Me escute! Diz o potiguar aos políticos

Por Thiago Medeiros*

O Observatório da Democracia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) realizou pesquisa onde indicou que a maioria dos potiguares acreditam que para tomar decisões importantes para o País, o governo deve ouvir mais os cidadãos. É o povo querendo participar cada vez mais da política, e se sentir participante das decisões que impactam no seu cotidiano.

Um fato curioso é que a alternativa onde indica que essas decisões devem ser tomadas por técnicos apresentou um percentual muito baixo. Mostrando que apesar de boa parte da população torcer por um governo que em seus ministérios e secretarias estejam presentes pessoas capacitadas, quando o assunto é a interferência na sua vida, os potiguares querem participar.

Talvez poucas pessoas saibam, mas a participação popular na formulação de políticas públicas já acontece no País faz anos. Principalmente nos governos do PT, foram criadas soluções para escutar a sociedade civil, como o exemplo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), o Programa Nacional de Habitação, o plano de expansão das universidades públicas, o ProUni, a criação do Sistema Único de Assistência Social (Suas), as políticas afirmativas contra a discriminação racial, de mulheres e minorias sexuais e o amplo conjunto de medidas que impulsionaram enormes avanços na agricultura familiar nos últimos anos foram formulados e decididos com a participação direta de milhões de brasileiros, por meio de inúmeros canais criados ou ampliados para consolidar a democracia participativa no país.

Hoje ampliamos nossa compreensão sobre o funcionamento do Estado e nos tornamos capazes de não só reivindicar como também participar na elaboração, implementação e fiscalização das políticas públicas, mas esse conhecimento ainda é para poucos e precisa não só ser ampliado como mais divulgado.

Esse é um recado forte para a classe política que esse ano disputa uma nova eleição, os postulantes precisam entender que chegou a hora de ouvir mais a população, ela deseja ser escutada. Criar ferramentas ou divulgar as existentes é um passo importante para conquistar os potiguares.

Vamos aos dados da pesquisa:

Clique e leia o relatorio de Pesquisa Demo e Ditad RN

*É cientista Social e membro do Observatório da Democracia (UFRN).

Este texto não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema. Envie para o barreto269@hotmail.com e bruno.269@gmail.com.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter