Governadora sanciona projeto de Isolda que insere jovens no mercado de trabalho

Isolda tem proposta que vira lei (Foto: cedida)

A governadora Fátima Bezerra sancionou o projeto de lei Jovem Potiguar, de autoria da deputada Isolda Dantas (PT). A sanção aconteceu durante a abertura da 4ª Semana Estadual da Juventude, que também contou com a entrega da reforma da Escola Estadual Raimundo Soares.

O Jovem Potiguar é um programa criado para inserir o jovem no mercado de trabalho, com vagas qualificadas e condições para ele permanecer no curso até o fim. “Eu fico muito grata de estar aqui hoje, durante a abertura da semana da juventude, apresentando uma proposta concreta para a juventude”, disse a deputada na solenidade.

Para a governadora Fátima Bezerra, o projeto representa mais uma política pública voltada para a melhoria das condições sociais dos jovens potiguares. Ela também citou outras iniciativas da deputada estadual Isolda Dantas, como o CredMais, que financia empreendimentos geridos por jovens entre 18 e 29 anos – formais ou informais, solidários ou convencionais. “São ações como estas, aliadas a outros programas no âmbito da Secretaria de Mulheres e Juventude, que estamos desenvolvendo para apoiar os jovens do Rio Grande do Norte”, enfatizou.

Segundo o texto sancionado, o projeto Jovem Potiguar contempla jovens entre 16 e 29 anos que estejam em situação de vulnerabilidade social e matriculados na rede pública estadual – ou que tenham concluído o ensino fundamental nesta rede. Eles receberão bolsas durante o programa como forma de incentivo e permanência estudantil.

Para comprovar a vulnerabilidade social, é preciso que eles estejam cadastrados no CadÚnico.

O projeto também garante que os jovens concluintes do Jovem Potiguar tenham prioridade nas políticas sociais ofertadas pelo Governo do Estado que tenham o objetivo de criação de renda e geração de emprego. Para Isolda, o programa deve inserir os jovens no mercado de trabalho.

“A pandemia agravou muitos problemas que afetaram a juventude: escolas fechadas, muitos sem poder ter acesso a aula remota, falta de assistência e desemprego. É nosso dever criar políticas públicas para dar mais condições e qualificação para os e as jovens de nosso estado se encontrarem em uma situação melhor. Por isso, criamos esse projeto de lei”, finalizou Isolda.

 

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter

Canal Bruno Barreto