Entidade não recomenda pesquisas por telefone

A pesquisa do Instituto Realtime Big Data divulgada hoje pela TV Tropical levantou controvérsias por trazer um cenário muito diferente dos demais institutos que analisaram o segundo turno no Rio Grande do Norte.

A fundamentação da controvérsia reside na metodologia de fazer a sondagem exclusivamente por telefone. Em matéria do Jornal El País de junho deste ano a Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa (Abep) alertava para a imprecisão deste tipo de trabalho. “Os levantamentos e coletas de opiniões realizados por meio de ligações telefônicas, para pesquisas eleitorais de intenção de voto, não são recomendadas para esse fim”, explicou. “Nem sempre retratam com fidelidade a percepção real da maioria dos eleitores, em função da falta de listagens exaustivas dos números de telefone, principalmente os dos celulares”, acrescentou.

A mesma reportagem ouviu o presidente do Big Data Maurício Moura que argumentou que pesquisas deste tipo são confiáveis e comuns no EUA. “Não existe metodologia perfeita, e qualquer coleta de dados tem ponderação estatística, com exceção do Censo [demográfico]. Uma pesquisa feita no horário comercial é diferente de uma pesquisa feita à noite. E há institutos no Brasil com altíssima competência, que fazem pesquisa telefônica com a mesma qualidade dos institutos nos Estados Unidos”, analisou.

Confira a matéria completa e El País AQUI.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Entidade não recomenda pesquisas por telefone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *