Mossoró Melhor, um projeto sem povo

O grupo Mossoró Melhor adota esse nome para se desvincular da pecha de “projeto dos empresários”, que o caracterizaria como uma ação elitista.

A crítica mais comum é que ao invés de negar a política para se posicionar como o “novo”, o grupo dialoga com caciques e políticos tradicionais como Rogério Marinho (PSDB), Carlos Eduardo (PDT), Cláudia Regina (DEM) e João Maia (PR).

Na minha ótica o equívoco não passa por isso. Não se faz política negando a política. Quem faz isso entra em contradição mais a frente por pura falta de habilidade.

Embora venha servindo de esperança para alguns setores da sociedade está faltando “cheiro de povo” ao Mossoró Melhor. Até aqui os eventos relacionados ao grupo são em restaurantes chiques, em ambientes fechados e reuniões políticas com alguns caciques.

Falta ao movimento Mossoró Melhor dialogar com o povo. Ainda não identifiquei um único encontro com um representante da classe trabalhadora. Também não visualizei um encontro com o movimento comunitário ou uma simples reunião de calçada.

Quando se é novidade na política todo detalhe faz a diferença.

Compartilhe:

Comments

comments

Uma opinião sobre “Mossoró Melhor, um projeto sem povo

  • 4 de fevereiro de 2016 em 14:45
    Permalink

    Amigo bruno, será que o grupo Mossoró Melhor não está amadurecendo pra poder colocar o bloco na rua ou apresentar ao povão.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *