Ex-deputado condenado a 30 anos de cadeia foi nomeado servidor da Assembleia por meio de atos secretos

Gilson-Moura-Foto-Marlio-Forte1

Na última sexta-feira, 29 de dezembro, o Blog do Barreto revelou que o ex-deputado estadual Gilson Moura recebe um salário de R$ 24.514,38 rigorosamente em dia na Assembleia Legislativa (ver AQUI).

O que chamou atenção é o fato dele constar como servidor estatutário, ou seja, com estabilidade como um concursado. O problema é que o primeiro concurso realizado na Assembleia Legislativa foi em 2013 quando ele ainda era deputado estadual.

Mas outros fatos chamam atenção. Um deles é o fato de a Constituição de 1988 só garantir estabilidade para que estava no serviço público cinco anos antes de sua promulgação. Trocando em miúdos: o benefício vale para quem estava no serviço público até 1983.

Nascido em 1967, Gilson Moura tinha 16 anos nessa data. Logo não faz sentido a estabilidade para ele.

Aí é que os fatos se ligam: Gilson Moura era Auxiliar de Serviços, da Companhia de Habitação Popular do Rio Grande do Norte (COHAB) e foi transferido para a casa através de atos secretos nos anos 1990 quando atuava como repórter policial.

A nomeação dele está no polêmico trem da alegria com outras 193 pessoas que ganharam a condição de estatutário sem concurso público e após a constituição de 1988.

O Ministério Público solicitou a exoneração de Gilson e dos outros 192 envolvidos. O Tribunal de Justiça alegou prescrição, mas o Superior Tribunal de Justiça (STJ) anulou a decisão e mandou fazer um novo julgamento.

O caso de Gilson Moura salta aos olhos por ele ser um ex-deputado condenado a 30 anos de cadeia por corrupção e seguir recebendo os salários normalmente, e em dia, num Estado que amarga atrasos salariais que acumulam três folhas.

O novo julgamento nunca foi realizado.

Compartilhe:

Comments

comments

5 opiniões sobre “Ex-deputado condenado a 30 anos de cadeia foi nomeado servidor da Assembleia por meio de atos secretos

  • 3 de janeiro de 2018 em 21:38
    Permalink

    So mala sem alça ate quando vamos viver assim com um bando se coruptos no poder??

    Resposta
  • 4 de janeiro de 2018 em 09:29
    Permalink

    A OAB deveria entrar com uma Ação para cancelar o salário desté condenado. O Governo fica sem moral para cobrar dos policiais a sua permanência nos seus postos de trabalho e sem receber seus salários

    Resposta
  • 4 de janeiro de 2018 em 12:15
    Permalink

    Isso não é e nunca foi novidade… Pq só eu conheci uma equipe que recebe e não vai trabalhar e nunca deu expediente… Temos duas que mora na Europa ganha 5 mil e nunca pisou e a mãe e secretária de um deputado e coordenadora de um Federal… Existe 4 empresários vários ex prefeitos na folha da casa com mãos de 8 mil cada um…. Filha de um funcionário que presidente da associação Sá casa e funcionaria e trabalha com ele… Nepotismo né? E vários erros que eles tirarão quem trabalha pra pagar o que devia……. Eu denuncie aqui pq me tirarão a 9 meses e eu dava expediente e prestava serviços a casa

    Resposta
  • 4 de janeiro de 2018 em 12:23
    Permalink

    Desde quando ele deixou de ser deputado estadual já estava nomeado não tirarão pq dependia dos votos dele em parnamirim como candidato e seu irmão a prefeito de apódi. Deu errado….. Vou ssim mandar a lista dos fantasmas conhece cada um…….inclusive da es deputada gesse marinho no gabinete da esposa do vice governador e mais três

    Resposta
  • 4 de janeiro de 2018 em 13:23
    Permalink

    Amigos vcs querem o q de um estado, que a população e inerte? Ninguém faz nada! E garanto a vcs que nas eleições deste ano vão eleger de novo esse monte de bandido travestido de políticos que tem no nosso estado….

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *