistema de monitoramento meteorológico emitirá dois tipos de boletins diários. De hora em hora, gerado automaticamente pelo programa, e os híbridos, cinco por dia, com informações da rede automática e da convencional.

Na hora do lançamento, às 15h, o sistema registrava a ocorrência de chuvas em 37 estações, sendo a maior delas (25,4 mm) em Umarizal, na mesorregião Oeste. E o mapa da temperatura tinha o vermelho e o laranja escuro com predominância, o que significa temperaturas acima de 30ºC. Caraúbas (37ºC), Itaú (36,7°) e Severiano Melo (36,7ºC) eram as cidades mais quentes naquela hora.

A governadora Fátima Bezerra, que nasceu no sertão e sabe a importância que as chuvas têm para a economia e a sobrevivência dos que vivem no Semiárido nordestino, elogiou o trabalho da equipe da Emparn e dos parceiros que tornaram o projeto uma realidade. “O monitoramento é por demais importante porque possibilita adotar ações não apenas para a agricultura, mas para diversas outras áreas, como a defesa civil. Essa é uma demonstração clara de como usar a tecnologia para alicerçar as políticas públicas no sentido de otimizar recursos.”

Na solenidade, Fátima anunciou a liberação da contrapartida do Governo do Estado do Seguro Safra, disse que no dia anterior, cumprindo agenda administrativa em Mossoró, havia feito a entrega de sementes crioulas para que os agricultores possam aproveitar o período propício ao plantio e perguntou se já havia prognóstico para o inverno do próximo ano. “Estamos nos antecipando e torcendo para que haja um bom inverno em 2022”, enfatizou.

O secretário de Gestão de Projetos e Metas de Governo e Relações Institucionais, Fernando Mineiro, lembrou que o projeto de modernização da coleta de dados meteorológicos foi mais um nó desatado pelo governo da professora Fátima Bezerra. “Estamos demandando um sistema de planejamento que extrapola, e muito, a área rural. Ele tem impacto também na vida das pessoas na área urbana, no abastecimento das cidades.”

Para o secretário da Agricultura, da Pecuária e da Pesca, Guilherme Saldanha, as informações que já estão disponíveis para consulta pública no site da Emparn são importantes também para o pós-plantio: “O Governo do Estado está entregando um equipamento fantástico. Com ele, o agricultor poderá planejar as ações de pulverização da lavoura e diminuir os gastos da energia elétrica com a irrigação.”

Planejamento

A partir das informações coletadas será possível melhorar o zoneamento agrícola, dando mais segurança aos agricultores, principalmente para escolher o tempo certo para o plantio e a cultura adequada ao município. O acompanhamento mais eficaz possibilita auxiliar na gestão dos recursos hídricos do Estado.

Os 177 pluviômetros convencionais que fazem parte da rede da Emparn e foram usados até o final da estação chuvosa de 2021, não serão desativados. Mas agora, os observadores/leituristas vão alimentar o sistema por meio de aplicativo próprio e não mais por ligações telefônicas, que provocavam um lapso de tempo de pelo menos cinco horas entre a coleta dos dados em campo e a divulgação do boletim pluviométrico pela Emparn.

Para o coordenador-geral do projeto, o meteorologista da Emparn, Gilmar Bristot, com o novo sistema, a Meteorologia do Rio Grande do Norte entra em uma nova era. “Saímos do Século 19 para o Século 21”, definiu ele, citando o zoneamento de risco climático como “importante ferramenta de orientação ao agricultor, especialmente os do semiárido. Ele indica os locais e o período propício ao plantio, reduzindo a possibilidade de perdas e melhorando a produtividade.”

Com a nova ferramenta, reforçou o diretor-presidente da Emparn, Rodrigo Oliveira Maranhão, “os agricultores correrão menos riscos e os bancos, certamente, terão menos dificuldades na hora de liberar o crédito agrícola.” Maranhão destacou o empenho da governadora para implantação do sistema. “Desde o primeiro momento, a governadora vinha dizendo: quando isso vai virar realidade?”

As funcionalidades da ferramenta foram apresentadas pelo pesquisador da Emparn, Josemir Neves, um dos coordenadores do projeto.

Participaram da solenidade, entre outros, o secretário da Segurança Público, Coronel Francisco Araújo, o coordenador da Defesa Civil, Coronel Carvalho; diretor presidente do IGARN, Francisco Auricélio; coordenador do INPE no Nordeste, Marcos Aurélio; presidente da Fapern, Gilton Carvalho; presidente da FAERN/SENAR, José Vieira; presidente da Fetarn, Manoel Cândido; Superintendente do Mapa, Roberto Papa e Thomaz Neto, representando a Prefeitura do Natal.