Prefeito afirma que após quitar dívida vai cortar metade dos terceirizados

Entrevistado na estreia do Meio-Dia Mossoró na 95 FM, o prefeito Francisco José Junior (PSD) afirmou que estava chegando de uma negociação com sindicato das terceirizadas e as empresas. “Quando quitarmos vamos fazer uma redução de 50% dos terceirizados”, avisou.

A discussão ocorreu enquanto os trabalhadores terceirizados protestavam contra cinco meses de salários atrasados. No programa o prefeito trouxe a notícia de que pelo menos um mês será pago até o dia 10 de dezembro. “Nós nos reunimos com as empresas que prestam serviços a prefeitura e chamamos o Sindlimp. Essas pessoas são empregadas dessas empresas. Ninguém atrasa um serviço terceirizado porque quer, por opção. Foi porque não tinha dinheiro para pagar. Tivemos, em um mês, que escolher entre os terceirizados e os serviços médicos”, explicou.

O prefeito disse que os ajustes feitos nas contas do município ainda não foram suficientes para colocar os salários das terceirizadas em dia. “A prefeitura fez vários ajustes, mas ainda não foram suficientes para pagar os terceirizados. Fizemos um acordo para usar o FPM (Fundo de Participação dos Municípios) extra para pagar as terceirizadas. O repasse será no dia 9 e no dia 10 as empresas pagam”, explicou, o prefeito que planeja quitar os atrasados dos terceirizados após antecipar os royalties da Petrobras.

Sobre a folha de pagamento, o prefeito explicou que a distinção entre efetivos e comissionados na folha de pagamento já estava prevista. “Nós publicamos num decreto que pagaríamos a folha até o dia 30 e as vantagens até o dia 10”, explicou.

De acordo com Francisco José Junior, o pagamento dos servidores comissionados no dia 3 de dezembro foi consequência do bloqueio das contas do município para pagar uma dívida com o Hospital Wilson Rosado. “A nossa folha foi reduzida para R$ 1,300 milhões. Com o bloqueio de R$ 717 mil deixamos uma parte dos comissionados para o dia 3. É um atraso muito pequeno que não vai causar nenhum transtorno”, garantiu.

Sobre a antecipação dos Roaylties, o prefeito explicou que se trata de uma operação que ainda não tem os valores definidos. “Assim que a gente definir esse valor vamos equilibrar as nossas finanças e escolher o banco que apresentar a melhor proposta”, explicou.

O chefe do executivo municipal insistiu em afirmar que houve avanços no transporte público local. “Nós tivemos a coragem para deixar o transporte coletivo atrativo. Sabemos que temos que melhorar. Hoje temos 30 ônibus em vez de 14 e com duas linhas de integração”, frisou.

Com relação aos estudantes que acamparam no Palácio da Resistência, o prefeito avaliou que o problema terminou da melhor maneira possível. “O que importa nesse acampamento dos estudantes é que houve respeito mútuo e diálogo. Avançamos em vários pontos e não só acabamos com os protestos como nós tornamos o movimento estudantil parceiros da discussão sobre mobilidade urbana”, frisou.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *