“As medidas foram incipientes para o momento de crise”, afirma Izabel Montenegro

A vereador Izabel Montenegro (PMDB) foi a primeira parlamentar a se manifestar a respeito das medidas tomadas pelo prefeito Francisco José Junior (PSD). Para ela, a iniciativa é insuficiente. “As medidas foram incipientes para o momento de crise que a gente vive. Era para cortar contratos de alugueis. Se o déficit é de R$ 5 milhões esses 157 mil/mês vai resolver o quê?”, questionou.

A peemedebista explicou porque não esteve presente ao anúncio dos cortes. “Não fui porque eu pedi para Silveira que ele chamasse uma comissão de vereadores para que  a gente pudesse opinar”, justificou.

Sempre franca, Izabel não escondeu a mágoa do chefe do executivo municipal. “Quero ajudar Silveira, mas tenho uma mágoa por não ser ouvida. Como vou defender uma coisa que eu não participei? Mas torço que dê certo”, declarou.

Para ela foi um equívoco reduzir o número de secretarias sem anunciar quem vai assumir as pastas. “Ele já deveria ter definido quem vai ficar”, analisar.

A parlamentar colocou em dúvida a continuidade da secretária municipal de educação Ieda Chaves. “Eu acho que era para ser feita uma redução. Quais são os nomes? Falam que a cabeça de Ieda vai rolar. Eu acho ela competente”, disse.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *