Uma opinião sobre “Servidor municipal passará réveillon sem dinheiro no bolso

  • 25 de dezembro de 2015 em 11:28
    Permalink

    ONDE ESTÁ A CRISE!
    Mossoró tem jeito; ou melhor tem dinheiro.
    Se o prefeito pensasse na cidade e quisesse resolver realmente os problemas da cidade a solução para muitos desses problemas estaria ao seu alcance, e não precisaria ir muito longe. Para isso era só renunciar a sua vaidade, não pensar no seu futuro político, agir com austeridade, e não tentar criar um exercito de serviçais bancados com o dinheiro público.
    O caso da SEMOB é um exemplo, e os privilégios desmascarados devem se estender para outras secretarias.
    Secretarias como a da Saúde e a da Segurança precisam serem melhor avaliadas, e seus recursos públicos melhor administrados.
    Por exemplo:
    Qual a importância do Dr Paiva lopes para os mossoroenses como médico prestador de serviço ao SUS pago pela prefeitura, e qual a importância de um secretário adjunto da SEMOB, “ou mesmo um gerente da SEOMB” para os mossoroenses, e quanto recebe o Dr Paiva, E quanto recebe um adjunto. Descoberta a relação vamos ver que as distorções são gritantes. e alguém pode perguntar mais o que tem uma coisa com a outra. Tem tudo a ver. Em momentos de “crise”, e numa administração austera todo real é indispensável, enquanto todo desperdício é condenado.
    Os profissionais precisam ser valorizados, só assim teremos assistência de qualidade.
    Não é de hoje que denunciamos que temos secretários demais trabalhando de menos e recebendo muito.
    Secretários oriundo de outras repartições que nunca a gestão esclareceu sua opção salarial que causa dúvidas a população quanto aos seus vencimentos. Quem paga a quem, e se está dentro da lei.
    Orçamentos invertidos diante da realidade preventiva administrativa como por exemplo Os valores enviados para a CMM e aprovados pelos leigos vereadores referentes a Segurança, e ao esporte, são uma aberração. São 15 milhões para a Segurança, e dez vezes menos para o esporte. 1,5 milhão para o esporte. “não estou falado para o futebol” para o esporte. Onde está o investimento na prevenção. isto é investir na repressão.
    Este foi apenas um exemplo que não preciso me estender as demais secretarias “distorções”, porque teria que descrever toda atual e má gestão.
    Mais existem algumas medidas que poderiam ser tomadas para se tentar melhorar a avaliação da atual gestão, bastante desgastada.
    Como por exemplo:
    Reduzindo o número de Secretarias para 12 ou 15 no máximo
    Reduzindo o orçamento da segurança em 50%. Manter e ampliar o que é de responsabilidade do município, e cobrar do governo o que é de responsabilidade do governo estadual.
    Reduzindo o número de privilegiados. Cargos Comissionados, portarias, e assemelhados em 50%, usando como critério o duplo emprego.
    Reduzindo o duodécimo da CMM em 50%. ( Os nobres vereadores se negaria a ajudar o povo mossoroense reduzindo seus salários e privilégios).
    Reduzindo a iluminação pública depois de zero hora em 20, 30, e até 50%. Começando pelas praças. ( informar ao povo onde está sendo gasto o dinheiro da Taxa de iluminação Pública. A CIP).
    A meta seria economizar 20 milhões, dinheiro que seria remanejados para a saúde, educação e prevenção a violência.
    Que o espirito natalino permaneça entre nós na pessoa do filho de Deus.
    RAIMUNDO NONATO SOBRINHO
    Técnico em enfermagem.
    CurtirComentarCompartilhar
    Márcio Leandro curtiu isso.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *