O que pensam os senadores do RN sobre PEC da imunidade?

Senadores do RN (Fotomontagem: Web)

A Proposta de Emenda Constitucional 03/2021, conhecida como PEC da Imunidade por limitar ação do judiciário para prender deputados e senadores é uma das maiores polêmicas da política brasileira.

A PEC teve sua admissibilidade aprovada na quarta-feira e há um interesse do presidente da Câmara dos Deputados Arthur Lira (PP/AL) de votá-la a toque de caixa, mas ontem ele sofreu um revés.

Sendo aprovada em dois turnos no plenário da casa a proposta vai para o Senado que dará a última palavra.

Mas o que pensam os senadores do Rio Grande do Norte?

Se depender do senador Styvenson Valentim (PODE) a proposta será rejeitada. “Enquanto uns lutam pelo fim do foro privilegiado, o fim da imunidade parlamentar, e pela prisão em segunda instância, como eu, outros trabalham para que os parlamentares se tornem uma casta quase intocável”, disparou.

Por meio da Assessoria de Comunicação a senadora Zenaide Maia (PROS) declarou que ainda não leu o projeto e que no momento seus esforços estão em garantir a aprovação PEC emergencial sem prejudicar os recursos da saúde e educação.

A posição de Jean Paul Prates (PT) disse que não leu o projeto e que existem assuntos mais urgentes no Senado como a PEC Emergencial e MP da Eletrobras, mas em conversa com o Blog do Barreto ele indicou antipatia em relação a proposta que tramita na Câmara dos Deputados. “A minha opinião genérica sobre isso é que a imunidade deve existir, mas obviamente para o discurso do parlamentar em que ele levanta suspeitas para aprovar uma CPI, por exemplo. A imunidade não é para sair pela rua matando os outros ou dirigindo bêbado. Não pode ter cidadão de primeira, segunda e terceira categoria. Esse projeto da Câmara é muito ruim e casuístico e estão usando o caso do Daniel (Silveira) como pretexto para resolver outras situações”, explicou.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter