UERN minha vida

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Hoje a UERN comemora 50 anos de fundação. A universidade foi além do sonho dos mossoroenses da metade do século passado se tornando não apenas uma instituição de uma cidade, mas de todo um Estado.

Minha devoção pela UERN não vem apenas pelo fato de ter me graduado e feito mestrado lá. Nem muito pelo fato de ser um dos meus locais de trabalho. Trata-se da universidade onde estudam os mais pobres desse Estado.

É o cumprimento deste papel que faz a UERN me encantar todos os dias.

Nada menos que 89% dos alunos da UERN estudaram em escolas pública a vida inteira e chega a essa universidade em buscar de ascensão social. Via de regra são os primeiros da família a terem diploma universitário. Mais que isso: as vidas mudam pelo ensino.

É comum ver nas colações de grau a emoção dos pais de alunos que nunca imaginaram ver um filho virar “doutor”. É por esta universidade que o filho do agricultor vira médico. Que a filha do pedreiro se torna advogada.

Sem a UERN não teríamos professores no interior do Rio Grande do Norte. Com ela temos ensino garantido nos rincões do Estado.

Que a UERN siga inclusiva por mais 50 anos e, quem sabe, no centenário, em 2068, possamos viver para dizer que ela cumpriu um papel que ajudou o Rio Grande do Norte a se tornar um Estado desenvolvido.

Compartilhe:

Comments

comments

Uma opinião sobre “UERN minha vida

  • 28 de setembro de 2018 em 21:35
    Permalink

    Infelizmente a visão dos últimos governos e também o patrimonialismo dentro dela a fazem ser menor do que poderia e deveria

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *