Confira a trajetória jornalística de Emery Costa

Emery fez história no jornalismo mossoroense (Foto: reprodução)

Emery Costa, falecido hoje em decorrência da covid-19, marcou época no jornalismo mossoroense. Foram 55 anos trabalhando em rádio e jornal impresso.

Nascido em 13 de fevereiro de 1946, Emery iniciou a carreira radiofônica aos as 17 anos na recém-inaugurada Rádio Rural.

O rádio estava no sangue de Emery.

Antes de iniciar na atividade profissionalmente, ele costumava ouvir os grandes nomes da radiofonia local e visitava os estúdios da Rádio Tapuyo onde pegava as laudas descartadas pelos locutores para treinar.

Nesse período ele apresentou a “Voz do Estudante”, programa do Centro Estudantil Mossoroense (CEM), na Radio Tapuyo que depois se transferiu para a Rádio Rural. Foi nesta emissora que ele passou a atuar profissionalmente aos 17 anos, primeiro como redator do programa “Flagrantes da Cidade”. Lá ele trabalho também como locutor e fez história apresentando o programa Ponto por Ponto. Por muitos anos ele foi o diretor da emissora.

Em 1970 estreou no jornalismo impresso nas páginas de O Mossoroense. Lá ficou até 1975. Seu sucesso profissional o empurrou para a política de forma inesperada. Foi o vice de Lauro da Escóssia Filho pelo MDB nas eleições de 1972 contra a chapa Dix-huit Rosado/Canindé Queiroz pela Arena.

Aquela eleição foi definida por 16.194 x 11.995, maioria de 4.199 para Dix-huit/Canindé. Emery dizia, e cumpriu a palavra, que aquela seria sua única experiência como candidato. Depois desse pleito, a vida do jornalista não foi fácil. Passou a sofrer com a censura dos militares que trabalhavam no Tiro de Guerra em Mossoró. Este é um assunto que ele não gostava muito de comentar.

Após 20 anos, Emery ainda foi secretário de comunicação da Prefeitura de Mossoró na última passagem de Dix-huit Rosado pelo Palácio da Resistência. Antes disso, ainda foi um dos fundadores do Jornal Gazeta do Oeste em 1977.

Após 12 anos, Emery retornou ao Jornal O Mossoroense exercendo a função de diretor entre os anos de 1987 e 88. Foi neste jornal que ele escreveu por quase 30 anos a principal coluna do veículo.

Emery ainda trabalhou no Diário de Natal atuando como colunista além de colaborar como correspondendo do Diário do Nordeste, Rádio e TV Verdes Mares de Fortaleza.

No Observador Político da 93 FM e TV Mossoró ele fez parceria por anos co Edmundo Torres, Laíre Rosado e tantos outros profissionais que passaram pela bancada.

Em 2018, após 55 anos atuando como jornalista ele decidiu se aposentar. Seu último trabalho foi apresentando o programa Ponto por Ponto.

Compartilhe:

Comments

comments

5 opiniões sobre “Confira a trajetória jornalística de Emery Costa

  • Pingback: Emery Costa será sepultado em Mossoró ainda hoje – Blog do Barreto

  • Pingback: Emery Costa será sepultado em Mossoró ainda hoje • Blog Potiguar

  • 1 de maio de 2020 em 21:40
    Permalink

    BOA noite Bruno Barreto, se não estou enganado ele também não no observador político?

    Resposta
  • 1 de maio de 2020 em 23:24
    Permalink

    Emery Costa foi a inspiração maior de muitos jovens, que assim como eu, tornaram-se apaixonados pelo rádio. Quando comecei a ouvi -lo, tinha uns 10 anos de idade. Mesmo morando na zona rural de Apodi, um certo dia fui conhecê-lo nos estúdios da rádio Rural, ali na praça Vigário Antonio Joaquim. Com a sua voz marcante que caracterizava os locutores e noticiaristas da época. Marcou época no noticioso a “Rural leva o mundo a sua casa” todos os dias na rádio Rural, onde apresentava o comentário da Rural, escrito pelo padre Américo Simonetti. Anos depois tive a satisfação de participar junto com ele de vários programas na rádio Resistência 93. Cala-se certamente a melhor voz do rádio mossoroense, deixando saudades e ensinamentos.

    Resposta
  • Pingback: Missa de sétimo dia para Emery Costa será hoje – Blog do Barreto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *