Pesquisa mostra que 65% dos potiguares preferem consumir água mineral natural

Uma pesquisa realizada pelo Sindicato das Águas Minerais e Bebidas em Geral do RN (Sicramirn) apontou que quase 65% da população prefere água mineral natural para consumo em casa. Os dados foram coletados pela Consult Pesquisa por meio de entrevistas realizadas com 1.700 pessoas, distribuídas em 12 regiões do estado, entre 14 e 19 de janeiro deste ano. O levantamento apresenta um diagnóstico inédito do setor.

Entre os entrevistados, 41.9% declararam que o principal critério de escolha é a qualidade da água consumida, seguido de menor preço (36,9%), praticidade (19,7%) e facilidade de compra (17,8%). Para Roberto Serquiz, empresário do setor e presidente do Sicramirn, o resultado da pesquisa é considerado bastante positivo, porque demonstra que o potiguar prioriza a garantia de qualidade e segurança nos produtos da cadeia produtiva local.

“Esse percentual de consumo é extremamente significativo para nós, porque demonstra que o consumidor valoriza o produto e confia na indústria da água mineral natural potiguar. Isso nos traz uma maior responsabilidade e a certeza de que podemos seguir ampliando essa relação de confiança”, afirma Serquiz.

Natal

Segundo a pesquisa do Sicramirn, a preferência aumenta para 77.9%, na capital. O comportamento tem maior destaque na Zona Norte, onde 89,6% da população escolhe água mineral natural para consumo. Em segundo lugar vem a Zona Leste (80%), seguida da Zona Sul (68,8%) e Zona Oeste (66,3%).

Quando perguntados sobre quanto pagam por um galão de 20L de água mineral natural, a média das respostas oferecidas pelos entrevistados em Natal varia de R$4,65 na Zona Oeste da Cidade a R$6,27 na Zona Leste. Na Zona Norte, os entrevistados afirmaram pagar cerca de R$4,97 pelo garrafão e na Zona Sul, a média de preço é de R$5,92. Em todo o estado, a média de valor pago por galão de 20L é R$ 4,92, o mais barato do Nordeste. “Nos estados vizinhos como a Paraíba, o preço é acima de R$ 7 e em Fortaleza, o valor ultrapassa R$ 10”, compara Serquiz.

Ainda de acordo com os dados obtidos, 25,2% dos entrevistados no RN declaram ter preferência por consumir água tratada da concessionária (Caern) e 4,70%, por água de poço artesiano. “Observamos também com os dados da pesquisa que no interior, onde o abastecimento é crítico, a preferência pela água mineral aumenta para quase 90%. Outro dado relevante é também o consumo pela classe E, cerca de 65%. Uma prova de que a população prioriza a saúde, buscando um produto de qualidade”, pondera Serquiz.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *