O coadjuvante e os protagonistas

Numa eleição o jornalista é um mero coadjuvante. Cabe a ele atuar como emissor das notícias e analista dos fatos. Os protagonistas são os candidatos e os eleitores.

Somos apenas um meio entre os protagonistas. O coadjuvante com a missão de ajudar a compreender os fatos.

Nós jornalistas precisamos ficar cientes disso. Trocas de farpas entre colegas nos seus espaços de trabalho não traz benefício nem para quem ataca nem para o atacado.

Em tempos de fake news, redes sociais atuando como tribunal moral e tantos outros problemas o nosso papel como coadjuvantes na eleição tem que ser aproveitado com sensatez, objetividade e honestidade intelectual.

Nunca precisei atacar um colega de trabalho para crescer profissionalmente. Não preciso dessa escada porque primo pela técnica, razoabilidade analítica e ética no trato com a informação.

Aos que precisam me atacar para se promover dou o meu silêncio. Aos que possuem bom senso, mas em algum momento me citou de forma equivocada escolho a conversa privada para aparar as arestas.

Sigamos coadjuvantes.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter