Maioria dos deputados do RN aprova quarentena para militares, juízes e promotores. Confira quem mudou de posição

A Câmara dos Deputados mudou de posição em relação a aplicação de uma quarentena de quatro anos para que juízes, militares, policiais e promotores disputem eleições. A proposta em forma de destaque, rejeitada no Código Eleitoral provado na semana passada, passou na madrugada de hoje em forma de emenda aglutinativa.

A ideia passou por 273 votos a 211 com votos favoráveis de quatro deputado do RN. Foram eles: Natália Bonavides (PT), Beto Rosado (PP), Rafael Motta (PSB) e Walter Alves (MDB).

Na votação do dia 9, só Rafael tinha sido favorável a proposta. Natália votou contra e Walter e Beto se ausentaram do plenário.

Já Carla Dickson (PROS), General Girão (PSL) e Benes Leocádio (Republicanos) mantiveram o voto contrário a quarentena e João Maia (PL) que votou contra na semana passada desta vez se ausentou da votação.

O novo código eleitoral que teve mais de 800 artigos agora vai para análise do Senado. Para valer em 2022 ele precisa ser sancionado até o início de outubro.

No entanto, a quarentena só teria efeito em 2026.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter