Como uma fake news bolsonarista fez o Sesi demitir duas estagiárias em Mossoró

 

Vacinação vira fake news que resulta em demissão de estagiárias (Foto: reprodução)

A última segunda-feira era para ser apenas mais um dia de estágio para as estudantes do curso de técnico em enfermagem Wanessa Vieira e Jacqueline Faustino na rotina de contribuir com a vacinação contra covid-19 no Ginásio do Sesi Clube, em Mossoró.

Naquela manhã, já no final do expediente, o destino delas cruzou com o das atrizes Joriana Pontes e Ana Carla Azevedo que estavam dispostas a aproveitar o momento da vacinação para celebrar o SUS e bradar um “Fora Bolsonaro”.

Ao gravar Ana Carla se vacinando, Joriana deixou os cartazes em cima da mesa de trabalho das estagiárias e filmou (vídeo acima). Bastaram as imagens chegarem às redes sociais para que o bolsonarismo fizesse barulho criando a história de que a estudantes de técnica de enfermagem estariam fazendo proselitismo político contra o presidente.

O assunto rodou pelos grupos de WhtasApp e conforme o Blog do Barreto apurou a decisão de demissão sumária das duas estagiárias do Sesi/Mossoró veio de “baixo para cima” sob acusação de incentivar manifestações de “Fora Bolsonaro” na Internet.

As duas trabalhadoras perderam estágios remunerados no valor de R$ 600.

Joriana e Ana Carla gravaram um vídeo em que tentam explicar a confusão. Confira:

O Blog entrou em contato com as duas estagiárias demitidas, mas elas preferiram tratar do assunto por meio do seu advogado, Diego Nunes.

“Elas estavam trabalhando normalmente e em um dado momento apareceram no fundo do vídeo de Ana Carla e Joriana por estarem em seus postos de trabalho”, Diego Nunes, advogado das estagiárias que informou que vai entrar com ações contra os blogs e sites que divulgaram a história com a informação incorretas.

Diego deixou claro que a decisão não foi tomada pela unidade de Mossoró do Sesi, mas que se tratou de algo “cima”. “Não deram a elas sequer o direito de se defender”, disse. “A demissão foi meramente por motivação ideológica”, reforçou.

O advogado informou que o Ministério Público do Trabalho também será acionado para investigar se a demissões ocorreram por motivação de cunho estritamente ideológico.

Outro lado

Por meio de nota o Sesi explicou não deu detalhes sobre o caso. Alegou ser uma instituição privada e que seus funcionários são orientados a não se envolver em questões políticas durante a vacinação.

Confira a nota:

O SESI é uma instituição privada e seus colaboradores que atuam na ação de vacinação, seja em Natal ou em Mossoró, são claramente orientados, desde o início do projeto, a não realizar, participar, incitar ou apoiar qualquer ato político, de qualquer natureza ou partido.

Mesmo sendo uma instituição privada, o SESI entende ser um direito do cidadão que está sendo atendido a livre manifestação de ideias.

Os Centro de Vacinação do Ação Pela Vida têm a finalidade de contribuir com o Poder Público para acelerar a vacinação no RN, com 35 pontos de vacinação em Natal e Mossoró e mais de 50 mil pessoas já imunizadas.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *