Câmara suspende sessão por duas horas apenas para gantir quórum para aprovar título de persona non grata para sindicalista

Sindicalista é “homenageada” (Foto: Edilberto Barros)

A Câmara Municipal de Mossoró alcançou um feito inédito em sua história. Suspendeu uma sessão por duas horas apenas para aprovar um título de persona non grata para a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDSERPUM) Marleide Cunha.

Antes a sessão fora marcada pela polêmica causada porque o vereador Gilberto Diógenes (PT) tinha proposto uma honraria a Marleide na sessão solene prevista para o dia 29 em alusão ao Dia Internacional da Mulher.

Cada vereador tinha direito a indicar duas mulheres e Gilberto indicou Marleide e uma integrante do MST, mas os governistas se recusaram a aprovar a homenagem a sindicalista por causa dos ataques promovidos em outdoors após a casa aprovar o reajuste salarial dos servidores municipal numa proposta criticada pelo sindicato por conter retirada de direitos.

Esse tipo de proposta exige quórum qualificado de dois terços da casa. Como a iniciativa seria derrubada os sete vereadores da oposição esvaziaram a sessão, trancando a pauta.

Para garantir que o requerimento fosse derrubado, foi preciso esperar o vereador Ricardo de Dodoca (PROS) aparecer na casa. Como ele não foi localizado, a solução para retaliar Marleide foi abrir uma sessão extraordinária apenas para votar o requerimento de persona non grata para a sindicalista, que exigem quórum simples. Assim com a presença de 100% da bancada governista a proposta foi aprovada.

Com o requerimento aprovado, Marleide fica impedida de receber qualquer honraria da Câmara Municipal.

Persona nom grata é uma expressão latina que significa “pessoa não agradável”, “não querida” ou “não bem-vinda”.

Nota do blog: ainda farei uma análise mais profunda sobre o assunto, mas não poderia deixar de registrar meu repúdio a essa atitude infantil da Câmara Municipal que está servindo mais uma vez de escudo para a prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

 

Compartilhe:

Comments

comments

7 opiniões sobre “Câmara suspende sessão por duas horas apenas para gantir quórum para aprovar título de persona non grata para sindicalista

  • 20 de março de 2019 em 16:34
    Permalink

    Me diga uma coisa, quer dizer q os vereadores tem q apanhar? Receber e ouvir todo tipo de desaforo e não pode retaliar? Pode sim. Né não?

    Resposta
  • 20 de março de 2019 em 17:02
    Permalink

    É triste ver a câmara municipal de Mossoró se prestar a esse papel. Viraram capacho do Executivo.

    Resposta
  • 20 de março de 2019 em 17:25
    Permalink

    Mostra que a presidente está do lado certo. Receber um título vindo de Sandra Rosado, Alex Moacir, Izabel, Francisco Carlos, Zé Peixeiro, deve ser uma lástima.
    Detalhe, Sandra Rosado brigou tanto por privilégios financeiros no atual mandato, não vejo o mesmo empenho para garantir aos professores os seus direitos. Oligarquia nunca deixa de ser oligarquia

    Resposta
  • Pingback: Administração cardiopata sofre infartos com Marleide e greve de servidores – Diário Político

  • 20 de março de 2019 em 20:51
    Permalink

    Meu caro José, que me.desculpe, a vereadora Sandra, foi igualmente atingindo, como os demais vereadores,. se fosse você no caso,, como você reageriria? Se o governo petista do RN, apresenta qualquer medida, geralmente ineficaz, eu só vejo elogio. Vamos com calma. Né não. Tenho dito q calma e caldo de galinha não faz mal a ninguém. Na mesmo?

    Resposta
    • 21 de março de 2019 em 00:19
      Permalink

      Roberto Mitre,
      A vereadora Sandra é uma figura pública, que ocupa cargo público, então, não é imune as críticas. Inclusive, as críticas que são feitas a ela e aos demais vereadores são dirigidas as opções que eles fizeram no plenário.
      Eu acho até que as críticas a Sandra deveriam ser muito maiores, pois ela já atua a décadas em legislativos, com atuações medíocres, diga-se de passagem. Sandra lidera um ala de uma oligarquia que já deveria ter sido banida da politica, basta ver os escândalos de corrupção que seu grupo estão envolvidos.
      Sandra a pouco tempo criou uma crise sem precedentes dentro da Câmara para receber privilégios financeiros em um momento de crise, foi uma leoa na luta pelas verbas e auxílios para os vereadores, que são altíssimas. Como também foi uma leoa na luta pela retirada do que é garantido por lei federal aos professores. Inclusive, as verbas já estando no cofres municipais asseguradas pelo governo federal.
      Não é razoável, muito menos inteligente, comparar as críticas que uma figura pública recebe ao que uma pessoa em cara ter privado venha a receber.
      Quanto ao caldo de galinha eu recomendo você tomar bastante, afinal encontrar narrativas que defendam Sandra ou qualquer outro vereador da base governista não deve ser fácil. Né mesmo ?

      Resposta
  • 20 de março de 2019 em 22:28
    Permalink

    Nunca vi em toda minha vida coisa mais ridícula para uma câmara municipal. Os vereadores que fizeram esse papel ridículo perante a sociedade mossoroense deveriam se invergonharem de coisa tão feia e imatura para os mesmos enquanto autoridades constituídas. Beira a burrice e estupidez. Picuinha e revangismo . Coisa pequena mesmo. Parecendo birra de criança birrenta. Convenhamos que esses mesmos vereadores é quem mereciam o título por estarem sempre defendendo interesses próprios e esdrúxulos. Bando de lambe botas da prefeita além de politiqueiros. Ridículos!!!! Toda a solidariedade a professora Marleide Cunha pela luta e firmeza em defesa dos servidores públicos municipais.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *