Geriatra orienta sobre cuidados com saúde física e mental do idoso durante isolamento social

Médico Diogo Brito fala da importância da rotina e de controlar outras questões de saúde (Imagem: Web/ Redes sociais)

Eles fazem parte do grupo de risco e precisam seguir à risca o isolamento social para a própria proteção. Mas, mesmo em casa e distante do que era comum em suas rotinas, os idosos podem adotar alguns cuidados para manter a saúde da mente e do corpo.

De acordo com o geriatra Diogo Brito, para manter a saúde mental, em primeiro lugar os idosos devem tentar evitar passar muito tempo em frente à TV, vendo as notícias sobre o coronavírus, além de estabelecer hábitos rotineiros. “Tentar ter rotina diária. Um momento, por exemplo, em que ele vai ler um livro, se gosta de música escutar uma música, ter um momento de fazer atividade física, mesmo sendo dentro de casa, porque pode ser feito e, se tem uma crença, também ter seu momento de sua oração, de sua fé”, afirma.

Para realizar atividades físicas em casa, o médico orienta consultar a internet e aproveitar, conforme a condição do idoso os materiais disponíveis em casa. “Pode pegar pelo YouTube, tem várias dicas, realmente de exercício físico que pode fazer, dependendo do grau de funcionalidade do paciente idoso, utilizar por exemplo um sofá, a cadeira, o chão, até panelas”, comenta. Séries e filmes com temáticas que agradem o idoso também são alternativas citadas pelo geriatra, assim como fazer palavras cruzadas, ter momentos de leitura. Segundo o médico, tudo isso tem que ser organizado pela família para que o idoso tenha uma rotina bem organizada para não focar na doença.

Para lidar com a ansiedade, caso as medidas sugeridas não surtam efeito, o médico orienta consultar um geriatra. “Para ver a possibilidade de avaliação, se tem alguma coisa que está baixa no paciente idoso, como algumas vitaminas ou alteração da tireóide, a necessidade de um acompanhamento com um psicólogo e se vai precisar tomar medicação.

No caso daqueles que já possuem condições de saúde, a atenção a essas questões deve ser mantida. “É fundamental que as outras comorbidades, as outras doenças que o paciente tem, elas estejam controladas”, diz o médico.

“Se ele tem pressão alta tem que estar tomando a medicação e tem que estar com essa pressão controlada. Se tem diabetes tem que estar nos níveis normais de quem é diabético, porque, se não, isso pode interferir ainda mais na ansiedade do paciente idoso”, menciona o geriatra, explicando que ele vai ter o medo de contrair a Covid-19 e vai ficar observando que as outras doenças não estão controladas e que pode levar um agravamento em caso de coronavírus.

“Todas as outras doenças têm que estar controladas, para isso, é necessário o acompanhamento do médico especializado em geriatria para avaliar”, afirma Diogo Brito. O médico também alerta que as consultas de rotina não devem ser deixadas de lado e, como alternativas menciona o teleconsulta ou atendimento domiciliar. “Mas não pode ficar deixando para lá”, menciona, informando que muitas pessoas estão deixando para quando passar a pandemia. “O paciente idoso ele precisa desse acompanhamento a cada seis meses”, destaca.

O médico também falou sobre a importância de manter um bom nível de vitamina D no organismo do idoso, para que o corpo tenha uma melhor reação.

“A vitamina D, ela é fundamental para o estímulo do sistema imunológico, da imunidade das células de defesa. A grande questão é a vitamina D a gente não consegue através de alimentos”, explica o médico, informando que a dosagem desse tipo de vitamina nos alimentos é muito baixa. Mas a ingestão dessa vitamina não deve ser realizada por conta própria. “A grande questão é o seguinte, precisa ser avaliado pelo médico para saber a dosagem que está de vitamina D no paciente e aí saber como será essa reposição”, informa.

“O banho de sol é o que mais se fala. Porém, o paciente idoso ele tem um déficit, então, só o banho de sol não resolve no paciente idoso”, explica. “É necessário acompanhamento para descobrir se o paciente está precisando de vitamina D e qual a dosagem que está precisando. Infelizmente, não tem nos alimentos e para o idoso somente banho de sol não resolve”, complementa o geriatra.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *