Com elevada taxa de incidência de casos confirmados do novo coronavírus, Areia Branca já registrou seis óbitos por Covid

SESAP RN informa taxa de incidência dos municípios (Imagem: Reprodução)

A situação epidemiológica do município de Areia Branca (RN), em relação ao novo coronavírus, preocupa. A cidade registrou seis mortes com confirmação da doença, de acordo com boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP-RN) divulgado na tarde desta quarta-feira. O mesmo documento informa que são 52 casos confirmados, uma incidência de 191,4 por grupo de 100 mil habitantes, maior do que a incidência em cidades como Mossoró (142,5/ 100 mil habitantes) e Natal (116,8/ 100 mil habitantes). De acordo com o boletim há ainda 269 casos suspeitos, 41 descartados e dez pessoas recuperadas.

Os números divergem um pouco dos dados que constam no boletim epidemiológico divulgado ontem, 12, pela Prefeitura de Areia Branca, que informava 59 casos confirmados da doença, com 18 pessoas recuperadas, 206 casos suspeitos e 49 descartados.

A enfermeira e funcionária do setor de epidemiologia de Areia Branca, Ivanoska Vale, explica a diferença nos números. Segundo ela, o boletim do Município sempre terá números mais altos, porque a Secretaria Municipal tem acesso mais rápido a resultados de exames do laboratório particular do laboratório particular de Areia Branca e do laboratório do hospital. Amanhã, inclusive, será divulgado um novo boletim pelo município que pode divergir ainda mais do boletim do Estado. Mas ela explica que Estado e Município estão antenados com relação às informações e as diferenças ocorrem em relação ao tempo de atualização dos dados.

Além disso, Ivanoska Vale comenta que a falha ocorre no modelo do sistema nacional, que os profissionais precisam alimentar e que não permite a inserção dos dados em uma planilha única. “Isso dificulta o consolidado dos dados”, diz a enfermeira.

Ela comenta que a situação da cidade é muito preocupante para todos os profissionais de Saúde e informa que o assunto vem sendo discutida com o Estado.

Para o secretário municipal de Saúde de Areia Branca, Alexandre Inácio da Silva, o problema do número elevado de casos na cidade é decorrente da falta de respeito aos decretos e ao isolamento social. Ele diz que o trabalho da Secretaria de Saúde fica difícil pela falta de conscientização.

Além disso, Alexandre acredita que a questão se alastrou devido à presença Terminal Salineiro – Porto-Ilha na cidade e afirma que só houve atuação em relação ao Porto após a gestão municipal acionar a Justiça.

O secretário menciona que o fluxo de contaminação é alto e diz que a equipe de monitoramento tem atuado para observar pacientes e infectados.

De acordo com o secretário, entre as confirmações há casos de profissionais de Saúde. “A gente está com grande dificuldade com trabalho no hospital, porque o pessoal está com medo”, diz ele, se referindo ao grande número de casos suspeitos na cidade.

Ele também lembra que o Ministério da Saúde estabelece critérios para realização dos testes, nem todos os suspeitos podem ser testados, pois, muitas vezes não se enquadram nos critérios. De acordo com Alexandre, a Prefeitura conseguiu fechar parceria com o Instituto de Medicina Tropical da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), que está disponibilizando kits para a realização de dez testes por dia. Antes, segundo ele, o Laboratório Central disponibilizava dois a três testes por semana. O secretário comenta que o aumento nas confirmações também pode estar relacionado à possibilidade de fazer mais testes.

Mas a pequena quantidade das testagens é uma dificuldade. Para o secretário, as pessoas que não fazem o teste se sentem mais livres.

O secretário também afirma que sente falta da fiscalização por parte do Estado. Segundo ele, a equipe da Vigilância Sanitária do Município, que tem quatro pessoas, está sobrecarregada, atuando manhã, tarde e noite para fiscalizar a cidade. Ele conta que solicitou à prefeita de Areia Branca expedição de ofício ao Governo do Estado, reivindicando apoio na fiscalização.

Com relação aos Equipamentos de Proteção Individual, o secretário afirma que o município tem conseguido adquirir com muita dificuldade e diz que o Município teve pouco apoio por parte do Estado.

Atendimento aos pacientes com sintomas de Covid

De acordo com o secretário de Saúde de Areia Branca, para atender os pacientes com sintomas do novo coronavírus a cidade conta com dez leitos clínicos no Hospital Sara Kubitschek, incluindo um com respirador.

O Município espera ter acesso a outros três respiradores, um deles através do Tribunal de Justiça e dois por meio de emendas parlamentares. “Estamos tentando comprar”, informa o secretário. Porém, há dificuldade em relação ao fornecimento. Alexandre Silva informa que foi feita uma chamada para a aquisição, mas os fornecedores não estão cotando.

Até agora, pacientes graves que precisam ser regulados têm sido direcionados a Mossoró.

De acordo com o coordenador de Enfermagem do Hospital Sara Kubistchek, João Neto Rebouças, dos dez leitos para pacientes com Covid um estava ocupado no final da tarde de hoje e trata-se de um paciente estável, que não apresenta necessidade de respirador. Quatro outras pessoas do Município estão internadas em unidades de referência para Covid em Mossoró.

O coordenador comenta que a cidade está vivendo um pico, mas diz que os atendimentos têm fluxo definido. Segundo ele, os pacientes que chegam ao hospital com casos graves podem seguir para um leito provisório ou para o isolamento definitivo, direcionado aqueles que precisam passar por um tratamento internados e que ficam no aguardo de uma vaga na unidade de referência.

João Neto Rebouças afirma que todas as pessoas que apresentam sintomas de síndromes gripais na cidade têm o caso notificado.

Profissionais pedem para que população cumpra isolamento

O secretário pede que a população fique em casa e se for necessário sair que obedeça ao critério de saída de uma pessoa por família.

A enfermeira Ivanoska Vale reforça o pedido. Segundo ela, o principal desafio e a grande meta do Município é a conscientização da população. Apesar do conhecimento de que não há tratamento “Apesar de ser de conhecimento de todos que não existe um tratamento específico para esse vírus, muitos arriscam a própria vida e a dos seus por acharem que só acontece com os outros, além de não existir uma vacina para imunizar. E enquanto isso não acontecer todos temos que assumir nossas responsabilidades.  Acreditamos que se todos fizessem sua parte, no isolamento social, não estaríamos com um quadro tão elevado de pessoas acometidas pela COVID-19. Por isso convidamos todos os areiabranquenses a serem militantes no enfrentamento dessa pandemia.”

 

Fiscalização e recursos

Com relação à fiscalização por parte do Estado, a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (SESED RN) as denúncias devem ser feitas através do 190. “O canal para denúncias é o 190. A Polícia Militar atende dentro das possibilidades de efetivo, mas não dá para abarcar tudo. Aqui em Natal, por exemplo, existe uma parceria com a Guarda Municipal, que atende as ocorrências relacionadas ao comércio. A estratégia é a Polícia ir no local da denúncia e, caso o responsável pelo descumprimento do decreto insista na desobediência, ele é levado para a delegacia”, informou a assessoria da Sesed.

No que se refere ao apoio financeiro, a assessoria da Sesap informou que Estado e municípios receberam recursos do Ministério da Saúde e que, no somatório, o valor dos recursos destinados aos municípios foi maior. Com relação aos insumos, a assessoria informou que, em contato com a Unicat, foi repassado que o material que havia para ser enviado, que era álcool e luvas de procedimento, foi remetido para todos os municípios.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *