Categorias
Matéria

Especialistas alertam para os riscos de sangramentos no nariz e dores de garganta provocados por tempo seco em Mossoró

Foto: cedida

Mossoró está em estado de atenção devido à baixa umidade relativa do ar. Os índices variam entre 20% e 30%, no período mais quente do dia. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o percentual ideal deve ser superior a 60%. O tempo seco tem efeito direto na saúde da população, e especialistas alertam para os riscos de sangramentos no nariz e dores de garganta. Consultórios médicos locais já registram aumento de casos, especialmente entre crianças.

A médica otorrinolaringologista Anna Caroline Rodrigues explica que a situação ocorre porque a exposição à baixa umidade, caracterizada pelo tempo seco, provoca o ressecamento das mucosas do nariz e da garganta. Segundo ela, nessas condições, o corpo fica mais exposto à atuação de vírus e bactérias.

“O efeito disso é aquela sensação de nariz ressecado, que pode vir com sangramentos. Também são muito comuns dores de garganta e rouquidão. Além disso, ao ressecar, a mucosa deixa de cumprir uma de suas principais missões, que é servir de barreira para a entrada de vírus e bactérias, deixando o corpo mais vulnerável à entrada de substâncias nocivas à saúde”, detalha.

De acordo com o meteorologista José Espínola, tais condições do tempo devem prevalecer até dezembro, especialmente, entre 14h e 15h. “Entramos na época mais quente, e isso faz com que a umidade relativa do ar caia, principalmente no período mais quente do dia, entre 14h e 15h, quando os termômetros registram até 37° graus e os índices da umidade não ultrapassam 30%. Isso é muito perigoso”, alerta.

Prevenção

Para conviver com níveis tão baixos da umidade do ar e evitar problemas de saúde, Anna Caroline recomenda medidas preventivas, que vão desde uma simples hidratação até a lavagem do nariz, com soro fisiológico.

“É imprescindível ingerir muito líquido nesse período, isso vai hidratar as mucosas. Também deve-se evitar exposição ao sol nas horas mais quentes do dia, umidificar ambientes com baldes de água e toalhas molhadas e, principalmente, fazer a lavagem nasal com soro fisiológico, diariamente, que manterá hidratação da via aérea superior”, indica.