Queimação

Começa a circular a história de que o governador Robinson Faria (PSD) vai pedir que a Justiça decrete a ilegalidade da greve da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern). Ele vai alegar que está pagando salários para quem não trabalha. O governador não apresenta proposta e quer que as categorias acabem uma greve de mãos abanando. Pior é que o consultor-geral do Estado Eduardo Nobre, segundo o jornalista natalense Heitor Gregório, pediu exoneração por ter dado um paracer favorável ao reajuste que não foi acatado. Pelo visto, Robinson está disposto a destruir a imagem de gestor parceiro do servidor público construída nos oito anos em que presidiu a Assembleia Legislativa.

Dificuldades
Ao contrário do que dez entre dez analistas políticos projetavam, Robinson Faria ainda não tem maioria na Assembleia Legislativa e tem sérias dificuldades para aprovar o aumento de impostos.

Maioria
Dizia-se que ele teria maioria antes da posse. Nem isso. Pelo visto a habilidade de quem comandou a Assembleia durante oito anos ficou num passado distante. O governador perde o rumo.

Fora Cunha

O movimento Fora Cunha ganha força na Câmara dos Deputados. O parlamentar, que pensava que iria derrubar a presidente Dilma Rousseff, corre o risco de ele mesmo ser posto para fora da presidência da Casa.

Conta
A descoberta de que Cunha mentiu quando negou ter contas num banco suíço colocou o outrora poderoso peemedebista em situação constrangedora. Nem o apoio da mídia pode segurá-lo.

Postura
Antigamente o deputado federal Rogério Marinho (PSDB) era um político daqueles bem comedidos nas palavras. De uns tempos para cá ele tem caprichado nas frases de efeito para atacar a presidente Dilma Rousseff e o prefeito de Natal, Carlos Eduardo (PDT). O tucano tenta marcar espaço para disputar a prefeitura da capital.

Substituto
Definido quem estará no lugar do ministro João Otávio Noronha no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a partir da próxima semana, dentro da cota do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Será Herman Benjamin, ministro nascido em Catolé do Rocha (PB). Ele tem fortes ligações com Mossoró e será membro da corte que vai decidir o futuro de Cláudia Regina (DEM), Rosalba Ciarlini (PP) e por tabela definirá os rumos da sucessão municipal em Mossoró.

Triste fim
O dono da Viton 44, Neville Proa, patrocinadora master do Fluminense, comemorou a saída de Ronaldinho Gaúcho do clube. Para ele, era ruim a associação de sua marca a um atleta farrista e beberrão que não dava retorno técnico ao clube. Falou a mais pura verdade.

Comitiva
O presidente da Câmara Municipal de Mossoró, Jório Nogueira (PSD), e a vereadora Izabel Montenegro (PMDB) andam mais afinados do que nunca. A dupla organiza numerosa comitiva, formada por 22 pessoas, que vão dar um passeio pela bela Bueno Aires. A aliança política entre os dois avança do campo político para o da amizade.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *