Fábio Dantas reproduz teses bolsonaristas sobre urnas eletrônicas (Foto: TCM / Reprodução)

Fábio Dantas abraça discurso bolsonarista contra as urnas eletrônicas

Patinando nas pesquisas e ameaçado de ficar fora do segundo turno com a entrada para valer do senador Styvenson Valentim (Podemos) na disputa pelo Governo do Rio Grande do Norte, o ex-vice-governador Fábio Dantas (SD) está ajustando o discurso para ficar mais palatável ao eleitor bolsonarista que o enxerga com desconfiança.

Em entrevista à TCM Telecom Fábio Dantas demonstrou desconfiança em relação as urnas eletrônicas. Na fala ele aderiu por completo à tese do presidente Jair Bolsonaro (PL) de que as urnas não são auditadas.

“Confio nas instituições do País. Acho que todas elas precisam aprimorar. A questão da discussão vem desde o governo do PT. Acho que em 2018, 2016, já havia necessidade de fazer a conferência da urna. Tomou polêmica maior sem necessidade. Houve excessos dos dois lados. Essa eleição não vai ter urna auditada, mas no futuro é importante ter. A democracia precisa estar sempre vigilante e acho que nada mais importante do que ter a prova do crime, que vai comprovar que votamos em quem votamos”*, disse.

A informação usada por Fábio é improcedente. As urnas eletrônicas são auditadas e passam por um rígido controle, inclusive com fiscalização externa.

Fábio ainda disse que “tudo pode acontecer” num ambienyte conectado a Internet. Trata-se de uma desinformação do bolsonarismo porque as urnas não são conectadas pela rede mundial de computadores.

Por outro lado, Dantas tomou o cuidado de reconhecer que houve nada comprovado. “Vamos com o que a gente tem”*, ponderou.

Nota do Blog: Fábio Dantas acena ao bolsonarismo com uma fala irresponsável.

*aspas extraídas do Portal 98 FM.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter